Entrevista com Sherry Ortner

  • Guita Grin Debert Universidade Estadual de Campinas
  • Heloisa Buarque Almeida Universidade de São Paulo

Resumo

Curiosidade pelos detalhes da vida brasileira, senso de humor refinado e muita animação fazem de Sherry Ortner uma interlocutora extremamente interessante e agradável. A convite da Associação Brasileira de Antropologia e na condição de conferencista na XXVª Reunião Brasileira de Antropologia realizada em Goiânia, ela chegou em São Paulo na manhã do dia 9 de junho de 2006. 1 Na companhia de Benedito Rodrigues dos Santos e de Fabrizio Rigout aceitou com entusiasmo o convite para almoçarmos num restaurante de comidas típicas brasileiras, seguido de um passeio pela Avenida Paulista. Apesar de ter passado a noite anterior num avião, ela se mostrou disposta a nos dar a entrevista que publicamos a seguir, antes do encontro com antropólogos que marcamos para depois do jantar no Bar Balcão.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Heloisa Buarque Almeida, Universidade de São Paulo
Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (1988), mestrado em Antropologia pela Universidade de São Paulo (1995) e doutorado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (2001). Atualmente é professora doutora da Universidade de São Paulo, Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, tendo coordenado entre 2014-2015 o programa USP Diversidade, que visa combater as desigualdades de gênero, sexualidade e raça na universidade. Foi membro da Diretoria da Associação Brasileira de Antropologia na gestão 2013-2014, e atualmente é membro do Comitê de Gênero e Sexualidade da mesma associação. Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Antropologia Urbana e Marcadores Sociais da Diferença, atuando principalmente nos seguintes temas: gênero, mídia, consumo, família, corpo, violência de gênero.

Referências

BRODKIN, Karen. How Jews Became White Folks & what that says about race in America. New Brunswick/New Jersey/London, Rutgers University Press, 1998.

MOHANTY, Chandra. Under Western Eyes: Feminist Scholarship and Colonial Discourses. Feminist Review, 30, 1988.

ORTNER, Sherry B. Anhropology and Social Theory. Durham, NC and London, Duke University Press (no prelo) ________. New Jersey Dreaming. Capital, Culture and the Class of '58.

Durham, NC and London, Duke University Press, 2003.

________. Life and Death on Mount Everest: Sherpas and Himalayan Mountaineering. Princeton, Princeton University Press, 1999.

________. (ed.) The Fate of “Culture”: Geertz and Beyond. University of California Press, 1999.

________. Making Gender – The politics and erotics of culture. Boston, Beacon Press, 1996.

________. Theory in Anthropology since the Sixties. Comparative Studies in Society and History 26, 1984, pp.126-166.

________. Sherpas through their Rituals. Cambridge, Cambridge University Press, 1978.

________. e WHITEHEAD, Harriet. Sexual Meanings, The Cultural Construction of Gender and Sexuality. Cambridge, Cambridge University Press, 1981.

ROSALDO, Michelle e LAMPHERE, Louise. A Mulher, a cultura, a sociedade. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1979. [Women, Culture and Society, Stanford, Stanford University Press, 1974.]

Publicado
2016-04-05
Como Citar
Debert, G. G., & Almeida, H. B. (2016). Entrevista com Sherry Ortner. Cadernos Pagu, (27), 427-447. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8644781