Banner Portal
Race Fucker: representações raciais na pornografia gay
Remoto

Palavras-chave

Pornografiaç. Raça. Gay. Branquidade. Brasilidade. Internet

Como Citar

PINHO, O. Race Fucker: representações raciais na pornografia gay. Cadernos Pagu, Campinas, SP, n. 38, p. 159–195, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8645036. Acesso em: 27 fev. 2024.

Resumo

Neste estudo, procuro explorar determinada perspectiva crítica relacionada à articulação entre raça, sexualidade e gênero, entendendo que a pornografia gay se prestaria exemplarmente a flagrar a produção de um sistema ordenado de classificações e categorias, estereótipos e representações, instituídos como um discurso capaz de ser lido como o inventário da fetichização socialmente produzida para o desejo sexual racializado. Para desenvolver essa perspectiva apresento uma breve discussão teórica sobre a pornografia, interrogada pela articulação prazer/poder e a leitura de três conjuntos êmicos de representação racial associados ao desejo homossexual: a negritude, a branquidade e a brasilidade.

Abstract

In this study the author seeks to explore a specific critical perspective related to the race, sexuality and gender articulation, understanding that gay pornography will be exemplary to show the production of a coordinated system of classifications and categories, stereotypes and representations built as a discourse that may be read as a socially produced inventory of fetichization for racialized sexual desire. In order to develop this view the author presents a short theoretical discussion on pornography, interrogated by the power/pleasure articulation and the reading of three hemic corpora of racial representation related to homosexual desire: blackness, whiteness and brazilianness.

Key Words: Pornography, Race, Gay, Whiteness, Brazilianness, Internet

Remoto

Downloads

Não há dados estatísticos.