A fronteira México-Estados Unidos: entre o sonho e o pesadelo − as experiências de e/imigrantes em viagens não-autorizadas no mundo global

  • Gláucia de Oliveira Assis Universidade do Estado de Santa Catarina
Palavras-chave: Tráfico de Migrantes. Gênero. Emigrantes Brasileiros. Fronteira México-Estados Unidos

Resumo

Este artigo discute as experiências de homens e mulheres brasileiros, que tentam cruzar a fronteira México-Estados Unidos em viagens não-autorizadas no mundo global. São viajantes clandestinos que, com a ajuda dos coiotes, tentam entrar na “América”. Na produção sobre tráfico de pessoas e “contrabando” ou tráfico de migrantes (smuggling), as questões relativas a gênero tendem a ser tratadas considerando-se que os homens brasileiros estão predominantemente vinculados ao tráfico de migrantes, enquanto as mulheres são vítimas de tráfico de pessoas para exploração sexual. Neste texto mostro que homens e mulheres estão envolvidos no tráfico de migrantes e ambos enfrentam os riscos, a aventura ou desventura de cruzar a fronteira ou de ser deportado.

Abstract

This article discusses the experiences of Brazilian men and women who try to cross the México-United States border in nonauthorized trips in the global world. They are illegal travelers who, with the coyotes’ help (immigrant smugglers), try to get into “America”. In the literature, questions concerning gender tend to be treated by taking for granted that the Brazilian men are predominantly linked to migrant smuggling, while the women are victims of trafficking for sexual exploitation. The aim of this text is to demonstrate that both men and women are involved in migrant smuggling and both face the risks, the fortune or misfortune of crossing the border or being deported.

Key Words: Gender, Migrant Smuggling, Brazilian Immigrants, Mexico-United States Border

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gláucia de Oliveira Assis, Universidade do Estado de Santa Catarina
Graduada em Ciências Sociais pela Universidade Vale do Rio Doce (1987), Mestre em Antropologia Social pela Universidade Federal de Santa Catarina (1995) e Doutora em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (2004). É professora na Universidade do Estado de Santa Catarina atuando na Graduação e Pós-Graduação nos Programas de Mestrado em História e Planejamento Territorial e Desenvolvimento Socio-Ambiental. É pesquisadora colaboradora na Universidade Vale do Rio Doce, pesquisadora colaboradora na Universidade Federal de Santa Catarina e participa da editoria da Revista Estudos Feministas.

Referências

ASSIS, Gláucia de Oliveira. De Criciúma para o mundo: rearranjos familiares e de gênero nas vivências dos novos migrantes brasileiros.

Tese de Doutorado em Ciências Sociais, Universidade Estadual de Campinas, 2004, 340p.

__________. De Criciúma para o mundo os novos fluxos da população brasileira: gênero e rearranjos familiares. In: MARTES, Ana Cristina B.

e FLEISCHER, Soraya. (orgs.) Fronteiras cruzadas: etnicidade, gênero e redes sociais. São Paulo, Paz e Terra, 2003, pp.199-230.

__________. Da Segunda Grande Guerra à “guerra contra o terror”: uma análise das políticas migratórias no Brasil e nos Estados Unidos. Anais da VI RAM – Reunião de Antropologia do Mercosul. Montevidéu, 2005 (disponível em CD).

BAUMAN, Zygmunt. Turistas e vagabundos. In: Globalização: as conseqüências humanas. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor, 1999, pp.85-111.

BLANCHETTE, Thaddeus e SILVA, Ana Paula da. “Nossa Senhora da Help”: sexo, turismo e deslocamento transnacional em Copacabana.

Cadernos Pagu (25) Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero – Pagu/Unicamp, jul/dez 2005, pp.249-281.

CAMPOS, Emerson. Territórios deslizantes: miscelâneas e exibições na cidade contemporânea Criciúma (1980-2002). Tese de Doutorado, Programa de Pós-graduação em História, UFSC, Florianópolis, 2003 (disponível em www.ufsc.br).

__________. Flujos contemporáneos: territorios y traducción cultural entre emigrantes brasileños no documentados en la región fronteriza México-Estados Unidos (1995-2007). Comunicaciones Simposio Nuevos Retos del trasnacionalismo en el estudio de las migraciones.

Barcelona, 2008 (http://docsgedime.files.wordpress.com).

CHOMSKY, Noam. 11 de setembro. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 2001.

KAUFMANN, Helilucia G. Cavalcante. A proteção jurídica conferida às vítimas do tráfico internacional de seres humanos. Monografia de conclusão do curso de Direito, Universidade do Oeste de Santa Catarina, São Miguel do Oeste, 2007, 96p.

KEMPADOO, Kamala. Mudando o debate sobre o tráfico de mulheres Cadernos Pagu (25) Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero – Pagu/Unicamp, jul/dez 2005, pp.55-79.

__________ E DOEZEMA, Jo. (orgs.) Global Sex Workers – Rights, Resistance, and Redefinition. Nova York/Londres, Routledge, 1998.

LEAL, Maria Lúcia e LEAL, Maria de Fátima. Pesquisa sobre tráfico de mulheres, crianças e adolescentes para fins de exploração sexual comercial no Brasil – PESTRAF: Relatório Nacional. Brasília, CECRIA, 2003.

MARCON VENSON, Anamaria. Prostituição e tráfico de mulheres na rota Brasil-Espanha na perspectiva de profissionais do sexo. Anais do IX Encontro Nacional de História Oral, UNISINOS, São Leopoldo, 22 a 25/04/2008.

MARGOLIS, Máxime. Na virada do milênio a migração de brasileiros para os Estados Unidos. In: MARTES, Cristina B. e FLEISCHER, Soraya.

(orgs.) Fronteiras Cruzadas: etnicidade, gênero e redes sociais. São Paulo, Paz e Terra, 2003.

MERIZ, Gisele. Entre o Brasil e os Estados Unidos − a fronteira: uma análise das deportações na Fronteira do México no início do século XXI. Trabalho de conclusão de curso, História, Universidade do Estado de Santa Catarina, 2007.

NETO, Helion Póvoa. A criminalização das migrações na nova ordem internacional. In: NETO, Helion Póvoa e FERREIRA, Ademir Pacelli (org). Cruzando fronteiras disciplinares: um panorama dos estudos migratórios. Rio de Janeiro, Renan, 2005, p.297-309.

PISCITELLI, Adriana. Brasileiras na indústria transnacional do sexo. Nuevo Mundo Mundos Nuevos, Debates, 2007 (http://nuevomundo.revues.

org//index3744.html, acesso em 15/05/2008).

REIS, Rossana Rocha. Construindo fronteiras: políticas de imigração na França e nos Estados Unidos (1980-1998). Tese de Doutorado em Ciência Política, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2003.

SANTOS, Gislene. Estado redes sociais e fronteira: a migração do sul catarinense para os Estados Unidos. Tese de Doutorado em Geografia, Universidade Federal de Santa Catarina, 2007.

__________. Catarinenses na fronteira México Estados Unidos. Travessia.

Revista Migrante, ano XIX, nº 55, maio/agosto 2006, pp.23-31.

SECRETARIA NACIONAL DE JUSTIÇA DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA/OIT. Tráfico internacional de pessoas e tráfico de migrantes entre deportados(as) e não admitidos(as) que regressam ao Brasil via o aeroporto internacional de São Paulo. Brasília, 2007 (Coord. técnica de Adriana Piscitelli), Relatório disponível em www.minsiteriodajustica.br.

SIQUEIRA, Sueli. Migrantes e empreendedorismo na Microrregião de Governador Valadares: sonhos e frustrações no retorno. Tese de Doutorado em Sociologia e Política, Universidade Federal de Minas Gerais, 2006.

YALER-LOHER, Stephen, PAPADEMETIOU, Demetrius G. E COOPER, Betsy.

Secure borders, open doors: visa procedures post-setember 11 era. Migraton Police Institute, 2005. (www. migrationpolicy.org/pubs/visa_report.pdf, , acesso em 20/05/ 2008).

YUDICE, George. O lugar da cultura no contexto pós onze de setembro.

Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra-Portugal, Editora do Centro de Estudos Sociais, out/2002, pp.175-187

Publicado
2016-04-11
Como Citar
Assis, G. de O. (2016). A fronteira México-Estados Unidos: entre o sonho e o pesadelo − as experiências de e/imigrantes em viagens não-autorizadas no mundo global. Cadernos Pagu, (31), 219-250. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8644879
Seção
Dossiê