Banner Portal
O corpo negro como tela de inscrição dinâmica nas relações pós-coloniais em Portugal: a Afro como (pre)texto
Remoto

Palavras-chave

Portugal Pós-colonial. Africanos Pós-coloniais. Incorporação/Excorporação. Corpo Negro. Gênero

Como Citar

FORTES, Celeste. O corpo negro como tela de inscrição dinâmica nas relações pós-coloniais em Portugal: a Afro como (pre)texto. Cadernos Pagu, Campinas, SP, n. 40, p. 229–254, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8645078. Acesso em: 22 jun. 2024.

Resumo

No Portugal pós-colonial, as relações entre Portugueses e os Africanos imigrantes continuam a ter no corpo, negro, um “anfitrião” importante. Este artigo procura ensaiar o modo como o corpo pode ser manejado enquanto tela de inscrição dinâmica nas relações inter-étnicas, que mobilizam idiomas de género, classe, etnia, “raça”, no contexto pós-colonial português. Usando a revista Afro, lançada em 2008, como pre(texto),procura-se dar conta do modo como esta pode ser lida enquanto projecto que procura contrariar a invisibilidade/visibilidade negativa dos Africanos, pós-coloniais, em Portugal.

Abstract

In post-colonial Portugal, the relations between Portuguese and African immigrants continue to have on the black body an important “host”. This article intends to test how the body can be handled while screening the dynamics in inter-ethnic relations, which mobilize languages of gender, class, ethnicity, “race” in the Portuguese post-colonial context.

Key Words: Post-colonial Portugal, Post-colonial Africa, Incorporation/ Excorporation, Black Body, Gender

Remoto

Referências

ALMEIDA, Miguel Vale de. O manifesto do corpo. Manifesto (5), Lisboa, 2004a, pp.18-35.

__________. Um Mar da Cor da Terra. Lisboa, Celta Editora, 2004b.

__________. Comentários. In: SANCHES, Manuela Ribeiro. (org.) Portugal não é um país pequeno, Contar o “Império” na pós-colonialidade.

Lisboa, Cotovia, 2006, pp.359-367.

BHABHA, Homi. The Location of Culture. London and New York, Routledge, 1994.

CARVALHO, Clara. Raça, género e imagem colonial: representações de mulheres nos arquivos fotográficos. In: MACHADO, José; CARVALHO, Clara e MENDES, Neusa. (org) O Visual e o Quotidiano. Lisboa, Imprensa de Ciências Sociais, 2008, pp.145-173.

CARVALHO, Francisco. O lugar dos negros na imagem de Lisboa.

Sociologia, Problemas e Práticas (52), Lisboa, 2006, pp.87-108.

CASTELO, Cláudia. O modo português de estar no mundo: o lusotropicalismo e a ideologia colonial Portuguesa (1933-1961). Lisboa, Afrontamento, 1999.

CLIFFORD, James. The Predicament of Culture. Twentieth-century Ethnography, Literature and Art. Cambridge, MA, Harvard University Press, 1988.

CUNHA, Isabel Ferin. (org) Media, Imigração e Minorias Étnicas. Lisboa, Observatório da Imigração, 2004.

FEATHERTONE, Mike e TURNER, Brian. Body & Society: an introduction.

Body & Society (1), Nottingham, 1995, pp.1-12.

FERREIRA, Vitor Sérgio. Marcas que Demarcam. Corpo, tatuagem e Body Piercing em Contextos Juvenis. Dissertação de Doutoramento, Sociologia, ISCTE, Portugal, 2006.

FERREIRA, Vitor Sérgio. Politica do corpo e política da vida: a tatuagem e o body piercing como expressão corporal de uma ética da dissidência.

Etnográfica (11), Lisboa, 2007, pp.291-326.

GOFFMAN, Erving. A Apresentação do Eu na Vida de Todos os Dias.

Lisboa, Relógio d’Água, 1993.

HALL, Stuart. Representation: cultural representations and signifying practices. London, Sage, 1997.

HALLAN, Elizabeth e STREET, Brian Vincent. Cultural Encounters: Representing Otherness. London, Routledge, 2000.

HYAM, Ronald. Empire and Sexuality: the British Experience.

Manchester, Manchester University Press, 1990.

MAFFESOLI, Michel. A física mística do corpo. Revista de Comunicação e Linguagens (10-11), Lisboa, 1990, pp.33-40.

MARGARIDO, Alfredo. A Lusofonia e os Lusófonos: Novos Mitos Portugueses. Lisboa, Edições Universitárias Lusófonas, 2000.

MATA, Inocência. Estranhos em permanência: a negociação da identidade portuguesa na pós-colonialidade. In: SANCHES, Manuela Ribeiro. (org) Portugal não é um país pequeno, contar o “império” na pós-colonialidade. Lisboa, Cotovia, 2006, pp.285-315.

MCCLINTOCK, Anne. Imperial Leather: Race, gender and sexuality in the Colonial Contest. New York and London, Routledge, 1995.

RIBEIRO, António. O Corpo que Somos. Aparência, Sensualidade, Comunicação. Lisboa, Editorial Notícias, 2003.

RIBEIRO, Margarida Calafate. Uma História de Regressos, Império, Guerra Colonial e Pós-Colonialismo. Porto, Edições Afrontamento, 2004.

REICHER, Erica e KOO Kathryn. The body beautiful: Symbolism and agency in the social world. Annual Review of Anthropology (33), 2004, pp.297-317.

SANCHES, Manuel Ribeiro. (org.) Portugal Não é um País Pequeno.

Contar o 'Império' na pós-colonialidade. Lisboa, Cotovia, 2006.

SHILLING, Chris. Educating the body, physical capital and the production of social inequalities. Sociology (25), UK, 1991, pp.653-672.

__________. The Body and Social Theory. London, Sage Publications, 1993.

__________. The body and difference. In: WOODWARD, Kathryn. (org.) Identity and Difference. London, Sage, 1997a, pp.65-107.

__________. The undersocialised conception of the embodied agent in modern sociology. Sociology (31), UK, 1997b, pp.737-754.

__________. Embodiment, experience and theory: in defense of the sociological tradition. The Sociological Review (49), USA, 2001, pp.327-344.

STOLER, Ann Laura. Race and the education of Desire: Foucault´s History of Sexuality and the Colonial Order of Things. Durham and London, Duke University Press, 1995.

Downloads

Não há dados estatísticos.