Altporn, corpos, categorias e cliques: notas etnográficas sobre pornografia online

  • Carolina Parreiras Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo
Palavras-chave: Pornografia. Altporn. Cibercultura. Internet

Resumo

Neste artigo discuto o tema dos vídeos pornôs encontrados na internet, para pensar sobre os possíveis impactos e modificações proporcionados por essa tecnologia nos modos de representação pornográfica. A escolha do on-line se deu a partir da constatação do enorme crescimento e segmentação do mercado pornô nesse espaço, bem como das constantes tentativas nacionais e transnacionais de controle do conteúdo veiculado na rede, cujos principais pontos de discussão são a pornografia, a pedofilia e a pirataria. Assim, pretendo neste paper, a partir de uma perspectiva antropológica, abordar as maneiras como o online atua no mercado erótico, especialmente no Brasil, aumentando a segmentação do gênero pornográfico e permitindo o crescimento da chamada pornografia alternativa (altporn). Para tal, tomarei como base dados de minha pesquisa empírica enfocando o site brasileiro pioneiro na produção e comercialização de pornografia alternativa. Meu intento é perceber de que modo se organiza a produção desse ramo da pornografia – com estreita ligação com os avanços tecnológicos – e quais convenções de gênero estão operando nesse segmento a partir da observação dos corpos, desejos e práticas sexuais encontrados nos vídeos e imagens.

Abstract

This article discusses the topic of porn videos found on the Internet in order to think about the possible impacts and modifications provided by this technology in pornographic representation. The choice for the online was due to the tremendous growth and market segmentation of porn in this space, as well as national and transnational constant attempts to control the content posted on the network, whose main points of discussion are pornography, pedophilia and piracy. So, in this paper, I intend, from an anthropological perspective, to address the ways in which online acts in the porn market, especially in Brazil, increasing segmentation of the genre pornographic and enabling the growth of pornography so called alternative (altporn). To do this, I take examples of my database of empirical research focusing on the pioneer Brazilian website in the production of alternative pornography. My intent is to understand the ways in which this kind of production are organized - with close liaison with technological advances - and what are the genre conventions that operate in this segment from the observation of bodies, desires and sexual practices found in videos and pictures.

Key Words: Pornography, Altporn, Cyber culture, Internet

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carolina Parreiras, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo
Possuo graduação em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (2005) ,mestrado (2008) em Antropologia Social e Doutorado em Ciências Sociais (2015), ambos pela mesma universidade.Como parte do doutorado, fui uma das participantes do Summer Doctoral Programme, promovido anualmente pelo Oxford Internet Institute da Universidade de Oxford (Inglaterra). Tenho experiência docente e de pesquisa na área de Ciências Sociais, com ênfase em Antropologia, Gênero, Sexualidade e Família, contando com vários artigos e papers publicados em periódicos e livros nacionais e internacionais. Desde 2013, tenho atuado como consultora para projetos sociais e outros programas governamentais e privados.

Referências

AGUSTÍN, Laura Maria. Introduction to the cultural study of commercial sex. Sexualities, vol. 10, nº 4, 2007, pp. 403-407. Disponível em: <http://sexualities.sagepub.com/cgi/content/refs/10/4/403>.

ATWOOD, Feona. No money shot? Commerce, Pornography and New Sex Taste Cultures. Sexualities, vol. 10, nº 4, 2007, pp.441-456. Disponível em: <http://sexualities.sagepub.com/cgi/content/abstract/10/4/441>.

__________. Reading porn: the paradigm shift in pornography research.

Sexualities, vol. 5, nº 1, 2002, pp.91 -105.

BONIK, Manuel e SCHAALE, Andreas. The Naked Truth: Internet Eroticism and The Search. In: JACOBS, K.; JANSSEN, M. & PASQUINELLI, M. (eds.) C'lickme. A netporn studies reader. Amsterdam, Institute of Network Cultures, 2007, pp.77–88.

BRAZ, Camilo. À MEIA-LUZ... Uma etnografia imprópria em clubes de sexo masculinos. Tese de Doutorado em Ciências Sociais, IFCH/Unicamp, 2010.

DÍAZ-BENITEZ, María Elvira. Nas redes do sexo. Os bastidores do pornô brasileiro. Rio de Janeiro, Zahar, 2010.

FACCHINI, Regina. Entre umas e outras: mulheres, (homo)sexualidades e diferenças na cidade de São Paulo. Tese de Doutorado em Ciências Sociais, IFCH/Unicamp, 2008.

GREGORI, Maria Filomena. Prazeres Perigosos. Erotismo, gênero e limites da sexualidade. Tese de livre-docência. IFCH/Unicamp, 2010. (no prelo) JACOBS, K., JANSSEN, M. & PASQUINELLI, M. Introduction. In: C'lickme. A netporn studies reader. Amsterdam, Institute of Network Cultures, 2007.

KENDRICK, Walter. El Museo Secreto: La pornografía en la cultura moderna. Bogotá, Tercer Mundo Editores, 1995.

LEITE JR., Jorge. Das maravilhas e prodígios sexuais. A pornografia “bizarra” como entretenimento. São Paulo, Annablume, 2006.

MCCLINTOCK, Anne. Maid to order: commercial S/M and gender power.

In: GIBSON, P. e GIBSON, R. (eds.) Dirty looks: women, pornography, Power. London, BFI, 1993, pp.207-231.

MILLER, D. & SLATER, D. Etnografia on e off-line: cybercafés em Trinidad.

Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 10, nº 21, jan/jun.

, pp.41-65.

PAASONEN, Susanna. Labors of love: netporn, Web 2.0 and the meanings of amateurism. New Media & Society, London, Sage Publications, vol. 12, nº 8, 2010, pp.1297–1312.

PARREIRAS, Carolina. Sexualidades no pontocom: espaços e (homo) sexualidades a partir de uma comunidade online. Dissertação de Mestrado, IFCH, Universidade Estadual de Campinas, 2008.

PRECIADO, Beatriz. Manifesto contra-sexual. Madrid: Pensamiento/Opera Prima, 2007.

SLATER, Don. Trading sexpics on IRC: embodiment and authenticity on the internet. Body & Society, London, Sage Publications, 4 (4), 1998, pp.91–117.

STARK, Philip. 2008. The effectiveness of Internet content filters. I/S, A Journal of Law and Policy for the Information Society, 4, pp.411–429.

TANCER, Bill. Click. What millions of people are doing online and why it matters. New York, Hyperion, 2009.

WILLIAMS, Linda. Screening Sex. Durham/London, Duke University Press, 2008.

___________. Hard Core. Power, pleasure, and the “Frenzy of the visible”.

Berkeley/Los Angeles/London, University of California Press, 1999.

Publicado
2016-04-14
Como Citar
Parreiras, C. (2016). Altporn, corpos, categorias e cliques: notas etnográficas sobre pornografia online. Cadernos Pagu, (38), 197-222. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8645037
Seção
Dossiê