Banner Portal
Temáticas prioritárias no campo de gênero e ciências no Brasil: raça/etnia, uma lacuna?
Remoto

Palavras-chave

Gênero. Ciências. Temáticas Prioritárias. Interseções

Como Citar

MINELLA, Luzinete Simões. Temáticas prioritárias no campo de gênero e ciências no Brasil: raça/etnia, uma lacuna?. Cadernos Pagu, Campinas, SP, n. 40, p. 95–140, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8645072. Acesso em: 22 jul. 2024.

Resumo

Este artigo tem como objetivos: a) elaborar um balanço das temáticas abordadas em diferentes estudos representativos da área de gênero e ciências, no Brasil, identificando aquelas que têm prevalecido; b) refletir sobre avanços e lacunas, indagando até que ponto as análises recuperam as interseções entre gênero e raça/etnia. Foram analisadas várias contribuições representativas da área concluindo-se que as temáticas podem ser classificadas em três grandes tendências. Apesar dos avanços representados pelo conjunto dessas contribuições, avalia-se ainda que a ênfase recai sobre as assimetrias entre homens e mulheres; as pesquisas empíricas contemplam com certa frequência as interseções entre gênero e gerações, através da análise de dados agregados por faixa etária; em algumas pesquisas há informações sobre o perfil socioeconômico das mulheres analisadas; não foram encontradas análises que coloquem as questões raciais e étnicas no centro do debate, constituindo-se essa lacuna num grande desafio epistemológico e político.

Abstract

This article reflects on the Gender and Sciences in Brazil, aiming at: a) estimating and identifying the predominant thematics approached in different representative studies of the area; b) reflecting on the advances and gaps, observing to which extent the analyses recuperate the intersections between gender and race/ethnicity. Several representative contributions were analyzed, and it was possible to classify the thematic into three great tendencies. Despite the advances represented by such set of contributions, it is also observed that the emphasis has been mostly on the asymmetries between men and women; the empirical research has contemplated, with certain frequency, the intersections between gender and generations through the analysis of data comprehended by age; in some research, it is possible to find information on the social-economical profile of the women under study; analyses that bring the racial and ethnic question to the center of the debate have not been found, turning this lack into a great epistemological and political challenge.

Key Words: Gender, Sciences; Fundamental Thematic, Intersections

Remoto

Referências

AIRES, Maria Juracy. Gestação, Parto e Puerpério, uma discussão sobre tecnologia, história e cultura. Cadernos de Gênero e Tecnologia (6), Curitiba-Pr, Editora do CEFET/PR, 2006, pp.35-33.

ARRAZOLA, Laura Suzana Duque. Ciência e Crítica Feminista. In: COSTA, Ana Alice e SARDENBERG, Cecilia. (orgs.) Feminismo, Ciência e Tecnologia.

Salvador, REDOR/NEIM/UFBA, 2002, pp.67-76.

AZEVEDO, Nara et alii. Gênero e Ciência: a carreira científica de Aída HassónVoloch.

Cadernos Pagu (23), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 2004, pp.356-387.

AZEVEDO, Nara e FERREIRA, Luiz Otávio. Modernização, políticas públicas e sistema de gênero no Brasil: educação e profissionalização feminina entre as décadas de 1920 e 1940. Cadernos Pagu (27) Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 2006, pp.213-354.

AZEVEDO, Nara et alii. (orgs.) História, Ciências, Saúde – Manguinhos (15), Rio de Janeiro, Suplemento 0, 2008.

BARROSO, Carmen Lúcia e MELLO, Guiomar N. de. O acesso da mulher ao ensino superior brasileiro. Cadernos de Pesquisa (15), São Paulo, Fundação Carlos Chagas, dezembro de 1975a.

BARROSO, Carmen Lúcia e MELLO, Guiomar N. de. A participação da mulher no desenvolvimento científico brasileiro. Ciência e Cultura (27:6), Campinas-SP, 1975b, pp.613-620.

BARROSO, Carmen Lúcia. Por que tão poucas mulheres exercem atividades científicas? Ciência e Cultura (27:7), Campinas-SP, 1975, pp.703-710.

BLAY, Eva Alterman e LANG, Alice Beatriz da Silva. Mulheres na USP: horizontes que se abrem. São Paulo, Humanitas, 2004.

BLAY, Eva Alterman. Mulheres cientistas: aspectos da vida e obra de Khäte Schwarz. Revista Estudos Feministas (18:2), Florianópolis-SC, 2010, pp.473-489.

BRASIL. Presidência da República. Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres. Pensando Gênero e Ciência. Encontro Nacional de Núcleos e Grupos de Pesquisa – 2009, 2010. Brasília, SEPM, 2010.

BOURDIEU, Pierre. O campo científico. In: ORTIZ, Renato. (org.) Pierre Bourdieu. Coleção Grandes Cientistas Sociais, nº 39. São Paulo, Ática, 1983, pp.122-155.

BRUSCHINI, Cristina. Mulher e Trabalho: engenheiras, enfermeiras e professores. Fundação Carlos Chagas, Cadernos de Pesquisa (27), São Paulo, Fundação Carlos Chagas, 1978.

BRUSCHINI, Cristina e LOMBARDI, Maria Rosa. Médicas, arquitetas, advogadas e engenheiras: mulheres em carreiras de prestígio. Revista Estudos Feministas (7:1), Florianópolis, Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão/UFSC, 1999, pp.9-24.

CABRAL, Carla. As mulheres nas escolas de engenharia brasileiras: história, educação e futuro. Cadernos de Gênero e Tecnologia (1:4), Curitiba, Editora do CEFET/PR, 2005.

__________. O conhecimento dialogicamente situado: histórias de vida, valores humanistas e consciência crítica de professoras do Centro Tecnológico da UFSC. Tese de Doutorado em Educação Científica e Tecnológica, Universidade Federal de Santa Catarina, 2006.

__________. Pelas telas, pela janela: o conhecimento dialogicamente situado.

Cadernos Pagu (27), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 2006a, pp.63-97.

__________. Investigando o caráter situado do conhecimento: reflexões sobre epistemologias feministas e educação científica e tecnológica. Revista Tecnologia e Sociedade (3), Curitiba-Pr, PPG em Tecnologia, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, 2006b, pp.23-41.

__________. Mapeando e Refletindo a Construção do campo disciplinar “Estudos Feministas da ciência e da tecnologia” no Brasil nos percursos do Fazendo Gênero. Trabalho apresentado no Seminário Internacional Fazendo Gênero 8, Corpo, Violência e Poder, Florianópolis, 25 a 28 de agosto de 2008.

CARVALHO, Marília Gomes de, FEITOSA, Samara e SILVA, Valter Cardoso da.

Gênero entre estudantes brasileiros/as e alemães/ãs: uma comparação.

Revista Tecnologia e Sociedade (3), Curitiba, PPG em Tecnologia, Universidade Tecnológica do Paraná, 2006a. Disponível em: .

CARVALHO, Marília Gomes de, FEITOSA, Samara e SILVA, Valter Cardoso da.

Relações de Gênero entre alunos e alunas em uma instituição de educação tecnológica brasileira. Revista Tecnologia e Sociedade (3), Curitiba-PR, PPG em Tecnologia, Universidade Tecnológica do Paraná, 2006b. Disponível em www.ppgte.ct.utfpr.edu.br/ CASAGRANDE, Lindamir S. et alii. Engenheiras no CEFET/PR? – levantamento por sexo do número de calouros e formandos nas engenharias. Cadernos de Gênero e Tecnologia (2), Curitiba-PR, Editora do CEFET, 2005a, pp.37-44.

CASAGRANDE, Lindamir S., SCHWARTZ, Juliana, CARVALHO, Marília Gomes de e LESZCZYNSKI, Ana. Mulheres e Ciência: uma relação possível? Cadernos de Gênero e Tecnologia (4), Curitiba-PR, Editora do CEFET, 2005b, pp.31-45.

CITELI, Maria Teresa. Mulheres nas ciências: mapeando campos de estudo.

Cadernos Pagu (15), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 2000, pp.39-75.

__________. Genética, Química e Anatomia na atribuição de diferenças sexuais. In: SANTOS, Lucy Woellner dos et alii. (orgs.) Ciência, Tecnologia e Gênero. Desvelando o feminino na construção do conhecimento.

Londrina, IAPAR, 2006, pp.233-270.

CORRÊA, Mariza. Antropólogas e antropologia. Belo Horizonte, Editora da UFMG, 2003.

COSTA, Ana Alice e SARDENBERG, Cecilia. (orgs.) Feminismo, Ciência e Tecnologia. Salvador, REDOR/NEIM/UFBA, 2002.

CREENSHAW, Kimberlé. Documento para o encontro de especialistas em aspectos da discriminação racial relativos ao gênero. Revista Estudos Feministas (10:1), Florianópolis, Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão/UFSC, 2002, pp.171-188.

CRUZ, Maria Helena Santana. Novas Tecnologias e Impacto sobre a Mulher.

In: COSTA, Ana Alice e SARDENBERG, Cecilia. (orgs.) Feminismo, Ciência e Tecnologia. Salvador, REDOR/NEIM/UFBA, 2002, pp.121-140.

Luzinete Simões Minella 133 DICKENSON, John. Marianne North: uma naturalista do século dezenove no Brasil? Cadernos Pagu (15), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 2000, pp.145-164.

FARIA, Lina. Educadoras sanitárias e enfermeiras de saúde Pública: identidades profissionais em construção. Cadernos Pagu (27), CampinasSP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 2006, pp.173-212.

FERREIRA, Luis Otávio et alii. Institucionalização das ciências, sistema de gênero e produção científica no Brasil (1939-1969). In: História, Ciências, Saúde – Manguinhos, vol. 15, Suplemento 0, Rio de Janeiro, 2008, pp.43-71.

FOX KELLER, Evelyn. Secrets of Life, Secrets of Death: essays on language, gender and science. NewYork/London, Routledge, 1992.

__________. The Origin, History, and Politics of the Subject Called “Gender and Science”. In: JASANOFF, Sheila et alii. (eds.) Handbook of Science and Technology Studies. Thousand Oaks, Sage Publishing, 1995, pp.80-94.

__________. Making a Difference: Feminist Movement and Feminist Critiques of Science. In: CREAGER, A., LUNBECK, E., SCHIEBINGER, L. (eds.) Feminism in twentieth-century science, technology, and medicine.

Chicago/London, The University of Chicago Press, 2001, pp.98-109.

__________. Qual foi o impacto do feminismo na ciência? Cadernos Pagu (27), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 2006, pp.13-34.

__________ e LONGINO, Helen. (eds.) Feminism and Science. Oxford, New York, Oxford University Press (Oxford Readings in Feminism), 1996.

GARCÍA, Marta I. González e SEDEÑO, Eulalia Pérez. Ciência, Tecnologia e Gênero. In: SANTOS, Lucy Woellner dos et alii. (orgs.) Ciência, Tecnologia e Gênero. Desvelando o feminino na construção do conhecimento.

Londrina, IAPAR, 2006, pp.31-72.

GARCÍA, Susana V. Ni solas ni resignadas: la participación femenina en las atividades científico-academicas de la Argentina en los inicios del siglo XX. Cadernos Pagu (27), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 2006, pp.133-172.

GÓIS, João Bosco Hora. Quando raça conta: um estudo das diferenças entre mulheres brancas e negras no acesso e permanência no ensino superior.

Revista Estudos Feministas (16:3), Florianópolis, Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão/UFSC, 2008, pp.743-768. Temáticas prioritárias no campo de gênero e ciências no Brasil 134 HARAWAY, Donna. Um Manifesto para os Cyborgs: Ciência, Tecnologia e Feminismo Socialista na Década de 80. In: HOLLANDA, H. Buarque de.

(org.) Tendências e Impasses: o feminismo como crítica da cultura. Rio de Janeiro, Rocco, 1994, pp.243-287.

__________. Saberes localizados: a questão da ciência para o feminismo e o privilégio da perspectiva parcial. Cadernos Pagu (5), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 1995, pp.07-42.

HARDING, Sandra. Ciencia y Feminismo. Madrid, Morata, 1996.

HENSON, Pamela. A Invasão da Arcádia: as cientistas no Campo na América Latina, 1900-1950. Cadernos Pagu (15), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 2000, pp.165-198.

JORDAN, Diann. Sisters in Science: Conversations with Black Women Scientists on Race, Gender, and Their Passion for Science. Indiana, Purdue University Press, 2006.

LEITE, Miriam Lifchitz Moreira. Mulheres viajantes no século XIX. Cadernos Pagu (15), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 2000, pp.130-143.

LETA, Jacqueline. As mulheres na ciência brasileira: crescimento, contrastes e um perfil de sucesso. Estudos Avançados (17:49), Universidade de São Paulo, 2003, pp.271-284.

__________ e LEWISON, Grant. The contribution of women in Brazilian Science: a case study in astronomy, inmunology and oceanography.

Scientometrics (57:3), Heidelberg-Germany, 2003, pp.339-353.

LIMA, Nádia Regina Loureiro de Barros. As Mulheres nas Ciências: o Desafio de Uma Passagem... A Passagem do Privado para o Público. In: COSTA, Ana Alice e SARDENBERG, Cecilia. (orgs.) Feminismo, Ciência e Tecnologia.

Salvador, REDOR/NEIM/UFBA, 2002, pp.51-66.

LOMBARDI, Maria Rosa. Perseverança e resistência: a engenharia como profissão feminina. Tese de Doutorado, Faculdade de Educação, Unicamp, 2005.

__________. A engenheira brasileira contemporânea e a contribuição das mulheres nas mudanças recentes no campo profissional. Revista Tecnologia e Sociedade (2), Curitiba-PR, PPG em Tecnologia, Universidade Tecnológica do Paraná, 2006a. Disponível em: .

__________. Engenheira & Gerente: desafios enfrentados por mulheres em posições de comando na área tecnológica. Revista Tecnologia e Luzinete Simões Minella 135 Sociedade (3), Curitiba-Pr, PPG em Tecnologia, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, 2006b. Disponível em: .

__________. As mulheres nas Forças Armadas brasileiras: a Marinha do Brasil. São Paulo, Fundação Carlos Chagas, 2008.

LOPES, Maria Margaret. “Aventureiras” nas ciências: refletindo sobre gênero e história das ciências naturais no Brasil. Cadernos Pagu (10), CampinasSP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 1998, pp.345-368.

__________. Sobre convenções em torno de argumentos de autoridade.

Cadernos Pagu (27), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 2006a, pp.35-61.

__________. “Vencer barreiras”, até quando? Aspectos da trajetória científico-política de Bertha Maria Júlia Lutz (1894-1976). In: SANTOS, Lucy Woellner dos et alii. (orgs.) Ciência, Tecnologia e Gênero.

Desvelando o feminino na construção do conhecimento. Londrina, IAPAR, 2006b, pp.203-232.

LÖWY, Ilana. Universalidade da ciência e conhecimentos “situados”.

Cadernos Pagu (15), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 2000, pp.15-38.

MAFFIA, Diana. Críticas feministas à ciência. In: COSTA, Ana Alice e SARDENBERG, Cecilia. (orgs.) Feminismo, Ciência e Tecnologia. Salvador, REDOR/NEIM/UFBA, 2002, pp.25-38.

MARTINEZ, Apen Ruiz. Zelia Nuttal e Isabel Ramirez Castañeda: las distintas formas de practicar y escribir sobre arqueologia en el México de inicios del siglo XX. Cadernos Pagu (27), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 2006, pp.99-133.

MELO, Hildete Pereira de e CASEMIRO, Maria Carolina Pereira. A Ciência no Feminino: uma análise da Academia Nacional de Medicina e da Academia Brasileira de Ciência. Revista Rio de Janeiro (11), Rio de Janeiro, UERJ/Fiocruz, 2004, pp.117-134.

__________ e LASTRES, Helena Maria Martins. Ciência e Tecnologia numa perspectiva de Gênero: o caso do CNPq. In: SANTOS, Lucy Woelner dos et alii. Ciência, Tecnologia e Gênero. Desvelando o feminino na construção do conhecimento. Londrina, IAPAR, 2006, pp.129-160.

__________ e OLIVEIRA, André Barbosa. A produção científica brasileira no feminino. Cadernos Pagu (27), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 2006, pp.301-331.

Temáticas prioritárias no campo de gênero e ciências no Brasil 136 __________ e RODRIGUES, Lígia Maria. Pioneiras das Ciências no Brasil. Rio de Janeiro, SBPC, 2006.

__________. Um olhar de gênero sobre o sistema de concessão de Bolsas de Pesquisa no CNPq – 2001/2008. In: BRASIL. Presidência da República.

Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres. Pensando Gênero e Ciência. Encontro Nacional de Núcleos e Grupos de Pesquisa – 2009, 2010. Brasília, SEPM, 2010, pp.176-191.

MINELLA, Luzinete Simões. Gênero e Contracepção. Uma perspectiva sociológica. Florianópolis, Editora da UFSC, 2005.

MOTT, M. L. B., DUARTE, Ivomar Gomes e GOMES, Marcela Trigueiro.

Montando um quebra cabeça: a Coleção “Universidade de São Paulo” do Arquivo do Estado de São Paulo. Cadernos de História da Ciência, vol. 3, 2007, pp.37-72.

MOTT, M. L. B. et alii. Moças e senhoras dentistas: formação, titulação e mercado de trabalho nas primeiras décadas da República. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, vol. 15, 2008, pp.97-116.

MOTT, M. L. B. et alii. Médicos e médicas em São Paulo e os Livros de Registros do Serviço de Fiscalização do Exercício Profissional (1892- 1932). Ciência & Saúde Coletiva, vol. 13, 2008, pp. 853-868.

MUNDER, Irmhard et alii. Mujeres y Estúdios Técnicos, conceptos compatibles? Tentativa de una comparación intercultural entre Alemania y Brasil. Cadernos de Gênero e Tecnologia (1), Curitiba-PR, Editora do CEFET, 2005, pp.20-34.

ONO, Maristela Mitsuko e CARVALHO, Marília Gomes de. Isto é “coisa para mulheres”: Gênero e design no desenvolvimento de produtos para a sociedade. Cadernos de Gênero e Tecnologia (2), Curitiba-PR, Editora do CEFET, 2005.

OSADA, Neide Mayumi e COSTA Maria Conceição da. A construção social de gênero na Biologia: preconceitos e obstáculos na biologia molecular.

Cadernos Pagu (27), Campinas, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 2006, pp.279-299.

__________. A Construção da “Nova” Biologia. Relações de Gênero nos laboratórios do Projeto Genoma da FAPESP. Cadernos de Gênero e Tecnologia (11), Curitiba-PR, GeTec/PPGTE/CEFET, 2007, pp.21-34.

PYENSON, Lewis. Eros e Isis, tal pai, tal filha. Cadernos Pagu (15), CampinasSP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 2000, pp.227-248. Luzinete Simões Minella 137 RAGO, Elisabeth Juliska. A ruptura do mundo masculino da medicina: médicas brasileiras no século XIX. Cadernos Pagu (15), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 2000, pp.199-225.

__________. Outras falas: feminismo e medicina na Bahia (1836-1931). São Paulo, Annablume/FAPESP, 2007.

RAMÍREZ, Aurora Tovar. Ephemeris calculada al Meridiano de México para el año Del Señor de 1757. Por Doña Maria Francisca Gonzaga de el Castillo. Cadernos Pagu (15), Campinas, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 2000, pp.103-128.

RAPKIEWICZ, Clevi Elena. Informática: domínio masculino? Cadernos Pagu (10), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 1998, pp.169-200.

RIAL, Carmen, GROSSI, Miriam Pillar e LIMA, Bettina Stefanello. Gênero e Ciência, entrevista com Shirley Malcom. Revista Estudos Feministas (14:3), Florianópolis, Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão/UFSC, 2006, pp.695-708.

ROCHA, Cristina Tavares da Costa. Gênero em Ação: Rompendo o Teto de Vidro? (Novos Contextos da Tecnociência). Tese de Doutorado, Interdisciplinar em Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, 2006a.

__________. Expressões do Ciberfeminismo na contemporaneidade. Revista Tecnologia e Sociedade (3), PPG em Tecnologia, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, 2006b. Disponível em: .

__________ e CARVALHO, Marília Gomes de. As duas extremidades dos Sistemas de Informação (SI) e as questões relacionais de gênero.

Cadernos de Gênero e Tecnologia (1), Curitiba-PR, Editora do CEFET, 2005, pp.9-19.

__________ e GROSSI, Miriam. Filosofia, Gênero e Ciência: entrevista com Eulalia Perez Sedeño. Revista Estudos Feministas (17:1), FlorianópolisSC, Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão/UFSC, 2009.

ROHDEN, Fabíola. Uma ciência da diferença: sexo e gênero na medicina da mulher. Rio de Janeiro, FIOCRIZ, 2009.

ROSEMBERG, Fúlvia e ANDRADE, Leandro Feitosa. Ação afirmativa no ensino superior brasileiro: a tensão entre raça/etnia e gênero. Cadernos Pagu (31), Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 2008, pp.419-438.

Temáticas prioritárias no campo de gênero e ciências no Brasil 138 SANTOS, Adelina Pinheiro e TOSI, Lucia. Resgatando Métis. O que foi feito desse saber? In: SANTOS, Lucy Woellner dos et alii (orgs.) Ciência, Tecnologia e Gênero. Desvelando o feminino na construção do conhecimento. Londrina, IAPAR, 2006, pp.91-127.

SANTOS, Lucy Woelner dos et alii (orgs.) Ciência, Tecnologia e Gênero.

Desvelando o feminino na construção do conhecimento. Londrina, IAPAR, 2006.

SANTOS, Tania Steren dos. Carreira Profissional e Gênero: trajetória de homens e mulheres na medicina. Porto Alegre, Editora da UFRGS, 2010.

SARDENBERG, Cecília Maria Bacellar. Da Crítica Feminista à Ciência a uma Ciência Feminista. In: COSTA, Ana Alice e SARDENBERG, Cecilia. (orgs.) Feminismo, Ciência e Tecnologia. Salvador, REDOR/NEIM/UFBA, 2002, pp.89-120.

SARAIVA, Karla. Fabricando identidades femininas em Escolas de Engenharia.

Cadernos de Gênero e Tecnologia (4), Curitiba-PR, Editora do CEFET, 2005.

SCAVONE, Lucila. Impacto das Novas Tecnologias Reprodutivas. In: COSTA, Ana Alice e SARDENBERG, Cecilia. (orgs.) Feminismo, Ciência e Tecnologia. Salvador, REDOR/NEIM/UFBA, 2002, pp.141-151.

SCHARTZ, Juliana et alii. Mulheres na informática: quais foram as pioneiras? Cadernos Pagu (27), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 2006, pp.255-278.

SCHIEBINGER, Londa. O Feminismo mudou a ciência? Bauru, SP, EDUSC, 2001.

SEDEÑO, Eulalia Perez. Institucionalización de la ciência, valores epistêmicos y contextuales: um caso ejemplar. Cadernos Pagu (15), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 2000, pp.70-102.

SILVA, Elizabeth Bortolaia. Apresentação e agradecimentos. Cadernos Pagu (10), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 1998, pp.5-6.

__________. Conhecimentos no cotidiano: Situações e Histórias. In: SANTOS, Lucy Woelner dos et alii. (orgs.) Ciência, Tecnologia e Gênero.

Desvelando o feminino na construção do conhecimento. Londrina, IAPAR, 2006, pp.73-88.

SOUZA, Ângela Maria Freire de Lima e. O Viés Androcêntrico em Biologia. In: COSTA, Ana Alice e SARDENBERG, Cecilia. (orgs.) Feminismo, Ciência e Tecnologia. Salvador, REDOR/NEIM/UFBA, 2002, pp.77-88.

Luzinete Simões Minella 139 TABAK, Fanny. O Laboratório de Pandora. Estudos sobre a ciência no feminino. Rio de Janeiro, Garamond, 2002a.

__________. Estudos Substantivos sobre Mulher e Ciências no Brasil. In: COSTA, Ana Alice e SARDENBERG, Cecilia. (orgs.) Feminismo, Ciência e Tecnologia. Salvador, REDOR/NEIM/UFBA, 2002b, pp.39-50.

__________. Apesar dos avanços – obstáculos ainda persistem. Cadernos de Gênero e Tecnologia (11), Curitiba-PR, GeTec/PPGTE/CEFET, 2007, pp.9-20.

TAKAHASHI, Emília. A formação militar sob o enfoque das relações de gênero: uma experiência. Cadernos de Gênero e Tecnologia (3), Curitiba-PR, Editora do CEFET, 2005, pp.14-22.

TAMANINI, Marlene. Reprodução Assistida e Gênero. O olhar das ciências humanas. Florianópolis, Editora da UFSC, 2009.

TEIXEIRA, Luiz Antonio e ROCQUE, Lúcia de la. Frankestein de Mary Shelley: a ciência, seus mitos e seus monstros. In: SANTOS, Lucy Woelner dos et alii.

(orgs.) Ciência, Tecnologia e Gênero. Desvelando o feminino na construção do conhecimento. Londrina, IAPAR, 2006, pp.161-202.

TOSI, Lúcia. Mulher e Ciência. A revolução científica, a caça às bruxas e a ciência moderna, Cadernos Pagu (10), Campinas, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 1998, pp.369-398.

TRIGO, Maria Helena Bueno. A mulher universitária: códigos de sociabilidade e relações de gênero. In: BRUSCHINI, Cristina e SORJ, Bila. (orgs.) Novos Olhares: mulheres e relações de gênero no Brasil. São Paulo, Marco Zero, 1994, pp.89-110.

TUANA, Nancy. (ed.) Feminism and Science (Race, Gender and Science).

Bloomington, Indiana University Press, 1989.

VANIN, Iole Macedo. As damas de branco na biomedicina baiana (1879- 1949): médicas, famacêuticas e odontólogas. Tese de Doutorado em História, Universidade Federal da Bahia, 2008.

VASCONCELLOS, Elza da Costa Cruz e BRISOLLA, Sandra Negraes. Presença feminina no estudo e no trabalho da ciência na Unicamp. Cadernos Pagu (32), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, 2009, pp.215-265.

VELHO, Léa e LEON, Helena. A construção social da produção científica por mulheres. Cadernos Pagu (10), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp, pp.309-344.

Temáticas prioritárias no campo de gênero e ciências no Brasil 140 VERONESE, Silvia Mara. Novas Rotas, Novos Vôos: a mulher ocupando espaço na educação e no trabalho. Cadernos de Gênero e Tecnologia (15 e 16), Curitiba-Pr, GeTec/PPGTE/CEFET, 2007, pp.23-39.

WARREN, Winifred. Black Women Scientists in the United States.

Bloomington, Indiana Press, 1999.

WELLER, Wivian e SILVEIRA, Marly. Ações afirmativas no sistema educacional: trajetórias de jovens negras na Universidade de Brasília. Revista Estudos Feministas (16:3), Florianópolis, Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão/UFSC, 2008, pp.931-948.

YANNOULAS, Sylvia. Mulheres e Ciência. Série Anis 47, Brasília, LetrasLivres, 1-10, 2007.

Downloads

Não há dados estatísticos.