“A vida como ela é...”: imagens do casamento e do amor em Nelson Rodrigues

Autores

  • Beatriz Polidori Zechlinski Universidade Federal do Paraná

Palavras-chave:

Relações de Gênero. Modelos Sociais. Discurso Ficcional

Resumo

Este artigo discute as relações de gênero na década de cinqüenta, através de um diálogo entre os apontamentos dos estudos historiográficos e as representações de gênero em cinco contos do escritor Nelson Rodrigues, publicados na coluna “A vida como ela é...” (1951-1961). Ao relacionar as imagens de homem, de mulher, do casamento e do amor existentes nos discursos presentes na sociedade e no imaginário social e as imagens produzidas pela ficção, busco entender o caráter e o papel das histórias de Nelson Rodrigues diante dos conflitos que envolviam as relações amorosas naquele período.

Abstract

This paper discusses gender relations in the fifties, through a dialogue between the notes of studies of history and gender representations in Nelson Rodrigues’s five stories, published in the column A vida como ela é... [Life as it is…] (1951-1961). It intended to relate man’s and woman’s images, as well as that of marriage and of love present in the discourses in society and in the social imaginary and images produced by fiction, aiming at understanding their character and their role in the conflicts that involved love relationships.

Key Words: Gender Relationships, Social Models, Fiction Speech

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beatriz Polidori Zechlinski, Universidade Federal do Paraná

Realizou a graduação em História (2003) na Universidade Federal de Pelotas (UFPel). É mestre (2006) e doutora (2012) em História pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), tendo realizado estágio de doutorado (doutorado sanduíche) na Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales (EHESS/Paris), durante o ano universitário 2009/2010, sob a direção de Roger Chartier e Christian Jouhaud. 

Referências

ALVES FILHO, Manuel. Nelson Rodrigues: ame-o ou deixe-o.

www.unicamp.br/unicamp/unicamp_hoje/ju/agosto2002/unihoje_ju18 7pag12.html (Acessado em setembro de 2004).

ARAGÃO, Luiz Tarlei de. Em nome da mãe. In: FRANCHETTO, Bruna et alli. Perspectivas antropológicas da mulher (3). Rio de Janeiro, Zahar, 1983, pp.109-145.

ARISTÓTELES. A poética clássica. 7ª ed. São Paulo, Cultrix, 1987.

BARTHES, Roland. O efeito de real. In: BARTHES, R. et alli. Literatura e Realidade (que é o realismo?). Lisboa, Dom Quixote, 1984, pp.87-97.

BASSANEZI, Carla. Mulheres dos anos dourados. In: PRIORE, Mary Del.

(org.) História das mulheres no Brasil. 3ª ed. São Paulo, Contexto, 2000, pp.607-639.

__________. Virando as páginas, revendo as mulheres: revistas femininas e relações homem-mulher, 1945-1964. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1996.

BOFF, Maria Luiza Ramos. Nelson Rodrigues: a mulher em três planos.

Dissertação de Mestrado em Literatura Brasileira, Programa de Pósgraduação em Letras/UFSC, 1991.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. 2ªed. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 2002.

BRITO, Maria Noemi Castilhos. Mulher e política: público x privado?. In: ORO, Ari Pedro e TEIXEIRA, Sérgio Alves. (orgs.) Brasil e França: ensaios de antropologia social. Porto Alegre, Editora da UFRGS, 1992, pp.129-140.

CASTRO, Ruy. O anjo pornográfico: a vida de Nelson Rodrigues. São Paulo, Cia das Letras, 1992.

CHARTIER, Roger. À beira da falésia: a história entre certezas e inquietude. Porto Alegre, Editora da UFRGS, 2002.

CORRÊA, Mariza. Os crimes da paixão. São Paulo, Brasiliense, 1981.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. 7ª ed. São Paulo, Loyola, 2001.

FRANCO JR., Arnaldo. Operadores de leitura da narrativa. In: BONNICI, Thomas e ZOLIN, Lúcia Osana. (orgs.) Teoria da Literatura, abordagens históricas e tendências contemporâneas. Maringá, Ed. da UEM, 2003, pp.33-56.

GARCIA, Janaína A. Mulheres exemplares: vidas contadas no anuário das senhoras de 1953. Revista História Hoje, nº 5, São Paulo, 2004.

GUIDARINI, Mário. Nelson Rodrigues: flor de obsessão. Florianópolis, Editora da UFSC, 1990.

HOHLFELDT Antonio e BUCKUP, Carolina. Última Hora – populismo nacionalista nas páginas de um jornal. Porto Alegre, Ed. Sulina, 2002.

MARTINS, Ana Paula Vosne. Um lar em terra estranha: a casa da estudante universitária de Curitiba e o processo de individualização feminina nas décadas de 1950 e 1960. Curitiba, Aos Quatro Ventos, 2002.

MARTINS, Pedro Paulo. A construção social da masculinidade. Tese de Doutorado em Sociologia, USP, 2002.

PRIORE, Mary Del. História do amor no Brasil. São Paulo, Contexto, 2005.

QUAQUARELLI, Cláudia. Sociabilidades e relações afetivas entre os gêneros do universo popular. História, Questões e Debates (30), Curitiba, Ed. da UFPR, 1999, pp.11-38.

RODRIGUES, Marly. A década de 50: populismo e metas desenvolvimentistas no Brasil. São Paulo, Ática, 1992.

RODRIGUES, Nelson. A vida como ela é...: o homem fiel e outros contos.

ª reimpressão. São Paulo, Cia das letras, 1992.

__________. Memórias de Nelson Rodrigues, a menina sem estrela. Livro I. Rio de Janeiro, Edições Correio da Manhã, 1967.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação e Realidade, vol. 20, n° 2, Porto Alegre, Ed. da UFRGS, jul/dez, 1995, pp.71-99.

SODRÉ, Nelson Werneck. História da imprensa no Brasil. 4ª ed. Rio de Janeiro, Mauad, 1999.

Downloads

Publicado

2016-04-07

Como Citar

ZECHLINSKI, B. P. “A vida como ela é...”: imagens do casamento e do amor em Nelson Rodrigues. Cadernos Pagu, Campinas, SP, n. 29, p. 399–428, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8644834. Acesso em: 8 dez. 2021.