Modernização, políticas públicas e sistema de gênero no Brasil: educação e profissionalização feminina entre as décadas de 1920 e 1940

Autores

  • Nara Azevedo Fundação Oswaldo Cruz
  • Luiz Otávio Ferreira Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Palavras-chave:

Modernização. Políticas Públicas. Sistema de Gênero. Educação. Profissionalização Feminina

Resumo

Para um contingente importante de mulheres, sobretudo as de classe média urbana, as experiências de escolarização proporcionada pelas políticas sociais e, mais especificamente, pelas políticas educacionais implantadas isoladamente a partir dos anos 1920, que efetivamente se institucionalizaram na chamada era Vargas, foram em larga medida responsáveis por importantes mudanças no sistema de gênero, especialmente no que diz respeito à inserção profissional de mulheres no mundo acadêmico e científico. Este texto tem o propósito de rever uma interpretação relativamente consolidada na literatura sobre esse assunto, que tende a minimizar as conseqüências operadas por essas reformas no perfil educacional da população feminina.

Abstract

The social policies and, more specifically, the educational policies implemented in Brazil as of the 1920’s in an isolated base, and effectively institutionalized during the Vargas era, encouraged a formal schooling process experimented by an important number of women, mostly by those from an urban middle class. These experiences were considerably responsible for relevant changes in the gender system, particularly in respect to women professional insertion in the academic and scientific world. This article aims to review a rather recognized interpretation in the specialized literature that tends to minimize the consequences produced by these reforms in the educational profile of the female population.

Key Words: Modernization, Public Policies, Gender System, Education, Women Professionalization

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Otávio Ferreira, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal Fluminense, mestrado em Sociologia e Antropologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, e doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo. É pesquisador da Casa de Oswaldo Cruz/Fundação Oswaldo Cruz e docente do Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde (COC/Fiocruz). É professor adjunto da Faculdade de Educação da Baixada Fluminense da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) 

Referências

APPLE, Rima D. Mothers & Medicine. A social history of infant feeding, 1890-1950. Maidson, The University of Wisconsin Press, 1987.

ARAÚJO, Rosa Maria Barbosa de. A vocação do prazer. A cidade e a família no Rio de Janeiro republicano. Rio de Janeiro, Rocco, 1993.

AVELINO FILHO, George. Cordialidade e civilidade em Raízes do Brasil.

Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol. 5, n° 12, fev. 1990.

BENCHIMOL, Jaime Larry. Pereira Passos: um Haussmann tropical. Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, Turismo e Esportes.

Departamento Geral de Documentação e Informação Cultural, Divisão de Editoração, 1992.

BERMAN, Marshall. Tudo que é sólido desmancha no ar. A aventura da modernidade. São Paulo, Companhia das Letras, 1986.

BESSE, Susan. Modernizando a desigualdade: reestruturação da ideologia de gênero no Brasil (1914-1940). São Paulo, Edusp, 1999.

BRESCIANI, Maria Stela. Cidade e história. In: OLIVEIRA, Lucia Lippi.

(org.) Cidade: história e desafios. Rio de Janeiro, Ed. FGV, 2002.

BRUSCHINI, Cristina e AMADO, Tina. Estudos sobre a mulher e educação: algumas questões sobre o magistério. Cadernos de Pesquisa (64), 1988, pp.4-13.

CARVALHO, Marta Maria Chagas de. Molde Nacional e Fôrma Cívica: higiene, moral e trabalho no projeto da Associação Brasileira de Educação (1924-1931). Bragança Paulista, Edusf, 1998.

CUNHA, Luiz Antonio. O ensino de ofícios nos primórdios da industrialização. São Paulo, Editora Unesp, 2000.

DERMARTINI, Zélia de Brito F. e ANTUNSA, Fátima Ferreira. Magistério primário: profissão feminina, carreira masculina. Cadernos de Pesquisa (86), 1993, pp.5-14.

EVANGELISTA, Olinda. Formar o mestre na universidade: a experiência paulista nos anos de 1930. Educação e Pesquisa, vol. 27, nº 2, jun/dez 2001, pp.247-259.

FÁVERO, Maria de Lourdes Albuquerque e BRITTO, Jader de Medeiros.

(orgs.) Dicionário de Educadores do Brasil. Rio de Janeiro, Editora UFRJ/MEC-Inep-Comped, 2002.

FERNANDES, Florestan. FFCL – USP: lições pedagógicas de uma crise. In: Fernandes, Florestan. Educação e Sociedade no Brasil. São Paulo, Dominius Editora/Edusp, 1966, pp.262-263.

FREYRE, Gilberto. Sobrados e Mucambos: decadência do patriarcado e desenvolvimento do urbano. 14° ed. Revista, São Paulo, Global, 2003.

GOMES, Ângela de Castro. O primeiro Governo Vargas: Projeto Político e Educacional. In: MAGALDI, Ana Maria; ALVES, Claudia e GONDRA, José G. (orgs.) Educação no Brasil: história, cultura e política.

Bragança Paulista, Edusf, 2003, pp.445-462.

HANNER, June Edith. Emancipação do sexo feminino. A luta pelos diretos da mulher no Brasil, 1850-1940. Florianópolis/Santa Cruz do Sul, Ed. Mulheres/Edunisc, 2003.

HOBSBAWN, Eric. A era dos impérios (1875-1914). Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1988.

HOLANDA, Sérgio Buarque. Raízes do Brasil. São Paulo, Companhia das Letras, 1995.

LIMONGI, Fernando. Mentores e clientelas da Universidade de São Paulo. In: MICELI, Sergio. (org.) História das Ciências Sociais no Brasil. São Paulo, Vértice/Editora Revista dos Tribunais/Edesp, 1989, pp.111-187.

LOURO, Guacira Lopes e MEYER, Dagmar. A escolarização do doméstico. A construção de uma escola técnica feminina (1946- 1970). Cadernos de Pesquisa (87), 1993.

MALUF, Marina e MOTT, Maria Lúcia. Recônditos do mundo feminino.

In: SEVCENKO, N. (org.) História da Vida Privada no Brasil. Da belle époque à era do rádio. Vol. 3. São Paulo, Companhia das Letras, 1998. [Coordenador geral da coleção: Fernando A. Novais.] MATTA, Roberto da. Carnavais, malandros e heróis: para uma sociologia do dilema brasileiro. Rio de Janeiro, Rocco, 1979.

MORSE, Richard. As cidades periféricas como arenas culturais. Estudos Históricos, vol. 8, n° 16, Rio de Janeiro, 1995, pp.205-225.

NAGLE, Jorge. Educação e Sociedade na Primeira República. Rio de Janeiro, DP&A, 2001.

NUNES, Clarice. O ‘velho’ e ‘bom’ ensino secundário: momentos decisivos. Revista Brasileira de Educação, nº 14, mai/jun/jul/ago 2000, pp.45-50.

________. A Escola Redescobre a Cidade (Reinterpretação da modernidade pedagógica no espaço urbano carioca, 1910-1935). Rio de Janeiro, Universidade Federal Fluminense, 1993 [Tese apresentada ao Concurso para professor Titular em História da Educação].

PERROT, Michele. As mulheres ou os silêncios da história. Bauru-SP, Edusc, 2005.

________. Sair. In: FRAISSE, Geneviève e PERROT, Michelle. (dir.) História das Mulheres no Ocidente. Volume 4 – O século XIX.

Porto/São Paulo, Edições Afrontamento/Ebradil, s/d, pp.503-540 [Direção geral: George Duby e Michelle Perrot].

ROCHA, Heloisa Helena Pimenta. A educação sanitária com profissão feminina. Cadernos Pagu (24), Núcleo de Estudos de Gênero – Pagu/Unicamp, janeiro-junho de 2005, pp.69-104.

ROLEMBERG, Fúlvia. Educação formal, mulher e gênero no Brasil.

Estudos Feministas, vol. 9, nº 2, 2001, pp.521-527.

SCOTT, Joan. História das mulheres. In: BURKE, Peter. (org.) A escrita da história: novas perspectivas. São Paulo, Editora da Unesp, 1992.

SCHWARTZMAN, Simon; BOMENY, Helena Maria Busquet e COSTA, Vanda Maria Ribeiro. Tempos de Capanema. São Paulo, Paz &Terra/FundaÇão Getúlio Vargas, 2000.

SEVCENKO, Nicolau. Introdução. O prelúdio republicano, astúcias da ordem e ilusões de progresso. In: SEVCENKO, N. (org.) História da Vida Privada no Brasil. Da belle époque à era do rádio. Vol. 3. São Paulo, Companhia das Letras, 1998, pp.7-47 [Coordenador geral da coleção: Fernando A. Novais].

_________. [a]. A capital irradiante: técnica, ritmos e ritos do Rio. In: SEVCENKO, N. (org.) História da Vida Privada no Brasil. Da belle époque à era do rádio. Vol. 3. São Paulo, Companhia das Letras, 1998, pp.7-47 [Coordenador geral da coleção: Fernando A. Novais].

_________. Orfeu extático na metrópole: São Paulo, sociedade e cultura nos frementes anos 20. São Paulo, Companhia das Letras, 1992.

SPOSITO, Marília Pontes. O povo vai à escola. A luta popular pela expansão do ensino público em São Paulo. São Paulo, Loyola, 1984.

TARUNI, Leonor Maria. História da formação de professores. Revista Brasileira de Educação, nº 14, mai/ago 2000.

TUPY, Ismênia Spinola Silveira. Resistência ou Transformações? Os números da educação feminina nos recenseamentos gerais da população. Estado de São Paulo, 1940-1970. Trabalho apresentado no XIII Encontro da Associação Brasileira de Estudos Populacionais.

Ouro Preto, 2002.

VELHO, Gilberto. Estilo de vida urbano e modernidade. Estudos Históricos, vol.8, n° 16, Rio de Janeiro, 1995, pp.227-234.

VELHO, Lea e PROCHAZKA, Maria Viviana. Mulheres na Ciência: No que o mundo da ciência difere dos outros mundos?. ComCiencia, Campinas, Brasil, 10 dez. 2003.

VIANNA, Luiz Jorge Werneck. A revolução passiva: iberismo e americanismo no Brasil. Rio de Janeiro, Revan, 1997.

VIDAL, Diana Gonçalves e RODRIGUES, Rosane Nunes. A casa, a escola ou trabalho: o Manifesto e a profissionalização feminina no Rio de Janeiro (1920-30). In: Xavier, Maria do Carmo. (org.) Manifesto dos Pioneiros da Educação: um legado educacional em debate. Rio de Janeiro, Editora FGV, 2004, pp.89-112.

_________ e PAULILO, Antônio. Projetos e estratégias de implementação da escola nova na capital do Brasil. In: MAGALDI, A. et alii (orgs.) Educação no Brasil: história, cultura e política. Bragança Paulista-SP, Edusf, 2003.

VIDAL, D.G. O exercício disciplinado do olhar: livros, leituras e práticas de formação docente no Instituto de Educação do Distrito Federal (1932-1937). Bragança Paulista-SP, Edusf, 2001.

_________. “Educação Doméstica” e reformas da instrução pública do Distrito Federal. Cadernos de Pesquisa (99), nov. 1996.

WEGNER, Robert. A conquista do oeste: a fronteira na obra de Sérgio Buarque de Holanda. Belo Horizonte, Ed. UFMG, 2000.

WERLE, Flávia Obino de Corrêa. Práticas de gestão e feminização do magistério. Cadernos de Pesquisa, vol. 35, nº126, set/dez 2005, pp.609-634

Downloads

Publicado

2016-04-05

Como Citar

AZEVEDO, N.; FERREIRA, L. O. Modernização, políticas públicas e sistema de gênero no Brasil: educação e profissionalização feminina entre as décadas de 1920 e 1940. Cadernos Pagu, Campinas, SP, n. 27, p. 213–154, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8644774. Acesso em: 7 dez. 2021.