Comentário

  • Adriana Vianna Universidade Federal do Rio de Janeiro

Resumo

Ler os textos e ouvir as apresentações me trouxe uma série de questões. Mais do que colocar perguntas pontuais, pretendo trazer comentários que, espero, contribuam para refletir sobre temas e inquietações que atravessam a temática do tráfico de pessoas.1 O primeiro comentário diz respeito à tensão sempre presente entre a pluralidade de experiências e percepções que os sujeitos pesquisados trazem e o processo simultaneamente acadêmico e político-legal de produzir enquadramentos e classificações que reduzem e tipificam tais pluralidades. O necessário empobrecimento das experiências nesse processo de conversão vem sendo combatido pelos próprios sujeitos – sobretudo quando localizados de algum modo nos chamados “movimentos sociais” – através da multiplicação de demandas pontuais que, supostamente, melhor contemplariam a diversidade de situações por eles vivenciadas. Os relatos sobre as marcas peculiares de cada interação, de cada experiência de discriminação, acabam por se inscrever na base de narrativas políticas, visando produzir “direitos” para sujeitos específicos e, de certo modo, construindo os próprios “sujeitos” ao longo desse processo.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-04-11
Como Citar
Vianna, A. (2016). Comentário. Cadernos Pagu, (31), 309-314. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8644883
Seção
Dossiê