Banner Portal
A pedagogia das políticas públicas de saúde: norma e fricções de gênero na feitura de corpos
Português

Palavras-chave

Governamentalidade. Subjetividade. Políticas Públicas de Saúde. Corpo. Gênero

Como Citar

VASCONCELOS, M. de F. F. de; SEFFNER, F. A pedagogia das políticas públicas de saúde: norma e fricções de gênero na feitura de corpos. Cadernos Pagu, Campinas, SP, n. 44, p. 261–298, 2015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8637333. Acesso em: 2 mar. 2024.

Resumo

A finalidade deste artigo, inspirado e vitalizado por nossas inserções no campo da saúde pública, é pensar políticas corporais de subjetivação e de gênero inscritas no empreendimento da governamentalidade. As políticas públicas de saúde são entendidas como territórios de ensino, atuando como pedagogias engajadas na formatação de corpos marcados por normas regulatórias de gênero, mas também como territórios de (des)aprendizagem, na medida em que experimentações de gênero friccionam e subvertem tais normas, abrindo corpos ao descaminho.
Português

Downloads

Não há dados estatísticos.