Gênero e a diferença que ele faz na pesquisa em psicologia

Autores

  • Sandra Azerêdo Universidade Federal de Minas Gerais

Palavras-chave:

Gênero. Pesquisa em psicologia

Resumo

.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandra Azerêdo, Universidade Federal de Minas Gerais

Graduação em Psicologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1969), mestrado em Psicologia (Psicologia Clínica) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1975) e doutorado em History of Consciousness - UNIVERSITY OF CALIFORNIA AT SANTA CRUZ (1986). Professora titular da Universidade Federal de Minas Gerais, aposentada desde fevereiro de 2015. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia Social, atuando principalmente nos seguintes temas: identidade e processos de subjetivação, grupo, sexualidade, teoria feminista, relações de gênero e raciais, diferença e violência. 

Referências

“Intelectuais negras”. Revista Estudos Feministas, vol. 3, nº 2, 1995, pp.464-478.

ALMEIDA, Suely de. Femicídio: algemas (in)visíveis do públicoprivado. Rio de Janeiro, Revinter, 1998

ANZALDÚA, Gloria. (org.) Making Face, Making Soul/HACIENDO CARAS: Creative and Critical Perspectives by Feminists of Color. San Francisco, aunt lute books, 1990, pp.55-71.

AZERÊDO, Sandra. Representations of Sexual Identity and Domestic Labor: Women’s Writings from the United States, Marocco and Brazil. University of California at Santa Cruz, PhD thesis, 1986

BARTHES, Roland. Aula. São Paulo, Cultrix, 12a . edição, 1997, p.16. (Trad. Leyla Perrone-Moisés)

BUTLER, Judith. Bodies That Matter: On The Discursive Limits of “Sex”. New York & London, Routledge, 1993, p.239.

Cadernos Pagu (6-7), Campinas, Unicamp, 1996.

CAMARGO, Márcia. Novas Políticas Públicas de Combate à Violência. In: Mulher e política: Gênero e feminismo no Partido dos Trabalhadores. São Paulo, Fundação Perseu Abramo, 1998, pp.121-135.

Carneiro, Sueli. Gênero, Raça e Ascensão Social. Revista Estudos Feministas, Ano 3, 2o semestre de 1995, p.544.

Cidadania e alteridade: o psicólogo, o homem da ética e a reinvenção da democracia. In: SPINK, Mary Jane. (org.) A Cidadania em Construção: uma reflexão multidisciplinar. São Paulo, Cortez, 1994, p.161.

CLIFFORD, James. Introduction: Partial Truths. In: CLIFFORD, J. e Marcus, G. (eds.) Writing Culture: The Poetics and Politics of Ethnography. Berkeley and Los Angeles, University of California Press, 1986, pp.1-26

Contingent Foundations: Feminism and the Question of “Postmodernism”. In: BUTLER, J. e SCOTT, J. (eds.) Feminists Theorize the Political. New York and London, Routledge, 1992, p.16.

CORRÊA, Mariza. A Natureza Imaginária do Gênero na História da Antropologia. Cadernos Pagu, (5), 1995, p.121. A citação é de Manuela Cunha, em Negros, estrangeiros. São Paulo, Brasiliense, 1985.

Espelho de Vênus: Identidade social e sexual da mulher. São Paulo, Brasiliense, 1981

GREGORI, Maria Filomena. Cenas e Queixas: um estudo sobre mulheres, relações violentas e a prática feminista. São Paulo, Paz e Terra/ANPOCS, 1993.

HARAWAY, D. A Cyborg Manifesto: Science, Technology, and Socialist-Feminism in Late Twentieth Century. In: Simians, Cyborgs, and Women. Op.cit., cap. 8, p.155.

HARAWAY, Donna. Situated Knowledges: the science question in feminism and the privilege of partial perspective. In: Simians, Cyborgs, and Women: The Reinvention of Nature. London, Free Association Books, 1991, cap. 9.

hooks, bell. Ain’t I a Woman? black women and feminism. Boston, South End Press, 1981.

LANGENBACH, Miriam. (org) A Rede Ecológica: um guia de educação ambiental. Rio de Janeiro, Ministério do Meio Ambiente e Amazônia Legal/PUC-PVE, 1997

LEITE, Gabriela. Eu, Mulher da Vida. Rio de Janeiro, Rosa dos Tempos, 1992, p.31.

LINDEN, Robin et alii. Against Sadomasochism: a Radical Feminist Analysis. East Palo Alto, California, Frog In The Well, 1982.

MACDOWEL DOS SANTOS, Maria Cecília. Quem pode falar, onde e como? Uma conversa “não-inocente” com Donna Haraway. Cadernos Pagu (5), 1995, p.71.

Making Face, Making Soul/HACIENDO CARAS: Creative and Critical Perspectives by Feminists of Color. San Francisco, aunt lute books, 1990, pp.55-71.

MANI, Lata. Multiple Mediations: feminist scholarship in the age of multinational reception. Inscriptions (5), 1989.

MINH-HA, Trinh. Not You/Like You: Post-Colonial Women and the Interlocking Questions of Identity and Difference. Inscriptions, nºs ¾, 1988.

MORAGA, Cherríe e ANZALDÚA, Gloria. (eds.) This Bridge Called My Back: Writings by Radical Women of Color. Watertown, Massachusetts, Persephone Press

MOREIRA, Diva. Racismo no Brasil e nos Estados Unidos: Duas Experiências de um mesmo Povo. mimeo, 1997, p.2.

Novos Estudos CEBRAP. “Visões da Globalização”, com apresentação de Teresa Caldeira (nº 49, novembro de 1997).

OLIVEIRA, Francisco de. Os direitos do antivalor: A economia política da hegemonia imperfeita. Petrópolis, Vozes, 1998, p.9.

Outside in the Teaching Machine. New York and London, 1993.

RAGO, Margareth. Os Prazeres da Noite: prostituição e códigos da sexualidade feminina em São Paulo (1890-1930). Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1991.

Relações entre Empregadas e Patroas: reflexões sobre o feminismo em países multiraciais. In: BRUSCHINI, Cristina e COSTA, Albertina Oliveira. (orgs.) Rebeldia e Submissão: Estudos sobre condição Feminina. São Paulo, FFC/Vértice, 1989, pp.195-220.

Revista Estudos Feministas, vol.3, nº 2, 1995.

RIBEIRO, João Ubaldo. Viva o Povo Brasileiro. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1984.

ROLNIK, Suely. Guerra dos Gêneros & Guerra aos Gêneros. Revista Estudos Feministas, vol. 4, nº 1, 1996, pp.118-123.

RUBIN, Gayle. The Leather Menace: Comments on Politics and S/M. In: SAMOIS (ed.) Coming to Power: Writings and Graphics on Lesbian S/M. Palo Alto, California, Up Press, 1981.

RUBIN, Gayle. The Traffic in Women: Notes ont he ‘Political Economy’of Sex. In: REITER, Rayna. (ed.) Toward na Anthropology of Women. New York and London, Monthly Review Press, 1975, pp.157-210.

RUBIN, Gayle. Thinking Sex: Notes for a Radical Theory of the Politics of Sexuality. In: VANCE, Carole. (ed.) Pleasure and Danger: Exploring Female Sexuality. Boston, London, Routledge and Kegan Paul, 1985.

SAFFIOTI, Heleieth e ALMEIDA, Suely de. Violência de Gênero: poder e impotência. Rio de Janeiro, Revinter, 1995

SANDOVAL, Chela. Feminism and Racism: a Report on the 1981 National Women’s Studies Association. Oakland, CA, The Center for Third World Organizing, 1982.

SPIVAK, Gayatri. Can the Subaltern Speak? In: NELSON, C. and GROSSBERG, L. (eds.) Marxism and the Interpretation of Culture. Ithaca, University of Illinois, 1988, pp.271-313.

STRATHERN, Marilyn. Dislodging a world view: challenge and counter-challenge in the relationships between feminism and anthropology. Australian Feminist Studies, 1985, pp.1-25.

Teaching to Transgress: Education as the Practice of Freedom. New York, London, Routledge, 1994.

The Psychic Life of Power: Theories in Subjection. Stanford, California, Stanford University Press, 1997, p.6.

Downloads

Publicado

2013-01-01

Como Citar

Azerêdo, S. (2013). Gênero e a diferença que ele faz na pesquisa em psicologia. Cadernos Pagu, (11), 55–66. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8634462