Do feminismo aos estudos de gênero no Brasil: um exemplo pessoal

Autores

  • Mariza Corrêa Universidade Estadual de Campinas

Resumo

O movimento feminista no Brasil contemporâneo1 , que teve sua maior expressão na década de 1970, esteve intimamente articulado com outros movimentos sociais da época: movimentos populares – que iam desde a luta por moradia, passando por melhores condições de vida (água encanada, luz, transporte), até a luta pela criação de creches nas fábricas e universidades (o que era uma lei antiga, mas não cumprida); movimentos políticos – aí incluídos os movimentos pela anistia aos presos políticos, pela luta contra o racismo, pelos direitos à terra dos grupos indígenas do país e o movimento dos homossexuais. Tudo isto está bem documentado numa série de artigos, livros e teses e não vou me estender muito sobre esse contexto.2

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariza Corrêa, Universidade Estadual de Campinas

foi professora do Departamento de Antropologia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp durante trinta anos e atualmente é pesquisadora do Pagu/Núcleo de Estudos de Gênero da mesma universidade, no qual coordena um Projeto Temático da Fapesp sobre gênero e corporalidade. Integra o corpo docente da Área de Gênero no Programa de Doutorado em Ciências Sociais da Unicamp. Bolsista do CNPq. Ex-presidente da Associação Brasileira de Antropologia

Downloads

Publicado

2016-03-29

Como Citar

CORRÊA, M. Do feminismo aos estudos de gênero no Brasil: um exemplo pessoal. Cadernos Pagu, Campinas, SP, n. 16, p. 13-30, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8644535. Acesso em: 26 nov. 2020.