Ética originária e práxis racionalizada

Autores

  • Zeljko Loparicz UNICAMP

Palavras-chave:

Heidegger, Linguagem, Wittgenstein

Resumo

O presente artigo começa pela crítica do projeto de Tugendhat de tomar a análise da linguagem do segundo Wittgenstein como o método geral da filosofia, em particular, da filosofia moral, para em seguida, tentar decidir se o mesmo método pode ser usado como procedimento de leitura da analítica heideggeriana do Dasein. Na continuação, proponho-me a examinar se o programa de Tugendhat de racionalizar o agir humano, herdado do iluminismo, pode servir de quadro teórico para compreender a fenomenologia heideggeriana da responsabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Zeljko Loparicz, UNICAMP

Departamento de Filosofia Universidade Estadual de Campinas CAMPINAS, SP BRAZIL

Downloads

Publicado

2016-04-05

Como Citar

Loparicz, Z. (2016). Ética originária e práxis racionalizada. Manuscrito: Revista Internacional De Filosofia, 24(1), 141–228. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/manuscrito/article/view/8644788

Edição

Seção

Artigos