A diáspora das congregações femininas portuguesas para o Brasil no início do século XX: política, religião, gênero

  • Maurício Aquino Universidade Estadual do Norte do Pará
Palavras-chave: Diáspora. Mulheres freiras. Gênero e Religião

Resumo

Neste artigo pretende-se reconstruir historicamente o processo de diáspora de três congregações religiosas femininas portuguesas em decorrência da política religiosa estabelecida pela República de Portugal em 1910. Serão privilegiadas as Irmãs Franciscanas Hospitaleiras, as Irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Sena e as Irmãs de Jesus, Maria e José, sobretudo, estas duas últimas que se estabeleceram no estado de São Paulo em 1912. Nesse período, São Paulo já havia despontado como o principal estado do Brasil e, em seus limites, as expansões cafeeira, urbana e ferroviária, envolvidas pela imigração europeia e pela industrialização, abriam novas possibilidades de atuação às mulheres, ainda que a modernização tecnológica não fosse acompanhada no campo das relações de gênero. As mulheres freiras de Portugal se juntaram às outras que aqui estavam e assumiram a gestão de asilos, escolas, faculdades e hospitais, chefiando homens e atraindo mulheres que almejavam outras perspectivas de vida para além daquelas oferecidas pela sociedade civil da época.

Abstract:

This article attempts to reconstruct historically the process of diaspora of three Portuguese Women's Religious congregations as a result of the new religious policy established by the Republic of Portugal in 1910: will be favored Franciscan Hospitaller Sisters of the Dominican Sisters of St. Catherine and the Sisters of Jesus, Mary and Joseph, especially the latter two who have settled in São Paulo in 1910. During this period, St. Paul had already emerged as the leading state in Brazil and its boundaries, the coffee expansion, urbanization, railway, surrounded by European immigration and industrialization, opened new possibilities for working women, although the technological modernization was not accompanied in the field of gender relations. Women sisters from Portugal joined the others who were here and took over the management of nursing homes, schools, colleges and hospitals, leading men and women who longed for attracting other perspectives of life beyond those offered by civil society of the time.

Key Words: Diaspora, Nuns Women, Gender and Religion

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maurício Aquino, Universidade Estadual do Norte do Pará
Professor Adjunto do Centro de Ciências Humanas e da Educação, da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), Campus Jacarezinho. Realizou estudos de Filosofia pela Universidade do Sagrado Coração (USC). Possui Licenciatura em História e Especialização em "História e Historiografia: Sociedade e Cultura" pela Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de Jacarezinho, atual UENP. Possui Mestrado, Doutorado e Pós-Doutorado em "História e Sociedade" pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP/FCL-Assis). Atualmente é professor do curso de licenciatura em História e vice-diretor geral do Campus de Jacarezinho eleito para o período 2014-2018.

Referências

ALBUQUERQUE, Eduardo Basto de. A história das religiões. In: USARSKI, Frank (org.). O espectro disciplinar da ciência da religião.

São Paulo, Paulinas, 2007, pp.19-52.

AQUINO, Maurício de. Modernidade republicana e diocesanização do catolicismo no Brasil: as relações entre Estado e Igreja na Primeira República (1889-1930). Revista Brasileira de História [online], São Paulo, vol.32, n. 63, 2012, pp.143-170.

AQUINO, Maurício de. O conceito de romanização do catolicismo e a abordagem histórica da Teologia da Libertação. Horizonte: Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião, PUC, Belo Horizonte, MG, vol.11, 2013, pp.1485-1505.

AZZI, Riolando (org.). A vida religiosa no Brasil: enfoques históricos. São Paulo, Editora Paulinas, 1983.

AZZI, Riolando. Presença da Igreja na sociedade brasileira e formação das dioceses no período republicano, In: SOUZA, Rogério L. e OTTO, Clarícia (orgs.). Faces do catolicismo. Florianópolis-SC, Editora Insular, 2008, pp.17-40.

BEOZZO, José Oscar. A Igreja entre a Revolução de 1930, o Estado Novo e a Redemocratização, In: PIERUCI, Antônio F. et alii. O Brasil Republicano, vol.11. 2.ed. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 2003, pp.273-341. Coleção História Geral da Civilização Brasileira.

BEOZZO, José Oscar. Padre José Marchetti: trabalhos, sonhos e morte no Brasil – 1894-1896. In: BRANDÃO, Sylvana (org.). História das religiões no Brasil. Recife-PE, Editora da UFPE, 2006, pp.19-84.

LE GOFF, Jacques. O Deus da Idade Média. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2007. [Tradução de Marcos de Castro] LEITE, Joaquim da Costa. O Brasil e a emigração portuguesa (1855-1914).

In: FAUSTO, Bóris (org.). Fazer a América: A Imigração em Massa para a América Latina. 2.ed. São Paulo, Editora da USP, 2000, pp.177-199.

LIMA, Nísia Trindade. Um sertão chamado Brasil. Rio de Janeiro, Revan, IUPERJ, UCAM, 1999.

LOVE, Joseph. Autonomia e interdependência: São Paulo e a Federação Brasileira – 1889-1937. In: CARDOSO, Fernando Henrique et alii (orgs.). O Brasil Republicano, vol.8. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 2006. Coleção História Geral da Civilização Brasileira.

MANOEL, Ivan Aparecido. Igreja e educação feminina (1859-1919). São Paulo, Editora da Unesp, 1996.

MARQUES, António H. de Oliveira. Da Monarquia para a República. In: TENGARRINHA, José (org.). História de Portugal. 2.ed. Bauru-SP, Editora da USC; São Paulo, Editora da Unesp; Portugal, Instituto Camões, 2001, pp.361-374.

NETO, Vítor. Igreja Católica e anticlericalismo (1858-1910). In: HOMEM, Amadeu C.; SILVA, Armando M. da; ISAÍA, Artur C. (coords.).

Progresso e Religião: a República no Brasil e em Portugal – 1889- 1910. Uberlândia, Editora da UFU; Coimbra, IU, 2007, pp.165-191.

NUNES, Maria José F. Rosado. Mulheres e catolicismo no Brasil: uma questão de poder. In: QUEIROZ, José J. et alii. Interfaces do Sagrado.

São Paulo, Editora Olho d’Água, 1996, pp.74-96.

NUNES, Maria José F. Rosado. Freiras no Brasil. In: DEL PRIORE, Mary (org.). História das mulheres no Brasil. 9.ed. São Paulo, Editora Contexto, 2008, pp.482-509.

NUNES, Maria José F. Rosado. Prática político-religiosa das congregações femininas no Brasil – uma abordagem histórico-social.

In: BEOZZO, José Oscar, AZZI, Riolando (orgs.). Os religiosos no Brasil: enfoques históricos. São Paulo, Editora Paulinas, 1986, pp.188-218.

PINTO, Célia Regina Jardim. Uma história do feminismo no Brasil. São Paulo, Editora Perseu Abramo, 2003.

SOUZA, Wlaumir Doniseti de. Anarquismo, Estado e pastoral do imigrante. São Paulo, Editora da Unesp, 2000.

VIEIRA, Dilermando Ramos. O processo de reforma e reorganização da Igreja no Brasil (1844-1926). Aparecida, SP, Editora Santuário, 2007.

WERNET, Augustin. A Igreja Paulista no século XIX: A Reforma de D.

Antônio Joaquim de Melo (1851-1861). São Paulo, Ática, 1987.

WERNET, Augustin. O auge da romanização: o Concílio Plenário da América Latina. Anais da X Reunião da Sociedade Brasileira de Pesquisa Histórica, Curitiba-PR, 1991, pp.197-2.

Publicado
2016-04-15
Como Citar
Aquino, M. (2016). A diáspora das congregações femininas portuguesas para o Brasil no início do século XX: política, religião, gênero. Cadernos Pagu, (42), 393-415. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8645127