El género desordenado Críticas em torno a la patologizacion de la transexualidad

  • Simone Ávila Universidade Federal de Santa Catarina

Resumo

Os organizadores desta obra são Miquel Missé e Gerard Coll-Planas. Miquel Missé é espanhol, sociólogo, transhomem1 e ativista trans. Ele é membro ativo da luta pela despatologização das identidades trans e da Campanha Stop Trans Pathologization 2012 na Espanha. Gerard Coll-Planas é também espanhol, doutor em sociologia pela Universitat Autónoma de Barcelona, tendo defendido em 2009 a tese “La voluntad y el deseo. La construcción social del género y la sexualidad: el caso de lesbianas, gays y trans”, que foi publicada pela Editora Egales em 2010.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Simone Ávila, Universidade Federal de Santa Catarina
Doutora em Ciências Humanas pela Universidade Federal de Santa Catarina (2014). Realizou estágio doutoral na Aix-Marseille Université, França, através do convenio CAPES-COFECUB. Mestre em Ciências do Movimento Humano pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1993). Graduação em Fisioterapia pela Faculdade de Ciências da Saúde do Instituto Porto Alegre (1986). É assessora técnica da Área Técnica de DST/Aids e Hepatites Virais da Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre. Foi bolsista do Programa de Cooperação Técnica Internacional Brasil-França, do Programa Nacional de HIV/Aids do Ministério da Saúde do Brasil, em 2003, tendo realizado estágio de aperfeiçoamento profissional de alto nível no Institut National de la Santé et de la Recherche Médical (INSERM) e no Centre Régional d'Information et Prévention du Sida (CRIPS) de Paris, França.

Referências

ALMEIDA, Guilherme S. de. Reflexões iniciais sobre o processo transexualizador no SUS a partir de uma experiência de atendimento.

In: ARILHA, Margareth; LAPA, Thaís de Souza; PISANESCHI; Tatiane Crenn. Transexualidade, travestilidade e direito à saúde. São Paulo, Oficina Editorial, 2010, pp.117-148.

BARBOSA, Bruno César. Nomes e Diferenças: uma etnografia dos usos das categorias travesti e transexual. Dissertação de mestrado em Antropologia Social, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

BENTO, Berenice. A reinvenção corpo: sexualidade e gênero na experiência transexual. Rio de Janeiro, Garamond, 2006 BUTLER, Judith. Problemas de gênero – feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2010.

__________. Deshacer el género.Barcelona, Paidós, 2006.

CARDOZO, Fernanda. Das Dimensões da Coragem: socialidades, conflitos e moralidades entre travestis em uma cidade no sul do Brasil.

Dissertação de mestrado em Antropologia Social, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis-SC, 2009.

CECCARELLI, Paulo Roberto. A nova ordem repressiva. Psicologia Ciência e Profissão, vol. 30, nº 4, 2010, pp.738-751.

CROMWELL, Jason. Transmen and FTM – identities, bodies, genders and sexualities. Chigago, University of Illinois, 1999.

DIAMOND, Morty. (org.) From the inside out. San Francisco, Manic D Press, 2004 GIRSHICK, Lori B. Transgender Voices – Beyond Women and Men.

Hanover and London, University Press of New England, 2008.

GREEN, Jamison. Becoming a visible man. Nashville, Vanderbilt University Press, 2004.

LEITE JR., Jorge. “Nossos corpos também mudam”: Sexo, gênero e a invenção das categorias “travesti” e “transexual” no discurso científico. Tese de doutorado em Ciências Sociais, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2008.

LEOTARD, A. Mauvais genre. Paris, Éditions Hugo & Compagnie, 2009.

PELUCIO, Larissa. Nos Nervos, na Carne, na Pele - Uma etnografia sobre prostituição travesti e o modelo preventivo de AIDS. Tese de doutorado em Ciências Sociais, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos-SP, 2007.

PIÑEROBA, José Antonio Nieto. Transexualidad, intersexualidad y dualidade de género. Barcelona, Ediciones Bella Terra, 2008.

STOP TRANS PATHOLOGIZATION 2012. Disponível em: <.http://stp2012.wordpress.com> - Acesso: 04 jul 2011.

STRYKER, Susan; WHITE, Stephen. (ed.) The trangender studies reader.

New York, Routledge – Taylor & Francis Group, 2006.

Publicado
2016-04-14
Como Citar
Ávila, S. (2016). El género desordenado Críticas em torno a la patologizacion de la transexualidad. Cadernos Pagu, (38), 441-451. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8645047
Seção
Resenhas