Um lugar para os espíritos: os sentidos do movimento desde um povoado haitiano

  • Rodrigo Charafeddine Bulamah UNICAMP
Palavras-chave: Mobilidade. Espaço e tempo. Espíritos. Vodou. Haiti

Resumo

Este texto propõe uma reflexão sobre o protagonismo de espíritos e outros seres tanto no âmbito da sociabilidade, como no papel que tais entidades exercem na construção de conceitos sobre o movimento, o espaço e o tempo. Por meio de uma análise de duas situações sociais ocorridas em um povoado ao norte do Haiti, busco trazer à tona uma sensibilidade política e uma profundidade histórica que envolvem diferentes agências e constituem uma moralidade e uma cultura política própria aos moradores da localidade e àqueles que se movimentam. O objetivo é contribuir com os estudos sobre migração e mobilidade, chamando a atenção para as formas como os agentes constroem historicamente suas práticas e enfrentam situações contemporâneas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Charafeddine Bulamah, UNICAMP
Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Unicamp, Campinas, SP, Brasil

Referências

BAKHTIN, M. Forms of time and the chronotope in the novel. In: The dialogic imagination. Four essays by M. M. Bakhtin. Austin, EUA, University of Texas Press. Tradução de C. Emerson e M. Holquist, 1981, pp. 84-258.

BASTIDE, R. Le principe d’individuation (contribution à une philosophie africaine). In: La notion de personne en Afrique Noire, Colloque International du Centre National de la Recherche Scientifique, nº 544.

Paris, Éditions du Centre National de la Recherche Scientifique, 1973, pp.33-43. BASTIEN, R. La familia rural haitiana – Vale de Marbial. Cidade do México, Libra, 1951.

BEAUVOIR, R. e DOMINIQUE, D. Savalou E. Montréal, Porto-Príncipe, Les Éditions du CIDIHCA, 2003.

BROWN, K. M. Mama Lola: a vodou priesteess in Brooklyn. Berkeley, EUA, University of California Press, 2001 [1991].

BULAMAH, R. C. O cultivo dos comuns: parentesco e práticas sociais em Milot, Haiti. Dissertação de mestrado, Antropologia Social, Universidade Estadual de Campinas, 2013.

CANDIDO, A. Os parceiros do Rio Bonito. Rio de Janeiro, Ouro sobre Azul, 2010 [1964].

COMERFORD, J. Onde está a “comunidade”? Conversas, expectativas morais e mobilidade em configurações entre o “rural” e o “urbano”. Ruris – Revista do Centro de Estudos Rurais, 8 (2), 2014, pp. 7-29.

DALMASO, F. Kijan moun yo ye? As pessoas, as casas e as dinâmicas de familiaridade em Jacmel/Haiti. Tese de doutorado, Antropologia Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Museu Nacional, 2014.

FOSTER, G. Peasant society and the image of the limited good. American Anthropologist, 67, 1965, pp.293-315.

GLUCKMAN, M. Análise de uma situação social na zululândia moderna.

In: FELDMAN-BIANCO, B. (org.). Antropologia das sociedades contemporâneas – métodos. São Paulo, Global, 1987 [1958], pp. 227-344.

HERSKOVITS, M. J. Life in a haitian valley. Princeton, EUA, Markus Wiener Publishers, 2007 [1937].

HERRERA, G. Gender and International Migration: Contributions and Cross-Fertilizations. Annual Review of Sociology, 39(1), 2013, pp.471-489.

LOWENTHAL, I. P. Ritual Performance and Religious Experience: A Service for the Gods in Southern Haiti. Journal of Anthropological Research, vol. 34, nº 3, 1978, pp.392-414.

MARCELIN, L.H. A linguagem da casa entre os negros no Recôncavo Baiano. Mana, 6 (2), 1999, p. 31-60. MAUSS, M. Essai sur le don. Forme et raison de l’échange dans les sociétés archaïques. In: Sociologie et Anthropologie. Paris, PUF, 1991 [1923-1924].

METRAUX, A. Le vaudou haïtien. Paris, Gallimard, 1958.

MINTZ, S. Localization of Anthropological Practice: From area studies to transnationalism. Cultural Anthropology, 18 (2), 1998, pp.117-133.

MURRAY, G. Population pressure, land tenure, and voodoo: the economics of Haitian peasant ritual. In: ROSS, E. (ed.) Beyond the myths of culture. Nova Iorque, Academic Press, 1980, pp. 295-321.

NEIBURG, F. Imaginary moneys and the Popular Economy in Haiti. Artigo submetido a American Ethnologist. s/d.

PRICE-MARS, J. Ainsi parla l'Oncle. Chicoutimi, CAN, Les Classiques des Sciences Sociales, 2009 [1928].

RAMSEY, K.The spirits and the law: vodou and power in Haiti. Chicago, University of Chicago Press,2011.

RICHMAN, K. Migration and Vodou. Gainesville, EUA, University Press of Florida, 2005.

ROMAIN, J.-B. Quelques mœurs et coutumes des paysans haïtiens: travaux pratiques d'ethnographie sur la region de Milot à l'usage des étudiants. Porto-Príncipe, Imprimerie de l'État, 1959.

SCOTT, J.C. The Moral Economy of the Peasant. New Haven and London, Yale University Press, 1976.

SIGAUD, L. Direito e coerção moral nos engenhos. Estudos históricos, 18, 1996, pp.361-388.

TAUSSIG, M. O diabo e o fetichismo da mercadoria na América do Sul. São Paulo, Ed. Unesp. 2010. Tradução de Priscila Santos da Costa, THOMAZ, O.R. Haitian elites and their perceptions of poverty and of inequality. In: REIS, E. e MOORE, M. (ed.). Elite perceptions of poverty and inequality. Londres/Nova Iorque, Zed Books, 2005, pp. 127-155.

______. Lobolo e trabalho migratório: reprodução familiar e aventura no sul de Moçambique. In: TRAJANO FILHO, W. (org.) Travessias antropológicas: estudos em contextos africanos. Brasília, ABA Publicações, 2012, pp. 221-237. THOMPSON, E.P. Costumes em Comum. São Paulo, Companhia das Letras. Tradução de Rosaura Eichemberg, 1998.

TROUILLOT, M.-R. Haiti: state against nation. The origins and legacies of duvalierism. Nova Iorque, Monthly Review, 1989.

______. The Caribbean Region: An Open Frontier in Anthropological Theory. Annual Review of Anthropology, 21, 1992, pp. 19-42.

VELASCO, L. e GIANTURCO, G. Migración internacional y biografías multiespaciales: una reflexión metodológica. In: VELASCO, L. e ARIZA, M. (orgs.) Métodos cualitativos y sus aplicacion empírica: Por los caminos de la investigación sobre migración internacional. México, DF, UNAM, 2012, pp. 115-150.

WEBSTER, David. A sociedade chope: indivíduo e aliança no sul de Moçambique 1969-1976. Lisboa, ICS, 2006.

Publicado
2016-04-27
Como Citar
Bulamah, R. C. (2016). Um lugar para os espíritos: os sentidos do movimento desde um povoado haitiano. Cadernos Pagu, (45), 79-110. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8645209