Silêncio e (meta)linguagem em “Fale com ela”

Autores

  • Renata Farias Felippe Universidade Federal do Rio Grande

Resumo

Não há gritos em “Fale com ela”. Nem femininos, nem de nenhuma espécie. Aliás no filme, contrariando o clichê, as mulheres pouco falam, e o uso do tempo verbal no imperativo presente no título denuncia este silêncio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Farias Felippe, Universidade Federal do Rio Grande

Graduada em Letras/Português pela Fundação Universidade Federal do Rio Grande (2000), Mestre em Literatura Brasileira pela Universidade Federal de Santa Catarina (2003) e Doutora em Teoria Literária (2009) pela mesma instituição. Professora Adjunta (nível 3) na Universidade Federal de Santa Maria, atuou também como Professora Substituta na Universidade Federal de Santa Catarina (2009 a 2010.1) e na Fundação Universidade Federal do Rio Grande (2003 e 2004). Seus temas de interesse são Literatura Contemporânea; Gêneros; Intermidialidades

Downloads

Publicado

2016-03-31

Como Citar

FELIPPE, R. F. Silêncio e (meta)linguagem em “Fale com ela”. Cadernos Pagu, Campinas, SP, n. 23, p. 399–411, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8644671. Acesso em: 25 out. 2021.

Edição

Seção

Resenhas