A teoria queer e a Reinvenção do corpo

Autores

  • Pedro Paulo Gomes Pereira Universidade Federal de São Paulo

Resumo

A expressão queer, utilizada como forma de auto-designação – repetindo e reiterando vozes homofóbicas que assinalam a abjeção daquele que é denominado queer, mas descontextualizando-as desse universo de enunciação, já que se atribui valores positivos ao termo, transformando-o numa forma orgulhosa de manifestar a diferença –, pode ocasionar uma inversão da cadeia de repetição que confere poder a práticas autoritárias precedentes, uma inversão dessa historicidade constitutiva. (Butler, 2002) Algo novo surgiria, então, desse processo, anunciando a irredutibilidade e expressando a incômoda e inassimilável diferença de corpos e almas que teimam em se fazer presentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Paulo Gomes Pereira, Universidade Federal de São Paulo

A expressão queer, utilizada como forma de auto-designação – repetindo e reiterando vozes homofóbicas que assinalam a abjeção daquele que é denominado queer, mas descontextualizando-as desse universo de enunciação, já que se atribui valores positivos ao termo, transformando-o numa forma orgulhosa de manifestar a diferença –, pode ocasionar uma inversão da cadeia de repetição que confere poder a práticas autoritárias precedentes, uma inversão dessa historicidade constitutiva. (Butler, 2002) Algo novo surgiria, então, desse processo, anunciando a irredutibilidade e expressando a incômoda e inassimilável diferença de corpos e almas que teimam em se fazer presentes.

Referências

ANDERSON, Benedict. Nação e Consciência Nacional. São Paulo, Ática, 1989.

BENTO, Berenice. A reinvenção do corpo: sexualidade e gênero na experiência transexual. Rio de Janeiro, Garamond, 2006.

BUTLER, Judith. Cuerpos que importan: sobre los límites materiales y discursivos del “sexo”. Buenos Aires, Paidós, 2002a [Versão em espanhol de Boddies that Matter: On the discursive limits of sex. New York, Routledge,1998.

_________. Undoing Gender. New York, Routledge, 2004.

CORRÊA, Mariza. Convenções Culturais & Fantasias Corporais. In: PEIXOTO, Fernanda et alii. Antropologia, Histórias, Experiências. Belo Horizonte, Ed. UFMG, 2004.

DUARTE, Luiz Fernando Dias. O império dos sentidos: sensibilidade, sensualidade e sexualidade na cultura ocidental moderna. In: HEILBORN, M. L. (org) Sexualidade. O olhar das ciências sociais. Rio de Janeiro, Zahar, 1999.

_________. A sexualidade nas Ciências Sociais: leitura crítica das convenções. In: PISCITELI, Adriana et alii (orgs.) Sexualidade e Saberes: Convenções e fronteiras. Rio de Janeiro, Garamond, 2004.

NIETO, José Antonio. Transexualidad, transgenerismo y cultura: antropología, identidad y género. Madrid, Talasa Ediciones, 1998.

PRECIADO, Beatriz. Manifiesto contra-sexual: prácticas subversivas de identidad sexual. Madrid, Pensamiento Opera Prima, 2002.

POLANYI, Karl. A grande transformação. As origens da nossa época. Rio de Janeiro, Campus, 2000.

RABINOW, P. Artificiality and enlightenment: from sociobiology to biosociality. In: CRARY, J. e KWINTER, S. (orgs.) Incorporations. New York, Zone Books, 1992, pp.234-252.

RICH, Adrienne. Compulsory Heterosexuality and Lesbian Existence. In: ABELOVE, H.; BARALE, M.A; HALPERIN, D.M. (orgs.) The Lesbian Studies and Gay Studies. New York, Routledge, 1993.

Downloads

Publicado

2016-04-05

Como Citar

PEREIRA, P. P. G. A teoria queer e a Reinvenção do corpo. Cadernos Pagu, Campinas, SP, n. 27, p. 469–477, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8644784. Acesso em: 20 jan. 2022.