Banner Portal
Uma genealogia dos corpos que mudam
Remoto

Como Citar

VERAS, Elias Ferreira. Uma genealogia dos corpos que mudam. Cadernos Pagu, Campinas, SP, n. 40, p. 369–375, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8645084. Acesso em: 22 jun. 2024.

Resumo

O livro “Nossos corpos também mudam: a invenção das categorias ‘travesti’ e ‘transexual’ no discurso científico”, de Jorge Leite Jr, difere dos trabalhos brasileiros sobre o que Benedetti (2005) chama de “universo trans”. A pesquisa, apresentada originalmente como tese de doutorado no Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais da PUC/SP, não traz uma etnografia com travestis que se prostituem, que militam no movimento trans ou que atuam no combate à aids; não foi escrita a partir das narrativas de travestis e de transexuais sobre suas modificações corporais ou sobre os inúmeros preconceitos e violências vivenciados cotidianamente por esses sujeitos – temas predominantes no script das obras sobre travestis brasileiros/as nos últimos trinta anos. Desse modo, a afirmação aparentemente óbvia que inicia esta resenha – não existe pesquisa igual à outra –, no caso da pesquisa empreendida por Jorge Leite, é radicalizada. Sua análise da invenção das categorias “travesti” e “transexual” no discurso científico apresenta uma perspectiva nova sobre o “universo trans”.
Remoto

Referências

BENEDETTI, Marcos Renato. Toda feita: o corpo e o gênero das travestis.

Rio de Janeiro, Garamond, 2005.

FOUCAULT, Michel. A verdade e as formas jurídicas. Rio de Janeiro, NAU editora, 2002.

__________. Microfísica do poder. Rio de Janeiro, Graal, 2005.

LEITE Jr., Jorge. Das Maravilhas e Prodígios Sexuais – A Pornografia “Bizarra” como Entretenimento. São Paulo, Annablume/Fapesp, 2006.

Downloads

Não há dados estatísticos.