De clonagens e de paternidades: as encruzilhadas do gênero

Autores

  • Rosely Gomes Costa Universidade Estadual de Campinas

Palavras-chave:

Tecnologias reprodutivas. Clonagem. Paternidade. Gênero. Masculinidade

Resumo

Resumo

 

Centrando-me nas concepções sobre paternidade presentes em diversos âmbitos – mídia, o acadêmico e ONGs – levanto, neste texto, algumas questões. Pensando nas noções de gênero como mediadoras das concepções sobre paternidade, pergunto-me sobre a importância da paternidade na elaboração das concepções sobre masculinidade. Indago-me também sobre as concepções e relações de gênero reveladas através do estudo da masculinidade.

 

Abstract

 

This text focuses conceptions related to paternity circulating in the media, the academic milieu and NGOs discussions. Considering that gender notions mediate conceptions related to paternity, this article raises questions about paternity’s importance in conceptions of masculinity and about gender relations unveiled by studying masculinity

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rosely Gomes Costa, Universidade Estadual de Campinas

Graduação em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (1987), Mestrado em Sociologia pela UNICAMP (1995), Doutorado em Ciências Sociais pela UNICAMP (2001) e Pós-doutorado em Antropologia pela UNICAMP e pela Universidade Autônoma de Barcelona - Espanha - (2005). Tem experiência de docência nas áreas de sociologia, antropologia, consumo e ética. Tem experiência de pesquisa nas áreas de gênero, sexualidade, etnia, consumo e ética. Foi consultora para o Brasil do projeto internacional "Políticas de Aborto en Latinoamérica", organizada posr FLACSO-Chile e financiada pela IRDC canadense. Atualmente é docente e pesquisadora visitante junto ao Núcleo de Estudos da Sexualidade (NUSEX) UNESP Araraquara. 

Referências

ALMEIDA, M.V. de. Senhores de si. Uma interpretação antropológica da masculinidade. Lisboa, Fim de Século, 1995.

ALMEIDA, Miguel Vale de. Gênero, masculinidade e poder: revendo um caso do sul de Portugal. Anuário Antropológico 95, Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 1996, p.165.

ARILHA, M.; RIDENTI, S.; MEDRADO, B. (orgs.) Introdução. In: Homens e masculinidades: Outras palavras. São Paulo, Editora 34/ECOS, 1998.

BADINTER, E. XY, la identidad masculina. Bogotá, Grupo Editorial Norma, 1993.

BROD, H. & KAUFMAN, M. (eds.) Theorizing Masculinities. Thousand Oaks, Sage Publications, 1994.

BUTLER, J. Gender Trouble. Feminism and the subversion of identity. New York, Routledge, 1990, p.16.

CONNEL, R. W. Masculinities. Berkeley, University of California Press, 1995, p.77.

CORNWALL, A. e LINDISFARNE, N. (eds.) Dislocating Masculinity. London, Routledge, 1994.

DAI, Americanos são contra a clonagem humana. Folha de S.Paulo, Caderno Mundo, 06-03-97, p.10

DAI. Dolly tem sua primeira cria, Bonnie, por parto natural. Folha de S.Paulo, Caderno Mundo, 24-04-98, p.15.

DAI. Ovelha preocupa governos de EUA e Europa/ Cientistas discutem a ética do experimento. Folha de S.Paulo, Caderno Mundo, 26-02-97, p.16

DAÍ. Vaticano pede lei contra clone humano. Folha de S.Paulo, Caderno Mundo, 27-02-97, p.16.

DAS AGÊNCIAS INTERNACIONAIS (DAI). Britânicos fazem primeiro clone de ser vivo. Folha de S.Paulo, Caderno (C) Mundo, 24-02-97, p.9.

FAUSTO, Boris. Clonagem e sentimento nacional. Folha de S.Paulo, Opinião, p.3

FIGUEROA PEREA, J.G. e LIENDRO ZIGNONI, E. La presencia del varón en la salud reproductiva. In: HARDY, E. et alii (eds.) Ciências Sociais e Medicina: atualidades e perspectivas latino-americanas. Campinas, CEMICAMP, 1995.

FREIRE, Vinicius. Técnica da ovelha pode duplicar homens. Folha de S.Paulo, 25-02-97, Caderno Mundo, p.15.

FRIEDMAN, S. S. Beyond White and Other: Relationality and Narratives of Race in Feminist Discourse. Signs, vol. 21, nº 1, 1995, p.17.

GABEIRA, Fernando. Não se fazem mais ovelhas como antigamente. Folha de S.Paulo, Ilustrada, 03-03-97, p.4.

GEERTZ, C. A Interpretação das Culturas. Rio de Janeiro, Editora Guanabara, 1989, p.34.

HAMAWI, R. Que querem os homens? In: NOLASCO, S. (org.) Op.cit., 1995, p.9

HARAWAY, D. Saberes localizados: a questão da ciência para o feminismo e o privilégio da perspectiva parcial. Cadernos Pagu (5), 1995.

HILL, G.; SCOTT, P.B.; SMITH, B. (eds.) All the women are white, all the blacks are men, but some of us are brave. Feminist Press, 1982.

KAUFMAN, M. Los hombres, el feminismo y las experiencias contradictorias del poder entre los hombres. In: ARANGO, L.G.; LEÓN, M.

KOFES, S. Categorias analítica e empírica: Gênero e mulher: Disjunções, conjunções e mediações. Cadernos Pagu (1), 1993, pp.28-29.

LAQUEUR, T. Making Sex. Body and Gender from the Greeks to Freud. Harvard University Press, 1990.

LAURENTIS, T. de. A tecnologia do gênero. In: Tendências e Impasses: o feminismo como crítica da cultura. Rio de Janeiro, Rocco, 1994.

MARTINS, Lúcia; SÁ, Vanessa de e FREIRE, Vinicius. Não sabemos se é possível replicar homens. Folha de S.Paulo, 02-03-97

MATHIEU, N.C. Homme-culture et femme-nature? L’Homme, XIII (3), 1973.

MONTGOMERY, M. O novo pai: a dimensão da paternidade. São Paulo, Saraiva, 1994.

MORAGA, C. & ANZALDÚA, G. (eds.) This bridge called my back: writings by radical women of color. Watertown, Mass., Persephone, 1981

NOLASCO, S. (org.) A desconstrução do masculino. Rio de Janeiro, Rocco, 1995, p.7.

ORTNER, S. Is female to male as nature is to culture? In: ROSALDO, M.Z. & LAMPHERE, L. (eds.) Women, culture and society. Stanford, Stanford University Press, 1974

PINA CABRAL, J. de. A lei e a paternidade: as leis de filiação portuguesas vistas à luz da antropologia social. Análise Social, vol. XXVIII, 1993, pp.123-124.

REPORTAGEM LOCAL. Conheça a receita para fazer Dolly. Folha de S.Paulo, Caderno Mundo, 02-03-97, p.20.

REPORTAGEM LOCAL. Perguntas e respostas. SCLIAR, Moacyr. Avanços devem ser analisados à luz da ética. Folha de S.Paulo, Caderno Mundo, 03-03-97, PP 20 e 22

REPORTAGEM LOCAL. Sem pai nem mãe: cientistas descobriram que não são mais precisos um macho e uma fêmea para fazer filhotes. Folha de S.Paulo, Folhinha, 07-03- 97, p.1.

REPORTAGEM LOCAL. Você vê problemas na clonagem de seres humanos? Folha de S.Paulo, Folhateen, 04-03-97, p.2

SANTOS, B. de S. Modernidade, identidade e a cultura de fronteira. In: Pela mão de Alice. O social e o político na pós-modernidade. Porto, Edições Afrontamento, 1994, p.119.

SARNEY, José. Nós e a ovelha Dolly. Folha de S.Paulo, Opinião, 28-02-07, p.2.

SCHWARTSMAN, Hélio. Bioética deve ser debatida. Folha de S.Paulo, 25-02-97, Caderno Mundo, p.15

STOLCKE, V. Derechos reproductivos. In: AZERÊDO, S. e STOLCKE, V. (orgs.) Direitos reprodutivos. São Paulo, FCC/DPE, 1991.

STRATHERN, M. Necessidade de pais, necessidade de mães. Estudos Feministas, ano 3, nº 2, Rio de Janeiro, 1995.

STRATHERN, M. The Gender of the Gift. Problems with women and problems with society in Melanesia. Berkeley, University of California Press, 1988.

VIVEROS, M. (comps.) Género e identidad. Ensayos sobre lo femenino y lo masculino. Bogotá, TM Editores, 1995.

Downloads

Publicado

2013-01-01

Como Citar

Costa, R. G. (2013). De clonagens e de paternidades: as encruzilhadas do gênero. Cadernos Pagu, (11), 157–199. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8634470