Sexualidade, cultura e política: a trajetória da identidade homossexual masculina na antropologia brasileira

Autores

  • Sérgio Carrara Universidade Estadual do Rio de Janeiro
  • Júlio Assis Simões Universidade Estadual de Campinas

Palavras-chave:

Homossexualidade. Antropologia Brasileira. Identidades Sexuais. Identidade Nacional

Resumo

Nosso objetivo é explorar o modo pelo qual o “jeito” supostamente brasileiro de organizar as categorias ou identidades sexuais (especialmente em relação à homossexualidade masculina) vem sendo tematizado na antropologia desde finais dos anos 1970, transformando-se às vezes num eixo para a construção/manutenção de uma identidade nacional caracterizada como exótica, retardatária e “não-ocidental”. Também traçamos paralelos entre dois momentos da reflexão sobre as relações entre sexualidade, cultura e política, procedendo a uma breve revisão de algumas contribuições teóricas e empíricas anteriores que antecipam problemas e conceituações centrais dos atuais estudos de sexualidade, relacionados à instabilidade/fluidez das identidades sexuais e à imbricação da sexualidade em relações de poder e hierarquias sociais dinâmicas e contextuais.

Abstract

Our aim is to inquire into the ways in which a presumed Brazilian “managing” of sexual categories or identities (mainly related to male homosexuality) has been conceived in anthropology since the end of the 1970, sometimes becoming an axis for building and maintaining a national identity characterized as exotic, backward and not pertaining to “the West”. We also parallel two moments in the reflection about the links between sexuality, culture and politics, briefly reviewing some of early theoretical and empirical contributions that prefigure central concerns and conceptualizations in present sexuality studies which are related to instability and fluidity of sexual identities, as well as to the entanglement of sexuality with dynamic and contextual power relationships and social hierarchies.

Key Words: Homosexuality. Brazilian Anthropology. Sexual Identities. National Identity

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Júlio Assis Simões, Universidade Estadual de Campinas

Graduado em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (1980), mestre em Antropologia Social pela Universidade Estadual de Campinas (1990) e doutor em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (2000). Desde 2001 é professor do Departamento de Antropologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. É pesquisador do NUMAS - Núcleo de Estudos dos Marcadores Sociais da Diferença, da USP. Bolsista em produtividade de pesquisa do CNPq (nível 2). É membro da Diretoria da Associação Brasileira de Antropologia (gestão 2015-2016). Foi Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciência Social (Antropologia Social) da USP (2009-2013).

Referências

ALTMAN, Dennis. Rupture or continuity? The internationalization of gay identities. Social Text (14), 3, 1996.

BECKER, Howard. Outsiders. Studies in the sociology of deviance. Nova York, The Free Press, 1973.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero. Feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2003 [1990].

__________. Bodies that matter. Nova York, Routledge, 1993.

CARRARA, Sérgio. Estratégias anticoloniais: sífilis, raça e identidade nacional no Brasil de entreguerras. In: HOCHMAN, Gilberto; ARMUS, Diego. (orgs.) Controlar, curar. Ensaios históricos sobre saúde e doença na América Latina e Caribe. Rio de Janeiro, Fiocruz, 2004, pp.427-453.

CHAUNCEY, George. Gay New York. Gender, urban culture and the making of the gay male world, 1890-1940. Nova York, BasicBooks, 1994.

CORRÊA, Mariza. Entrevista. Cadernos de Campo – Revista dos Alunos de Pós-Graduação em Antropologia Social da USP (11), 2003.

__________. Morte em família. Rio de Janeiro, Graal, 1983.

COSTA, Jurandir Freire. A inocência e o vício. Estudos sobre o homoerotismo. Rio de Janeiro, Relume Dumará, 1992.

DELEUZE, Gilles e GUATTARI, Félix. L’anti-Oedipe. Paris, Minuit, 1972.

DOUGLAS, Mary. Pureza e perigo. São Paulo, Perspectiva, 1976 [1966].

DUMONT, LOUIS. Essais sur l'individualisme: Une perspective anthropologique sur l'idéologie moderne. Paris, Gallimard, 1983.

EPSTEIN, Steven. A queer encounter: sociology and the study of sexuality.

In: SEIDMAN, Steven. (org.) Queer theory/ Sociology. Cambridge, MA, Blackwell, 1996.

__________. Gay politics, ethnic identity: the limits of social constructionism. Socialist Review (93/94), 1987, pp.9-54.

FACCHINI, Regina. Sopa de letrinhas? Movimento homossexual e produção de identidades coletivas nos anos 90. Rio de Janeiro, Garamond, 2005.

FRANÇA, Isadora Lins. Cercas e pontes. O movimento GLBT e o mercado GLS na cidade de São Paulo. Dissertação de mestrado, Antropologia Social, USP, 2006.

FRY, Peter. Para inglês ver. Identidade e política na cultura brasileira. Rio de Janeiro, Zahar, 1982.

__________. e MACRAE, Edward. O que é homossexualidade. São Paulo, Brasiliense, 1983.

__________. Mediunidade e sexualidade. Religião e Sociedade, nº 1, 1977.

FOUCAULT, Michel. A verdade e as formas jurídicas. Rio de Janeiro, Cadernos da PUC, 1974.

__________. Vigiar e Punir. Petrópolis, Vozes, 1977.

__________. História da Sexualidade – A vontade de saber. Rio de Janeiro, Graal, 1977.

GAGNON, John. Uma interpretação do desejo. Rio de Janeiro, Garamond, 2006 [1998].

GALVÃO, Walnice N. As formas do falso. São Paulo, Perspectiva, 1972.

GAMSON, Joshua. As sexualidades, a teoria queer e a pesquisa qualitativa. In: DENZIN, Norman et alii. O planejamento da pesquisa qualitativa. Teorias e abordagens. Porto Alegre, Artmed, 2006, pp.345-362.

__________. Must identity movements self-destruct? A queer dilemma.

Social Problems, 42, 3, 1995, pp.390-407.

GARFINKEL, Harold. Studies in ethnomethodology. Cambridge, UK, Polity Press, 1967.

GREEN, James, Além do carnaval. A homossexualidade masculina no Brasil do século XX. São Paulo, Editora Unesp, 2000.

GOFFMAN, Erwin. Estigma. Rio de Janeiro, Zahar, 1975 [1963].

GUIMARÃES, Carmen Dora. O homossexual visto por entendidos. Rio de Janeiro, Garamond, 2004.

HEILBORN, Maria Luiza. Dois é par. Gênero e identidade sexual em contexto igualitário. Rio de Janeiro, Garamond, 2004.

__________. “Ser ou estar homossexual: dilemas de construção de identidade social”. In: PARKER, Richard e BARBOSA, Regina Maria.

(orgs.) Sexualidades brasileiras. Rio de Janeiro, Relume Dumará, 1996, pp.136-145.

HUMPHREYS, Laud. Tearoom trade. Impersonal sex on public places.

Chicago, Aldine, 1970.

IRVINE, Janice. The sociologist as voyeur: social theory and sexuality research, 1910-1978. Qualitative Sociology (26), 4, 2003.

JAGOSE, Annamarie. Queer theory. An introduction. New York University Press, 1996.

KULICK, Don. Travesti. Sex, gender and culture among Brazilian transgendered prostitutes. Chicago, The University of Chicago Press, 1998.

LANDES, Ruth. A cidade das mulheres. Rio de Janeiro, UFRJ, 2002 [1947].

LOBERT, Rosemary. A palavra mágica Dzi: uma resposta difícil de perguntar. Dissertação de Mestrado em Antropologia Social.

Campinas, Unicamp, 1979.

MACRAE, Edward. A construção da igualdade. Identidade sexual e política no Brasil da “abertura”. Campinas, Ed. da Unicamp, 1990.

MARSHALL, John. Pansies, perverts and macho-men: changing conceptions of male homosexuality. In: PLUMMER, Ken. (org.) The making of the modern homosexual. Londres, Hutchinson, 1981.

MCINTOSH, Mary. The homosexual role. Social Problems (16), 1968, pp.182-192.

MOTT, Luiz. A cena gay de Salvador em tempos de Aids. Salvador, Editora do Grupo Gay da Bahia, 2000.

MOUTINHO, Laura. Razão, “cor” e desejo. São Paulo, Editora Unesp, 2004.

MURRAY, Steven. The institutional elaboration of a quasi-ethnic community. International Review of Modern Sociology (9), 1979, pp.165-177.

PARKER, Richard. Beneath the Equator. Cultures of desire, male homosexuality and emerging gay communities in Brazil. New York/London, Routledge, 1999 [Trad. Bras.: Abaixo do Equador.

Culturas do desejo, homossexualidade masculina e comunidade gay no Brasil. Rio de Janeiro, Record, 2002].

PERLONGHER, Nestor. O negócio do michê. A prostituição viril. São Paulo, Brasiliense, 1987.

PLUMMER, Ken. Queers, bodies and postmodern sexualities: a note on revisiting the “sexual” in symbolic interactionism. Qualitative Sociology (26), 4, 2003.

__________. Sexual stigma: an interactionist account. Londres, Routledge, 1975.

REISS JR., Albert. The social integration of queers and peers. In: GAGNON, John e SIMON, William (orgs.) Sexual deviance. Nova York, Harper & Row, 1967, pp.197-228.

RORTY, Richard. Philosophy and the mirror of nature. Princeton.

Princeton University Press, 1979 RUBIN, Gayle. Studying sexual subcultures: excavating the ethnography of gay communities in Urban North America. In: LEWIN, Ellen e LEAP, William. (orgs.) Out in theory. The emergence of lesbian and gay anthropology. Chicago, University of Illinois Press, 2002, pp.17-68.

SEIDMAN, Steven. Introduction. In: Queer theory/ Sociology. Cambridge, MA, Blackwell, 1996.

SIMÕES, Júlio Assis. Homossexualidade masculina e curso da vida: pensando idades e identidades sexuais. In: PISCITELLI, A.; GREGORI, M. F.; CARRARA, S. (orgs.) Sexualidade e saberes: convenções e fronteiras. Rio de Janeiro, Garamond, 2004.

VANCE, Carole. A antropologia redescobre a sexualidade. Physis (5), 1995.

VEYNE, Paul. A homossexualidade em Roma. In: ARIÉS, Philippe e BEJIN, André. (orgs.) Sexualidades Ocidentais. São Paulo, Brasiliense, 1985.

WEEKS, Jeffrey. The “Homosexual role” after 30 years: An appreciation of the work of Mary McIntosh. Sexualities (1), 1998, pp.131–152.

__________. Coming out. Homosexual politics in Britain from the nineteenth century to the present. Londres, Quartet Books, 1977.

Downloads

Publicado

2016-04-07

Como Citar

CARRARA, S.; SIMÕES, J. A. Sexualidade, cultura e política: a trajetória da identidade homossexual masculina na antropologia brasileira. Cadernos Pagu, Campinas, SP, n. 28, p. 65–99, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8644797. Acesso em: 20 out. 2021.

Edição

Seção

Dossiê