Crescendo pessoas, relações e lugares: experiências cabo-verdianas sobre família e mobilidade

  • Claudia Fioretti Bongianino
Palavras-chave: Cabo Verde. Itália. Parentesco. Migração. Gênero

Resumo

O contexto cabo-verdiano (no passado e no presente) é caracterizado por uma forte relação entre família e mobilidade, sugerindo que as práticas e concepções locais sobre parentesco não se esgotam no sangue, nem na partilha de substância em situação de co-presença. Partindo da minha experiência etnográfica entre mulheres cabo-verdianas na cidade italiana de Nápoles, o objetivo deste texto é refletir sobre a maneira como mobilidade e parentesco se relacionam na prática, assim como sobre as repercussões que a análise do caso cabo-verdiano pode ter sobre os estudos de parentesco na antropologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudia Fioretti Bongianino
Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social do Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Referências

AKESSON, Lisa. Making a Life: Meanings of Migration in Cape Verde. Tese de doutorado, Antropologia Social, Universidade de Gotemburgo, 2004.

ANDALL, Jacqueline. Gender, Migration and Domestic Service: The Politics of Black Women in Italy. Aldershot, Ashgate, 2000.

BONGIANINO, Claudia Fioretti. Malas de sonhos e saudades: família e mobilidade entre cabo-verdianos na Itália. Dissertação de mestrado, Antropologia Social, Universidade de Brasília, 2012.

______. Tornar-se afro-caribenho. Ensaio bibliográfico sobre família e mobilidade no Caribe. Revista Teoria e Cultura, vol. 9, UFJF, Juiz de Fora, 2014, pp.63-76.

BRYCESON, Deborah e VUORELA, Ulla (orgs.). The transnational Family: New European Frontiers and Global Networks. Oxford, New York, Berg, 2002 CARLING, Jorgen. Aspiration and ability in international migration: Cape Verdean experiences of mobility and immobility. Tese de Doutorado, Ciências Políticas, Universidade de Oslo, 2001.

______. Emigration, return and development in Cape Verde: the impact of closing borders. Population, Space and Place (10), Centro de Estudos Populacionais, Universidade de Michigan, 2004, pp.113-132.

CARLING, Jorgen e BATALHA, Luís (Orgs.). Transnational Archipelago. Perspectives on Cape Verdean Migration and Diaspora. Amsterdam, Amsterdam University Press, 2008.

CARREIRA, Antonio. Cabo Verde. Classes sociais, estrutura familiar, migrações. Lisboa, Ulmeiro, 1977.

______. Migrações nas ilhas de Cabo Verde. Praia, Instituto CaboVerdiano do Livro, 1983. CARTER, Katherine e AULETTE, Judy. Cape Verdean women and globalization. The politics of gender, culture and resistance. Nova Iorque, Palgrave Macmillan, 2009.

CARSTEN, Janet. The heat of the hearth. The process of kinship in a Malay fishing community. Oxford, Claredon Press, 1997.

______. Introduction. In: ______ (org.) Cultures of relatedness: new approaches to the study of kinship. Edinburgo, CambridgeUniversity Press, 2000, pp.01-36.

CHAMBERLAIN, Mary. Family Love in the diaspora. Migration and the Anglo-Caribbean Experience. Memory and narrative series. New Brunswick e Londres, Transaction Publishers, 2006.

DIAS, Juliana. Entre Partidas e Regressos: tecendo relações familiares em Cabo Verde. Dissertação de mestrado, Antropologia Social, Universidade de Brasília, 2000.

DROTBOHM, Heike. Horizons of long-distance intimacies. Reciprocity, contribution and disjuncture in Cape Verde. History of the Family (14), Universidade de Londres, Routledge, 2009, pp.132-149.

ÉVORA, Iolanda Maria Alves. (Des)atando nós e (re)fazendo laços: aspectos psicossociais da imigração feminina cabo-verdiana em Itália. Tese de doutorado, Psicologia, USP, 2003.

FIKES, Kesha. Managing African Portugal. The citizen-migrant distinction. Durham, Duke University press, 2009.

GRASSI, Marzia. Cabo Verde pelo mundo: O género na diáspora caboverdiana. In: ______. Género e migrações cabo-verdianas. Lisboa, Imprensa de Ciências Sociais, 2007, pp.23-61.

LEACH, Edmund. Repensando a Antropologia. São Paulo, Perspectiva, 1974.

LEVITT, Peggy. The Transnational Villagers. Berkeley, University of California Press, 2001.

LEVITT, Peggy e WATERS, Mary C. (orgs.). The Changing Face of Home: The Transnational Lives of the Second Generation. Nova Iorque, Russell Sage Foundation, 2002. LOBO, Andréa. Tão Longe, Tão Perto: organização familiar e emigração feminina na Ilha da Boa Vista – Cabo Verde. Tese de doutorado, Antropologia Social, Universidade de Brasília, 2007.

______. Making Families: Child mobility and familiar organization in Cape Verde. Vibrant, vol. 8, nº 2, Associação Brasileira de Antropologia, 2011, pp.197-219.

[http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1809- 43412011000200009&script=sci_arttext – acesso em: 22 set 2015] MEINTEL, Deirdre. Emigração em Cabo Verde: solução ou problema.

Revista Internacional de Estudos Africanos, nº 2, Fundação PortugalAfrica, Universidade de Aveiro, junho-dezembro, 1984, pp.93-120.

MONTEIRO, César Augusto. Comunidade Imigrada. Visão sociológica: o caso da Itália. São Vicente, Gráfica do Mindelo, Lda, 1997.

NEEDHAM, Rodney. Rethinking Kinship and Marriage. London, Tavistock, 1971.

OLWIG, Karen Fog. Caribbean journeys: an ethnography of migration and home in three family networks. Durham, Duke University Press Books, 2007.

SAHLINS, Marchall. What kinship is (part one). Journal of the Royal Anthropological Institute (17), Royal Anthropological Institute, Londres, 2011, pp.2–19.

SCHNEIDER, D. A. What is kinship about. Kinship Studies in the Morgan Centennial, 1972.

TRAJANO FILHO, Wilson. The Conservative Aspects of a Centripetal Diaspora: the case of the Cape Verdean Tabancas. Africa, vol. 79, nº 4, Instituto Africano Internacional, Universidade de Cambridge, 2009, pp.520-542.

______, Wilson. Introdução. In: ______. (org.). Lugares, pessoas e grupos: as lógicas do pertencimento em perspectiva internacional. Brasília, ABA publicações, 2010, pp.7-26.

VASCONCELOS, João. Espíritos lusófonos numa ilha crioula: língua, poder e identidade em São Vicente de Cabo Verde. In: CARVALHO, Clara e PINA CABRAL, João de (orgs.). A Persistência da História: passado e contemporaneidade em África. Lisboa, Imprensa de Ciências Sociais, 2004, pp.149-190.

Publicado
2016-04-27
Como Citar
Bongianino, C. F. (2016). Crescendo pessoas, relações e lugares: experiências cabo-verdianas sobre família e mobilidade. Cadernos Pagu, (45), 111-133. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8645210