Ruralidades atravessadas: jovens do meio campeiro e narrativas sobre o Eu e o(s) Outro(s) nas redes sociais

  • Miriam Adelman Universidade Federal do Paraná
  • César Bueno Franco Universidade Federal do Paraná
  • Andressa Fontana Pires Universidade Federal do Paraná
Palavras-chave: Cultura Campeira. Juventude. Novas Ruralidades. Gênero. Redes Sociais. Tradicionalismo Gaúcho

Resumo

O presente texto apresenta reflexões sobre gênero e identidades entre jovens participantes da “cultura campeira” do sul do Brasil, investigando sua relação com as novas discursividades veiculadas pela internet e as redes sociais. A pesquisa foi realizada com usuários do Facebook, de modo a explorar construções de masculinidade e feminilidade, corpo e sexualidade, consumo e identidades culturais e uso do lazer. A hipótese sugerida pela pesquisa etnográfica em curso é que as mídias digitais, ao viabilizar a inserção dessxs jovens numa malha de circulação discursiva mais ampla, oferecem canais para novas reflexões que interrompem, mesmo que parcialmente, formas hierárquicas “tradicionais” para pensar sobre ser mulher ou homem, “hetero” ou “homossexual”, “rural” ou “urbano”, etc.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Miriam Adelman, Universidade Federal do Paraná
Professora do Departamento de Sociologia e dos Programas de Pós-Graduação em Sociologia e Estudos Literários da Universidade Federal do Paraná
César Bueno Franco, Universidade Federal do Paraná
Mestre em Sociologia pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia pela Universidade Federal do Paraná
Andressa Fontana Pires, Universidade Federal do Paraná
Graduada em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Paraná

Referências

ADELMAN, Miriam. “As prendas também vestem bombacha!” Mulheres, homens e novas configurações de gênero no mundo do rodeio paranaense. In: DA LUZ, Nanci Stancki Casagrande; LINDAMIR, Salete. (Orgs.) Entrelaçando gênero e diversidade: múltiplos olhares. Curitiba, Editora da UTFPR. No prelo.

ADELMAN Miriam e LECHACOSKI, Leandro. Qui est prenda, qui est peao ? Renégocier des corporéités et des subjectivités dans le rodéo du Sud du Brésil. In: AYRAL, S. e RAIBAUD, Y. (Orgs.) Pour en finir avec la fabrique des garçons. Vol 2: Loisirs, sport, culture. Bordeaux, éditions MSHA, 2014, pp.147-158.

ADELMAN, Miriam e KNIJNIK, Jorge. Introduction - women, men and horses: looking at the equestrian world through a gender lens. In: ADELMAN, M e KNIJNIK, J. Gender in equestrian sport: riding around the world. Dordrecht/Heidelberg/New York/London, Springer, 2013, pp.1-14.

ADELMAN, Miriam e BECKER, Gabriela. Tradition and transgression: women who ride the rodeo in southern Brazil. In: ADELMAN, M e KNIJNIK, J. Gender in equestrian sport: riding around the world. Dordrecht/Heidelberg/New York/London, Springer, 2013, pp.73-90.

AMARAL, Adriana. Etnografia e pesquisa em cibercultura: limites e insuficiências metodológicas. Revista USP. São Paulo, 2010, nº 86, pp.122-135 [http://www.revistas.usp.br/revusp/article/download/13818/15636- – acesso em: maio 2013.

APPADURAI, Arjun. Modernity at Large: Cultural Dimensions of Globalization. Minneapolis/London, University of Minnesota Press, 1996.

ASPLING, Fredrik. The private and the public in online presentations of the self: a critical development of Goffman’s dramaturgical perspective. Dissertação de Mestrado, Sociology, Stockholms Universitet, 2011.

BARBERO, Jesús Martín. Jóvenes: comunicación e identidade. Revista Digital de la OEI Pensar Iberoamérica, vol. 0, 2002, pp.7–14 [http://www. comisionporlamemoria.org/investigacionyense%C3%B1anza/pdf_biblioteca/Barbero.pdf – acesso em: maio 2014].

BAYM, Nancy K. Personal connections in the digital age. Malden, Polity Press, 2013.

BECKER, Gabriela. Prendas e peões num mundo em transição? A participação feminina nas práticas equestres do laço comprido. Monografia de graduação, Ciências Sociais, UFPR, 2013.

BOUDREAU, Kelly; DIXON, Shanly. Playing with social network sites: actual & ideal selves. Selected Paper of Internet Research 14.0. Denver, 2013 [http://spir.aoir.org/index.php/spir/article/viewFile/696/291- – acesso em: jan. 2015].

BRAGA, Adriana. Personas materno-eletrônicas: feminilidade e interação no blog Mothern. Porto Alegre, Sulina, 2008.

ELIAS, Norbert e DUNNING, Eric. Quest for Excitement: Sport and Leisure in the Civilizing Process. London, Blackwell Publishers, 1992.

FACIOLI, Lara Roberta Rodrigues. Conectadas – Uma análise de práticas de ajuda-múta feminina na era das mídias digitais. Dissertação de Mestrado, Sociologia, Universidade Federal de São Carlos, 2013.

FRANCO, César B. “Como conquistar mulheres?” – Masculinidade e subjetivação em uma comunidade virtual. Dissertação de Mestrado, Sociologia, UFPR, 2015.

GIDDENS, Anthony. As Consequências da Modernidade. São Paulo, Unesp, 1991.

GOFFMAN, Erving. A Representação do Eu na Vida Cotidiana. Petrópolis, Editora Vozes, 1985.

HALL, Stuart. Da Diáspora: Identidades e Mediações Culturais. Belo Horizonte, Editora UFMG/Humanitas, 2003.

HALL, Stuart. A Identidade Cultural na Pós-Modernidade. Rio de Janeiro, DP&A, 2001.

LASCH, Christopher. The Culture of Narcissism: American Life in an Age of Diminishing Expectations. New York, Warner Books, 1979.

LEMOS, Andre. Cibercultura: tecnologia e vida social na cultura contemporânea. Porto Alegre, Ed. Sulina, 2010.

LEVY, Pierre. A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. São Paulo, Loyola, 2011.

MAGUIRE, Joseph. Global Sport: Identities, Societies, Civilizations. London/New York, Polity Press, 1999.

MILLER, Hugh. The presentation of self in electronic life: Goffman on the internet. Paper presented at Embodied Knowledge and Virtual Space conference, University of London, 1985 [http://www.douri.sh/classes/ics234cw04/miller2.pdf – acesso em: jan. 2015].

MISKOLCI, Richard. Novas conexões: notas teórico-metodológicas para pesquisas sobre o uso de mídias digitais. Cronos, Revista da Pós-Graduação em Ciências Sociais, UFRN, Natal, vol. 12, nº 2, jul./dez., 2011, pp.9-22.

PASCOE, C. J. Studying young people's new media use: methodological shifts and educational innovations. Theory into practice, vol. 51, abr. 2012, pp.76-82.

PASCOE, C. J. Resource and risk: youth sexuality and new media use. Sexuality, Research and Social Policy, vol. 8, mar. 2011, pp.5-17.

PEREIRA, Alexandre B. Muitas Palavras: a discussão recente sobre juventude nas Ciências Sociais, 2010 [http://nau.fflch.usp.br/sites/nau.fflch.usp.br/files/upload/paginas/Artigo-Alexandre-Barbosa-Pereira.pdf – acesso em: abril 2014].

PIERSON, Melissa H. Dark Horses and Black Beauties: Animals, Women, a Passion . New York, W.W. Norton & Company, 2001.

PIRES, André. Ruralidades em Transformação: Agricultores, Caseiros e Moradores de Condomínio. São Paulo, Annablume, 2007.

PIRES, Andressa F. Tradição e juventude: uma investigação sociológica sobre as dinâmicas da identidade gaúcha. Monografia de Graduação, Ciências Sociais, UFPR, 2014.

POSTMAN, Neil. Tecnopólio: a rendição da cultura à tecnologia. São Paulo, Nobel, 1994.

RHEINGOLD, Howard. A comunidade virtual. Lisboa, Gradiva, 1996.

SAID, Edward. Orientalism. Londres, Penguin Books, 1977.

SEDGWICK, Kosofsky Eve. Between Men: English Literature and Male Homosocial Desire. New York, Columbia University Press, 1985.

SOPELSA, Renata. Aquerenciados em um novo rincão: migrantes e o culto às tradições gaúchas na cidade de Ponta Grossa, PR, 1958-1968. Dissertação de Mestrado, História, UFPR, 2005.

TAYLOR, Anthea. Single Women in Popular Culture: the Limits of Post-feminism. New York, Palgrave/Macmillan, 2012.

TURKLE, Sherry. A vida no ecrã – a identidade na era da internet. Lisboa, Relógio D'Água Editores, 1997.

WELLER, Wivian. A presença feminina nas (sub)culturas juvenis: a arte de se tornar visível. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, vol.13, nº 1, jan./abr., 2005, pp.107-126.

ZAGO, Luís Felipe. Os meninos – corpo, gênero e sexualidade através de um site de relacionamentos. Tese de Doutorado, Educação, UFRGS, 2013.

Publicado
2015-06-24
Como Citar
Adelman, M., Franco, C. B., & Pires, A. F. (2015). Ruralidades atravessadas: jovens do meio campeiro e narrativas sobre o Eu e o(s) Outro(s) nas redes sociais. Cadernos Pagu, (44), 141-170. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8637325