Banner Portal
El género desordenado Críticas em torno a la patologizacion de la transexualidad
Remoto

Como Citar

ÁVILA, S. El género desordenado Críticas em torno a la patologizacion de la transexualidad. Cadernos Pagu, Campinas, SP, n. 38, p. 441–451, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8645047. Acesso em: 4 mar. 2024.

Resumo

Os organizadores desta obra são Miquel Missé e Gerard Coll-Planas. Miquel Missé é espanhol, sociólogo, transhomem1 e ativista trans. Ele é membro ativo da luta pela despatologização das identidades trans e da Campanha Stop Trans Pathologization 2012 na Espanha. Gerard Coll-Planas é também espanhol, doutor em sociologia pela Universitat Autónoma de Barcelona, tendo defendido em 2009 a tese “La voluntad y el deseo. La construcción social del género y la sexualidad: el caso de lesbianas, gays y trans”, que foi publicada pela Editora Egales em 2010.

 

Remoto

Referências

ALMEIDA, Guilherme S. de. Reflexões iniciais sobre o processo transexualizador no SUS a partir de uma experiência de atendimento.

In: ARILHA, Margareth; LAPA, Thaís de Souza; PISANESCHI; Tatiane Crenn. Transexualidade, travestilidade e direito à saúde. São Paulo, Oficina Editorial, 2010, pp.117-148.

BARBOSA, Bruno César. Nomes e Diferenças: uma etnografia dos usos das categorias travesti e transexual. Dissertação de mestrado em Antropologia Social, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

BENTO, Berenice. A reinvenção corpo: sexualidade e gênero na experiência transexual. Rio de Janeiro, Garamond, 2006 BUTLER, Judith. Problemas de gênero – feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2010.

__________. Deshacer el género.Barcelona, Paidós, 2006.

CARDOZO, Fernanda. Das Dimensões da Coragem: socialidades, conflitos e moralidades entre travestis em uma cidade no sul do Brasil.

Dissertação de mestrado em Antropologia Social, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis-SC, 2009.

CECCARELLI, Paulo Roberto. A nova ordem repressiva. Psicologia Ciência e Profissão, vol. 30, nº 4, 2010, pp.738-751.

CROMWELL, Jason. Transmen and FTM – identities, bodies, genders and sexualities. Chigago, University of Illinois, 1999.

DIAMOND, Morty. (org.) From the inside out. San Francisco, Manic D Press, 2004 GIRSHICK, Lori B. Transgender Voices – Beyond Women and Men.

Hanover and London, University Press of New England, 2008.

GREEN, Jamison. Becoming a visible man. Nashville, Vanderbilt University Press, 2004.

LEITE JR., Jorge. “Nossos corpos também mudam”: Sexo, gênero e a invenção das categorias “travesti” e “transexual” no discurso científico. Tese de doutorado em Ciências Sociais, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2008.

LEOTARD, A. Mauvais genre. Paris, Éditions Hugo & Compagnie, 2009.

PELUCIO, Larissa. Nos Nervos, na Carne, na Pele - Uma etnografia sobre prostituição travesti e o modelo preventivo de AIDS. Tese de doutorado em Ciências Sociais, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos-SP, 2007.

PIÑEROBA, José Antonio Nieto. Transexualidad, intersexualidad y dualidade de género. Barcelona, Ediciones Bella Terra, 2008.

STOP TRANS PATHOLOGIZATION 2012. Disponível em: <.http://stp2012.wordpress.com> - Acesso: 04 jul 2011.

STRYKER, Susan; WHITE, Stephen. (ed.) The trangender studies reader.

New York, Routledge – Taylor & Francis Group, 2006.

Downloads

Não há dados estatísticos.