A produtividade científica tem sexo? Um estudo sobre bolsistas de produtividade do CNPq

Autores

  • Moema de Castro Guedes Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
  • Nara Azevedo Fundação Oswaldo Cruz
  • Luiz Otávio Ferreira Universidade do Estado do Rio de Janeiro; Fundação OswaldoCruz

Palavras-chave:

Bolsa Produtividade em Pesquisa. Composição por sexo, idade, área de conhecimento. Cnpq

Resumo

Análise da composição sexual, da faixa etária e da distribuição entre as áreas de conhecimento, entre 2001 e 2012, do grupo de pesquisadores bolsistas produtividade em pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). A partir de uma base de dados estatísticos fornecidos por essa agência, as principais conclusões se referem às diferenças na proporção entre homens e mulheres conforme a área de conhecimento, e ao fenômeno da juvenilização, que ocorreu em todas as áreas e favoreceu os homens.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Moema de Castro Guedes, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Professora do Departamento de Ciências Sociais, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Nara Azevedo, Fundação Oswaldo Cruz

Professora do Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde, da Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Luiz Otávio Ferreira, Universidade do Estado do Rio de Janeiro; Fundação OswaldoCruz

Professor adjunto do Departamento de Ciências Sociais e Educação, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro; pesquisador titular e docente do Programa de Pós-graduação em História das Ciências e da Saúde, da Fundação OswaldoCruz, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Referências

ALVES, A.; YANASSE, H.; SOMA, N. Perfil dos bolsistas produtividade das áreas de engenharia de produção e de transportes do CNPq: enfoque na subárea de pesquisa operacional. In: Anais do XLIII Simpósio Brasileiro de Pesquisa Operacional, Ubatuba, São Paulo, vol. 8, 2011, pp.144-155.

BARATA, R.; GOLDBAUM, M. Perfil dos pesquisadores com bolsa de produtividade em pesquisa do CNPq da área de saúde coletiva. Rio de Janeiro, Cadernos de Saúde Pública 19(6), 2003, pp.1.863-76. BOURDIEU, P. O campo científico. In: ORTIZ, Renato (org.). Pierre Bourdieu. Sociologia. São Paulo, Ática, 1983, pp.122-155.

CENTRO de Gestão de Estudos Estratégicos (CGEE). Doutores 2010: estudos da demografia da base técnico-científica brasileira. Brasília, Centro de Gestão de Estudos Estratégicos (CGEE), 2010, p.41.

CARLOTTO, M. C. Veredas da mudança na ciência brasileira: discursos, institucionalização e práticas no cenário contemporâneo. São Paulo, Associação Filosófica Scientiae Studia/Editora 34, 2013.

CAVALCANTE, R. et al. Perfil dos pesquisadores da área de odontologia no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). São Paulo, Revista Brasileira de Epidemiologia 11(1), 2008, pp.106-13.

FERREIRA, M; MOREIRA, R. L. (orgs.). CAPES, 50 anos: depoimentos ao CPDOC/FGV. Brasília, Capes, 2002.

HEINZ, F. (org.). Por outra história das elites. Rio de Janeiro, Editora FGV, 2006.

HOSTINS, R. Os Planos Nacionais de Pós-Graduação (PNPG) e suas repercussões na pós-graduação brasileira. Florianópolis, Perspectiva 24(1), 2006, pp.133-60.

LEITE, B. et al. Perfil dos pesquisadores com bolsa de produtividade no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) da área da educação física. Portugal, Edições Desafio Singular, Motricidade 8(3), 2012, pp.90-8.

LIMA, R.; VELHO, L.; FARIA, L. Bibliometria e avaliação da atividade científica: um estudo sobre o índice h. Belo Horizonte, Perspectivas em Ciência da Informação 17(3), 2012, pp.3-17.

MENDES, P. et al. Perfil dos pesquisadores bolsistas de produtividade científica na medicina no CNPq, Brasil. Rio de Janeiro, Revista Brasileira de Educação Médica 34(4), 2010, pp.535-41.

MERTON, R. O efeito Mateus na ciência II: a vantagem cumulativa e o simbolismo da propriedade intelectual. In: MARCOVICH, Anne; SHINN, Terry (orgs.). Robert Merton. Ensaios de sociologia da ciência. São Paulo, Associação Filosófica Scientiae Studia/Editora 34, 2013, pp.199-231. OLINTO, G. Mulheres e jovens na liderança da pesquisa no Brasil: análise das bolsas de pesquisador do CNPq, 2003 [http://ridi.ibict.br/handle/123456789/320 – acesso em: 22 ago. 2014].

OLIVEIRA, A.; BIANCHETTI, L. CNPq: política de fomento à pesquisa nos governos Fernando Henrique Cardoso (FHC). Florianópolis, Perspectiva 24(1), 2006, pp.161-82.

OLIVEIRA, E. et al. Pesquisadores do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico na área de Cardiologia. Rio de Janeiro, Arquivos Brasileiros de Cardiologia 97(3), 2011, pp.186-93.

SANTOS, N.; CÂNDIDO, L.; KUPPENS, C. Produtividade em pesquisa do CNPq: análise do perfil dos pesquisadores da química. São Paulo, Química Nova, 33(2), 2010, pp.489-95.

SANTOS, S. M. C. et al. Perfil dos pesquisadores da Saúde Coletiva no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Rio de Janeiro, Physis 19(3), 2009, pp.761-75.

SPILKI, F. Perfil dos bolsistas de produtividade do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) na área de medicina veterinária. Rio de Janeiro, Pesquisa Veterinária Brasileira 33(2), 2013, pp.205-13.

WAINER, J.; VIEIRA, P. Avaliação de bolsas de produtividade em pesquisa do CNPq e medidas bibliométricas: correlações para todas as grandes áreas. Belo Horizonte, Perspectivas em Ciência da Informação 18(2), 2013, pp.60-78.

WENDT, G. et al. Perfil dos Bolsistas de Produtividade em Pesquisa do CNPQ em Psicologia. Brasília, Psicologia: ciência e profissão 33(3), 2013, pp.536-47.

Downloads

Publicado

2016-04-27

Como Citar

Guedes, M. de C., Azevedo, N., & Ferreira, L. O. (2016). A produtividade científica tem sexo? Um estudo sobre bolsistas de produtividade do CNPq. Cadernos Pagu, (45), 367–399. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8645232