Banner Portal
Brasileiros e brasileiras: gênero, raça e espaço para a construção da nacionalidade em Cassiano Ricardo e Alfredo Ellis Jr.
PDF

Palavras-chave

Pensamento social. Raça. Nação

Como Citar

SOUZA, Candice Vidal e. Brasileiros e brasileiras: gênero, raça e espaço para a construção da nacionalidade em Cassiano Ricardo e Alfredo Ellis Jr. Cadernos Pagu, Campinas, SP, n. 6/7, p. 83–108, 2010. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/1863. Acesso em: 14 abr. 2024.

Resumo

Resumo

 

Este artigo discute, a partir de dois autores significativos do pensamento social brasileiro – Cassiano Ricardo e Alfredo Ellis Jr. –, a relação entre gênero e raça como categorias de ordenamento dos discursos construtores da Nação. Estes ensaístas representam uma vertente de imaginação do Brasil que procura pela gênese da nacionalidade nos momentos fundadores de sua geografia e configuração demográfica. Pretende-se pensar de que maneira a geografia imaginativa neles existente – dividindo o Brasil em sertão e litoral – oportuniza os códigos de gênero e raça para indicar lugares físicos e cívicos para mulheres, homens, negros, brancos e mestiços.

 

Abstract

 

This article, based in two important Brazilian social thinkers – Cassiano Ricardo e Alfredo Ellis Jr. – discusses the relation between gender and race as central categories for the organization of nation-building discourses. These essayists represent a search for the nation’s genesis through the imagination of the fundamental moments of its geographic and demographic configuration. The intention is to reflect about the ways in which an imaginative geography – which divides Brazil between “hinterland” and “coast” – is constructed, and allows codes of gender and race to indicate physical and civic places for women, men, blacks, whites and “mestizos”.

PDF

Referências

ANDERSON, Benedict. Nação e Consciência Nacional. São Paulo, Ática, 1989.

DUMONT, Louis. Homo Hierarchicus. São Paulo, Edusp, 1992

ELLIS JR., Alfredo. Os Primeiros Troncos Paulistas (e o cruzamento euroamericano).São Paulo, Companhia Editorial Nacional,1934.

FOSTER, Robert. “Making national cultures in the global ecumene”. Annual Review of Anthropology (20): 241, 1991.

GROZS, Elisabeth. “Conclusion: a note on essencialism and difference” In: GUNEW, S (ed.) Feminism Knowledge. Critic and construct. London/New York, Routledge, 1990.

JAMESON, Fredric. “Introdução”; “A interpretação: a literatura como ato socialmente simbólico”; e “Conclusão: a dialética da utopia e da ideologia”. In: O inconsciente Político. São Paulo, Ática, 1992.

LAYOUN, Mary. “Telling spaces: Palestian women and the engendering of national narratives”. In PARKER, Andrew et alli: “Introduction”. In: Nationalism and Sexualities. London/New York, Routledge, 1992

LEMAIRE, Ria. “Relendo Iracema: o problema da representação da mulher na construção da identidade nacional”. Organon (16), revista do Instituto de Letras da UFRGS, Porto Alegre, 1989.

MANUEL, Frank E. “From equality to organicism” In: HOROWITZ, M.C. (ed.) Race, Class and Gender in 19th Century Culture. Rochester, University of Rochester Press, 1992.

MONTEIRO, Jonh M. “Caçando com gato: o problema da mestiçagem na obra de Alfredo Ellis Jr.”. Trabalho apresentado na XVII Reunião Anual da Anpocs, Caxambú, 1993, p. 7.

PARKER, Andrew et alii: “Introduction”. In: Nationalism and Sexualities. London/New York, Routledge, 1992

PEREIRA DE QUEIROZ, M.I. ”Ufanismo paulista: vicissitudes de um imaginário”. Revista USP (13): 79-87,1992

RICARDO, Cassiano. Marcha para Oeste. Rio de Janeiro, José Olympio, 1940.

VIDAL E SOUZA, Candice: “A Pátria Geográfica: as representações de sertão e litoral e a construção da Nação no Pensamento Social Brasileiro”. Dissertação de Mestrado, Brasília, PPGAS/UnB,1996.

WILLIAMS, Brackette F. “A class act: Anthropology and race to race nation across ethnic terrain”Annual Review of Anthropology (18): 431, 1989.

Downloads

Não há dados estatísticos.