Ação afirmativa no ensino superior brasileiro: a tensão entre raça/etnia e gênero*

  • Fúlvia Rosemberg Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
  • Leandro Feitosa Andrade Fundação Carlos Chagas
Palavras-chave: Ação Afirmativa. Ensino Superior. Educação e Gênero. Educação e Raça.

Resumo

O ensaio tem por objetivo refletir sobre a utilidade do conceito de não sincronia, na educação, entre desigualdades de gênero e raça. Para tanto, apresenta e discute o perfil de estudantes e candidatos/as ao Programa Internacional de Bolsas de PósGraduação da Fundação Ford no Brasil, propondo interpretações referentes à sobrerepresentação feminina no ensino superior e na pós-graduação. Termina alertando sobre a necessidade de se abrir o debate sobre o melhor desempenho educacional das mulheres no contexto atual de discussão sobre ação afirmativa no ensino superior para negros e indígenas.

Abstract

The essay is a reflection on the usefulness of the concept of non synchrony between gender and racial inequalities in education. It presents and discusses the profile of the students and candidates in the International Fellowships Program of the Ford Foundation in Brazil, proposing interpretations with respect to the overrepresentation of women in higher education and in graduate studies. It ends by calling attention to the need to open up the discussion about the better educational performance of women in the present context of the debate on affirmative action in higher education for blacks and the indigenous population.

Key Words: Affirmative Action, Higher Education, Education and Gender, Education and Race

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandro Feitosa Andrade, Fundação Carlos Chagas
Graduado em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP) (1993) e doutorado em Psicologia (Psicologia Social) pela PUC-SP (2001). Atualmente é professor nos cursos de Psicologia e Serviço Social da PUC/SP (desde 2011) e no curso de Serviço Social da FMU - Faculdades Metropolitanas Unidas (desde 2001); coordenador de grupos de homens autores de violência contra mulheres pelo Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde (desde 2007). Tem experiência e atua principalmente nos seguintes temas: homens autores de violência contra mulheres, prostituição adulta, prostituição infanto-juvenil, psicologia social.

Referências

AZERÊDO, Sandra. Mestiçagem, igualdade e afirmação da diferença – pensando a política de cotas na universidade. Revista Estudos Feministas, vol. 13, nº 3, set.-dez. 2005, pp.320-325.

BARCELOS, Luiz. C. Educação e desigualdades raciais no Brasil.

Cadernos de Pesquisa, vol. 18, nº 37, ago. 1993, pp.15-24.

BAUDELOT, Christian e ESTABLET, Roger. Allez les filles. Paris, Seuil, 1992.

FERES JÚNIOR, João e ZONINSEIN, Jonas. (orgs.) Ação afirmativa e universidade: experiências nacionais comparadas. Brasília, Universidade de Brasília, 2006.

FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS (FCC). Base de dados do Programa Internacional de Bolsas de Pós-Graduação da Fundação Ford. São Paulo, FCC, 2006 e 2007.

GODINHO, Tatau et al (org.) Trajetória da mulher na educação brasileira: 1996-2003. Brasília, INEP, 2006.

IFP - PROGRAMA INTERNACIONAL DE BOLSAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA FUNDAÇÃO FORD. Edital. São Paulo, FCC, 2006.

KAIZÔ, Iwakami B. e TEIXEIRA, Moema de Poli. O vermelho e o negro: raça e gênero na universidade brasileira – uma análise da seletividade das carreiras a partir dos censos demográficos de 1960 a 2000. Rio de Janeiro, IPEA, 2004.

HICKS, Emily. Cultural Marxism: nonsynchrony and Feminist Practice. In: SARGENT, L. (org.) Women and revolution. Boston, Southend Press, 1981, pp.219-237.

LIGOCKI, Malô S. L. e LIBARDONI, Marlene. (ed.) Discriminação positivaações afirmativas: em busca da igualdade. Brasília, CFEMEA, 1995.

MARTELETO, Letícia J. e MIRANDA, Vitor F.O. de. Diferenças educacionais entre coortes de adultos no século XX: o papel do sexo e da raça.

Trabalho apresentado no XIV Encontro Nacional de Estudos Populacionais, ABEP, em Caxambu, MG, de 20-24 de setembro de 2004.

REVISTA ESTUDOS FEMINISTAS. Dossiê Ações Afirmativas, vol. 4, nº 1, 1996, pp.124-221.

ROCHA, Edmar & ROSEMBERG, Fúlvia. Auto-declaração de cor/raça entre escolares paulistanos(as). Cadernos de Pesquisa, vol. 37, nº 132, set./dez. 2007, pp.759-800.

ROSEMBERG, Fúlvia. Subordinação de gênero e alfabetização no Brasil.

Idéias (19) - Alfabetização: passado, presente e futuro, São Paulo, FDE, 1993.

__________. Políticas educacionais e gênero: um balanço dos anos 1990.

Cadernos Pagu (16), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero, 2001, pp.151-198.

SCOTT, Joan W. O enigma da igualdade. Revista Estudos Feministas, vol.

, nº 3, set.-dez. 2005, pp.11-30.

_________. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação e Realidade, vol. 20, nº 2, Porto Alegre, jul./dez. 1995, pp.71-99.

Publicado
2016-04-11
Como Citar
Rosemberg, F., & Andrade, L. F. (2016). Ação afirmativa no ensino superior brasileiro: a tensão entre raça/etnia e gênero*. Cadernos Pagu, (31), 419-437. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8644887
Seção
Artigos