Banner Portal
A educação sanitária como profissão feminina
Remoto

Palavras-chave

História da Educação. Educação Sanitária. Saúde. Maria Antonieta de Castro. Educadoras Sanitárias

Como Citar

ROCHA, Heloísa Helena Pimenta. A educação sanitária como profissão feminina. Cadernos Pagu, Campinas, SP, n. 24, p. 69–104, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8644686. Acesso em: 13 jun. 2024.

Resumo

Tomando como ponto de partida o processo de institucionalização da educação sanitária em São Paulo, este artigo procura retraçar a trajetória de Maria Antonieta de Castro, profissional cuja atuação se confunde com a implementação de um novo modelo de intervenção em saúde pública, instituído pela Reforma Paula Souza em 1925. Por meio do exame da inserção dessa professora primária no campo da saúde pública, procura-se compreender a constituição de uma profissão que, lançando mão dos quadros do magistério, se configuraria em uma profissão predominantemente feminina.

Abstract

Focusing the process of institutionalization of sanitary education in the state of São Paulo (Brazil), this article tries to outline the career of sanitary educator Maria Antonieta de Castro. Her professional performance intertwines with the implementation of a new intervention model in public health, instituted by the Paula Souza Reform in 1925. Analyzing the insertion of this primary teacher in the field of public health, it intends to understand the constitution of a profession that became a women’s career.

Key Words: History of Education. Sanitary Education. Health. Maria Antonieta de Castro. Sanitary Educators

Remoto

Downloads

Não há dados estatísticos.