Banner Portal
Práticas femininas da memória paulista: uma leitura da correspondência dos Pacheco e Chaves
PDF

Palavras-chave

Mulheres. Memória. Elite. Família. Brasil / República

Como Citar

CATELLI, Rosana. Práticas femininas da memória paulista: uma leitura da correspondência dos Pacheco e Chaves. Cadernos Pagu, Campinas, SP, n. 8/9, p. 249–277, 2011. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/1884. Acesso em: 21 maio. 2024.

Resumo

Resumo:

 

Este artigo trata da prática de escrever cartas pessoais, arquivar documentos e produzir memórias. Discute-se como estas experiências possuem sentido de "colonizar" ou "organizar" a História, em tomo de vivências e referências familiares. Estas práticas eram comuns entre as famílias da elite paulista, com especial empenho das mulheres. Mais especificamente, o tema é abordado a partir da leitura da correspondência da família Pacheco e Chaves, escrita entre os anos de 1890 e 1930.

 

Abstract

 

This article focuses on the practice of writing personal letters, preserving documents and producing reminiscenses. Analysing the Pacheco e Chaves family letters, written between 1890 and 1930 by ordinary women among São Paulo upper class families, I discuss how those practices "colonize" history, talking the family as reference.

PDF

Referências

BORGES, Vavy Pacheco. Memória paulista. São Paulo, EDUSP, 1997, pp.4I-42.

BOURDlEU, Pierre. Razões práticas. Campinas, Papirus, 1996, p. 130.

BRESCIANI, Maria Stella. Nas ruas os caminhos da cidade. Cadernos de História de São Paulo, n° 2, São Paulo, Museu Paulista da Universidade de São Paulo, jandez. 1993.

CHAVES Neto, Elias. Minha Vida e as lutas de meu tempo: memórias. São Paulo, Alfa-Omega, ] 977.

Coleção Fernando Pacheco e Chaves - Museu Paulista - Setor de documentação.

CORBAIN, Alain. Bastidores. In: PERROT, Michelle (org.). História da Vida Privada - da Revolução Francesa à Primeira Guerra. Vo1.4, São Paulo, Cia das Letras, 1991, p.457.

GAY, Peter. A educação dos sentidos: a experiência burguesa da rainha Vitória a Freud. São Paulo, Companhia das Letras, 1989, p.320.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo, Vértice/Editora Revista dos Tribunais, 1990, p.71.

Museu Paulista, doc 10.568. S/I, s/d.

Museu Paulista, doc 10.754, 31 de maio de 1922.

Museu Paulista, doc. 10.479. Val-Mont, 2 de agosto de 1911

Museu Paulista, doc. 10.678. São Paulo, 3 de setembro de 1924.

Museu Paulista, doc. 10.731. São Paulo, 14 de dezembro de 1920

Museu Paulista, doc. 10.734. São Paulo, 7 de agosto de 1920.

Museu Paulista, doc. 10.805. Lausanne, 23 de julho de 1914.

Museu Paulista, doc. 10.836. Marechal Hermes, 17 de março de 1920.

Museu Paulista, doc. 10846, Marechal Hermes, 28 de maio de 1920.

Museu Paulista. doc. 10.586. São Paulo, 30 de maio de 1919.

Museu Paulista. doc. 10.667. São Paulo, 17 de março de 1924.

Museu Paulista. doc. 10.730. Davos-Platz, 20 de fevereiro de 1906.

Museu Paulista. doc. 10.524. Santa Cruz, 9 de agosto de 1915.

Museu Paulista. doc. 10.651. Santa Maria, 24 de maio de 1923.

PACHECO E CHAVES, Maria. Os grandes esquecidos de 1/111 Brasil verdadeiro. São Paulo, Liga Independente pela Liberdade, 1970.

PERROT, Michelle. Práticas da memória feminina. Revista Brasileira de História, 9( 18), São Paulo, ANPUH, 1989, p. 15.

POLLAK, Michael. Memória, esquecimento, silêncio. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, 2(3), 1989.

POUBLAN Daniele et alii. Ces Bonnes Lettres:une correspondance familiale au XIX" siècle. Paris, Éditions Albin Michel, 1995.

POUBLAN, Danièle. Affaires et passions. Des lettres parisiennes au milieu du XIX siècle. In: CHARTIER, Roger (org.). La correspondance: les usages de la lettre ao XIX". Paris, Fayard, 1991, p.392.

REIS Filho, Nestor Goulart. São Paulo e outras cidades: produção social e degradação dos espaços urbanos. São Paulo, Hucitec, 1994.

SAINT MARTIN, Monique. Une grande famille. Actes de Ia Recherche en Sciences Sociales, nº 31, Paris, Minuit, 1980.

SANTOS, Boaventura de Souza. A queda do angelus novus: fragmentos de uma nova teoria da história. Novos Estudos CEBRAP, n° 47, São Paulo, março de 1997, p.116.

SUSSEKIND, Flora. O Brasilllào é lone daqui: o narrador, a viagem. São Paulo. Companhia das Letras, 1990, p.11

TRIGO, Maria Helena Bueno. Ser e parecer: estudo sobre as práticas de reprodução social do grupo cafeicultor paulista. São Paulo, dissertação de mestrado, FFLCH-USP, 1989, p.102.

VAZ, Maria Luísa Albiero. Mulheres da elite cafeeira em São Paulo: conciliação e resistência (1890-1930). São Paulo, dissertação de Mestrado, FFLCH-USP, 1995.

Downloads

Não há dados estatísticos.