Topografia do Risco O erotismo literário no Brasil contemporâneo

  • Eliane Robert Moraes Centro Universitário Senac
Palavras-chave: Erotismo. Literatura Brasileira. Erótica Literária. Imaginário Sexual. Obscenidade

Resumo

A literatura obscena produzida no último quarto de século no país mobiliza um repertório de fantasias próprio da sensibilidade urbana do Brasil contemporâneo. Trata-se de um imaginário marcado pelo embate entre as formas elevadas e os registros baixos da cultura nacional, em forte sintonia com os dilemas mais candentes da época. Praticada quase que exclusivamente por homossexuais e mulheres, essa escrita sugere uma erótica do limite, como se o risco de vida tivesse se tornado condição primordial do desejo. Este texto explora as afinidades entre as particularidades temáticas e formais de tal repertório.

Abstract

The obscene literature produced in the country over the last quarter century has mobilized a repertoire of fantasies peculiar to the urban sensibility of contemporary Brazil. It consists of gamut of images whose defining characteristic is the clash between the elevated forms and lower rungs of national culture, finely attuned to the most pressing dilemmas of the day. Undertaken almost exclusively by homosexuals and women, this type of writing suggests an eroticism on the edge, as if putting one’s life at risk had become the primordial condition of desire. This text will explore the affinities among the thematic and formal particularities of this repertoire.

Key Words: Eroticism, Brazilian Literature, Literary Erotica, Sexual Image Repertoire, Obscenity

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliane Robert Moraes, Centro Universitário Senac
É professora de Literatura Brasileira no Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da FFLCH da Universidade de São Paulo (USP), onde se graduou em Ciências Sociais (1984), e defendeu mestrado (1990) e doutorado (1996) em Filosofia. Foi professora titular da Faculdade de Comunicação e Filosofia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC - SP) e também atuou como professora visitante nas universidades da California em Los Angeles (UCLA - USA), de Paris Ouest Nanterre La Défense (PARIS 10 - FR), de Perpignan Via Domitia (UPVD - FR) e Nova de Lisboa (UNL - PT). Realizou pesquisas e publicou trabalhos sobre as relações entre estética e erótica; sobre o Marquês de Sade e a literatura libertina do século XVIII europeu; sobre Georges Bataille e o surrealismo francês; sobre o erotismo modernista na França e no Brasil; sobre a poesia erótica brasileira; sobre Mário de Andrade e Hilda Hilst .

Referências

ABREU, Caio Fernando. Triângulo das águas. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1983.

ANDRADE, Jéferson. (org.) Um prazer imenso – Contos eróticos masculinos. Rio de Janeiro, Record, 1986.

DENSER, Márcia. (org.) Muito prazer - Contos eróticos femininos. Rio de Janeiro, Record, 1982.

HILST, Hilda. Contos de Escárnio: textos grotescos. São Paulo, Siciliano, 1990.

HOLLANDA, Heloísa Buarque. Apresentação. Revista do Brasil – Literatura anos 1980, ano 2, nº 5, Rio de Janeiro, 1986.

KAK, Eduardo e TRINDADE, Cairo Assis. (orgs.) Antolorgia, arte pornô. Rio de Janeiro, Codecri, 1984.

MATTOSO, Glauco. Poesia Digesta (1974-2004). São Paulo, Landy, 2004.

__________. Jornal do Brabil [1977-1981]. São Paulo, Edição do Autor, 2001.

MELIM, Ângela. As mulheres gostam muito. Rio de Janeiro, Editora Noa Noa, 1979.

MIRA, Maria Celeste. O leitor e a banca de revistas. São Paulo, Olho D’Água/Fapesp, 2001.

MORAES, Eliane Robert. A Cintilação da Noite. In: PIVA, Roberto. Mala na Mão & Asas Pretas. Volume 2. São Paulo, Editora Globo, 2006.

__________. Topographie du risque: L´érotisme littéraire dans le Brésil contemporain. Europe: Revue litéraire mensuelle – Litterature du Brésil, nº 919/920, Paris, novembro/dezembro, 2005.

__________. A prosa degenerada. Jornal de Resenhas, São Paulo, Discurso Editorial/USP/UNESP/UFMG/Folha de S.Paulo, 10/03/03.

__________. Da medida estilhaçada. Cadernos de Literatura Brasileira – Hilda Hilst, nº 8, São Paulo, Instituto Moreira Salles, outubro de 1999.

MOTTA, Valdo. Bundo e outros poemas. Campinas-SP, Editora da Unicamp, 1996.

OLIVEIRA, Nelson. Contistas do fim do mundo, apresentação à coletânea de contos Geração 1990 – Manuscritos de computador. São Paulo, Boitempo, 2001.

PÉCORA, Alcir. Nota do organizador. In: HILST, Hilda. Contos de Escárnio: textos grotescos. São Paulo, Globo, 2002.

PIVA, Roberto. Poemas com brócoli. São Paulo, Massao Ohno/Rosiwtha Kempf, 1981.

__________. Coxas. São Paulo, Feira de Poesia, 1979.

SIMON, Iumna Maria. Revelação e Desencanto – Os dois livros de Valdo Motta. Revista Praga, nº 7, São Paulo, Hucitec, 1999a.

__________. Considerações sobre a poesia brasileira em fim de século.

Revista Novos Estudos, nº 55, São Paulo, Cebrap, novembro de 1999b.

SUSSEKIND, Flora. Escalas & Ventríloquos. Folha de S.Paulo, “Caderno Mais!”, 23/07/2000.

TREVISAN, João Silvério. Devassos no Paraíso – A homossexualidade no Brasil, da colônia à atualidade. Rio de Janeiro, Record, 2000.

WINCKLER, Carlos Roberto. Pornografia e sexualidade no Brasil. Porto Alegre, Mercado Aberto, 1983

Publicado
2016-04-11
Como Citar
Moraes, E. R. (2016). Topografia do Risco O erotismo literário no Brasil contemporâneo. Cadernos Pagu, (31), 399-418. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8644886
Seção
Artigos