A natureza imaginária do gênero na história da antropologia

  • Mariza Corrêa Universidade Estadual de Campinas - PAGU
Palavras-chave: Mulheres. Antropologia. Sociedade

Resumo

Tendo como pano de fundo uma pesquisa mais abrangente sobre a história da antropologia no Brasil, este texto sugere que a trajetória de algumas personagens femininas dessa história põem em xeque a suposta impermeabilidade das categorias masculino/feminina no sistema de classificações de gênero. Quando seres socialmente definidos como parte da cena privada são encontrados na cena pública, a ambiguidade de sua posição os coloca numa categoria anômala, como integrantes de uma espécie de "natureza imaginária".

Abstract

Drawing information from a broader research about the history of anthropology in Brazil, this article suggests that the life course of some female personae of this history challenges the supposed imperviousness of the masculine/feminine categories in the gender classificatory system. Once beings socially defined as belonging to the private sphere are found in the public sphere, the ambiguity of their position puts them in an anomalous category, as part of a kind of "imaginary nature".

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariza Corrêa, Universidade Estadual de Campinas - PAGU
Professora do Departamento de Antropologia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp durante trinta anos e atualmente é pesquisadora do Pagu/Núcleo de Estudos de Gênero da mesma universidade, no qual coordena um Projeto Temático da Fapesp sobre gênero e corporalidade. Integra o corpo docente da Área de Gênero no Programa de Doutorado em Ciências Sociais da Unicamp. Bolsista do CNPq. Ex-presidente da Associação Brasileira de Antropologia.

Referências

Anne Marie Pessis com Dina Dreyfus em Paris, em 1988. Mariô é Mario de Andrade.

Antonio Candido, entrevista à revista Transformação, 1974.

ARANTES, Paulo Eduardo: "Certidão de Nascimento", IN Novos Estudos Cebrap, (23), março, 1989.

BORDIEU, Pierre: Esquisse d'une théorie de la pratique, Librairie Droz, Genève, Paris, 1972.

BUTLER: Gender trouble, feminism and the subversion of identity, Routledge, Champman e Hall, N.Y., 1990

Carta de 6 de abril de 1986.

Cartas Mario de Andrade- Oneyda Alvarenga, Livraria Duas Cidades, São Paulo, 1983.

CORRÊA, M. (org.): História da Antropologia no Brasil, vol.I, Testemunhos (Donald Pierson e Emílio Willems), Editora da Unicamp/Editora Vértice, Campinas, São Paulo, 1987.

CORRÊA, M.: As ilusões da liberdade - a escola Nina Rodrigues e a antropologia no Brasil, USP, 1982

CORRÊA, Mariza: "A doutora Emilia e a tradição naturalista", IN Horizontes Antropológicos (1), Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Pôrto Alegre, 1995.

CORRÊA, Mariza: "Dona Heloisa e a pesquisa de campo", a sair na Revista de Antropologia.

CORRÊA, Mariza: "Os índios do Brasil elegante e a professora Leolinda Daltro", IN Revista Brasileira de História (18), ANPUH/Editora Marco Zero, São Paulo, 1989.

CORRÊA, Mariza: "Três heroínas do romance antropológico brasileiro", IN Primeira Versão (22), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Unicamp, Campinas, 1990.

CUNHA, Manuela C.: Negros, estrangeiros, São Paulo, Ed. Brasiliense, 1985.

DOUGLAS, M.: Purity and danger, an analysis of concepts of pollution and taboo, Pelican books, 1970. (Tradução brasileira de, Ed. Perspectiva, SP, 1976.

ELIADE, Mircea: Mefistófeles e o andrógino, Livraria Martins Fontes editora, São Paulo, 1991.

GILMAN: Decadence, the strange life of an epithet, Farrar, Straus e Giroux, N.Y., 1980.

GOLDE, Peggy (ed.): Women in the field - anthropological experiences,University of California Press, Berkeley e Los Angeles, 1986 ( 1970).

HARAWAY, D.: "A manifesto for cyborgs: science, technology and socialist feminism in the 1980's", IN Socialist Review/80, 1985.

HARAWAY, D.: "Situated knowledges: the science question in feminism and the privilege of partial perspectives", IN Feminist Studies/14(3), 1988.

HARAWAY, D.: Primate visions - gender, race and nature in the world of modern science, Routledge, N.Y. e London,1989.

HEALEY, Mark: "The sweet matriarchy of Bahia", IN Ruth Landes'ethnography of race and gender. History Department, Duke Universitry, dezembro de 1995.

Les dents agacées, Bouchet-Chastel, Paris, 1982.

LÉVI-STRAUSS, C. L'Identité. Grasset, Paris, 1977.

LÉVI-STRAUSS, C.: O pensamento selvagem, Cia. Editora Nacional/EDUSP, São Paulo, 1970 (1962):224.

LOBERT, Rosemary, A palavra mágica Dzi: uma resposta difícil de se perguntar - a vida cotidiana de um grupo teatral. Dissertação de Mestrado em Antropologia, Unicamp, 1976.

MARCUS, Jane: "Storming the toolshed", IN Feminist theory - a critique of ideology, ed. por Nannerl O. Keohane,Michelle Z.Rosaldo e Barbara C.Gelpi.

Mario de Andrade e a Sociedade de Etnografia e Folclore, 1936-1939, Funarte-Instituto Nacional do Folclore-Secretaria Municipal de Cultura, São Paulo- Rio de Janeiro, 1983.

MAYBURY-LEWIS, D.: A Sociedade Xavante, cap.VI, Livraria Francisco Alves editora, Rio de Janeiro, 1984.

MAYBURY-LEWIS, David: O Selvagem e o Inocente, de 1969, Editora da Unicamp, Campinas,1990.

PAGLIA: Personas Sexuais, Cia. das Letras, São Paulo, 1992, p.292, ênfase adicional.

POLLAK, Michael: "Memória, esquecimento, silêncio", IN Estudos Históricos/3, Rio de Janeiro, Ed. Vértice, São Paulo, 1989.

ROBERTSON, Jennifer: "The politics of androginy in Japan: sexuality and subversion in the theater and beyond", IN American Ethnologist/19 (3), 1992.

Ruth Shlossberg Landes em Ute Gacs, Aisha Khan, Jerry McIntyre e Ruth Weinberg, (eds.): Women anthropologists: selected biographies. Chicago, University of Illinois Press. 1984.

STOCKING, G.: History of Anthropology, vol. IV, University of Wisconsin Press, 1986.

STRATHERN, M.: The gender of the gift, problems with women and problems with society in Melanesia, University of California Press, Berkeley-Los Angeles-London, 1988.

SUSSEKIND, Flora: Tal Brasil, qual romance?, Achiamé, Rio de Janeiro, 1984.

TURNER, Edith: The spirit and the drum - a memoir of Africa, The University of Arizona Press, 1987.

WATSON, Rubie S. "The named and the nameless: gender and person in Chinese society", IN American Ethnologist, 13 (4), Novembro, 1986.

WOLF, M.: A Thrice-told Tale: feminism, post-modernism and ethnographic responsibility. Stanford University Press, 1992.

WOOLF, V.: Um teto todo seu, Ed. Nova Fronteira, Rio de Janeiro, 1985.

Publicado
2009-01-01
Como Citar
Corrêa, M. (2009). A natureza imaginária do gênero na história da antropologia. Cadernos Pagu, (5), 109-130. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/1776
Seção
Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)