Banner Portal
Corpos brutalizados: conflitos e materializações nas mortes de LGBT
Remoto

Palavras-chave

Violência
Gênero
Sexualidade

Como Citar

EFREM FILHO, Roberto. Corpos brutalizados: conflitos e materializações nas mortes de LGBT. Cadernos Pagu, Campinas, SP, n. 46, p. 311–340, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8645911. Acesso em: 23 jul. 2024.

Resumo

Este trabalho objetiva compreender os conflitos e materializações constituintes das mortes de LGBT reivindicadas, pelo Movimento, como crimes de ódio. Para isso, vale-se do acompanhamento das atividades do Movimento LGBT na Paraíba, de entrevistas com seus militantes e da análise de documentos, inquéritos e autos de processos judiciais. A pesquisa parte de três tematizações centrais: a) a de que o recurso discursivo à brutalidade atua na compleição identitária do próprio Movimento, ao perfazer suas estratégias e pautas políticas; b) a de que as imagens de brutalidade acionadas pelo Movimento performatizam os corpos das vítimas e auxiliam no forjamento desses corpos como vitimados, em especial, pela homofobia; e c) a de que os conflitos entre o Movimento e setores do Estado manipulam as materialidades dos crimes e, consequentemente, as materialidades dos corpos.

Remoto

Referências

AGUIÃO, Sílvia. Fazer-se no “Estado”: uma etnografia sobre o processo de constituição dos “LGBT” como sujeitos de direitos no Brasil contemporâneo. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas2014.

BARATTA, Alessandro. Criminologia crítica e crítica do Direito Penal: introdução à sociologia do direito penal. 3ªEd., Rio de Janeiro, Revan/Instituto Carioca de Criminologia, 2002.[Tradução de Juarez Cirino dos Santos].

BUTLER, Judith. Cuerpos que importam: sobre los limites materiales y discursivos del “sexo”. Buenos Aires, Paidós, 2002. [Tradução de Alcira Bixio] ______. Vida precaria: el poder del duelo y la violência. Buenos Aires, Paidós, 2009. [Tradução de Fermín Rodriguez] ______. Marcos de guerra: las vidas lloradas.. Barcelona, Buenos Aires y México, Paidós, 2010a. [Tradução de Bernardo Moreno Carrillo] ______. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade..

ªed., Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2010b. [Tradução de Renato Aguiar] CALDEIRA, Tereza Pires do Rio. Cidade de muros: crime, segregação e cidadania em São Paulo. 3ªed. São Paulo, Ed. 34/Edusp, 2011.

[Tradução de Frank de Oliveira e Henrique Monteiro] CARRARA, Sérgio; VIANNA, Adriana R. B. “Tá lá o corpo estendido no chão...”: a violência letal contra travestis no Município do Rio de Janeiro. Physis, 16, 02, Rio de Janeiro, IMS-UERJ, 2006, pp.233- 249.

______. “‘As vítimas do desejo’: os tribunais cariocas e a homossexualidade nos anos 1980”. In: PISCITELLI, Adriana; GREGORI, Maria Filomena; CARRARA, Sergio (org.). Sexualidades e saberes: convenções e fronteiras. Rio de Janeiro, Garamond, 2004, pp.365- 383.

DAS, Veena. O ato de testemunhar: violência, gênero e subjetividade. Cadernos Pagu (37), Campinas, Núcleo de Estudos de GêneroPagu/Unicamp, 2011, pp.09–41.

DOIMO, Ana Maria. A vez e a voz do popular: movimentos sociais e participação política no Brasil pós-70. Rio de Janeiro, RelumeDumará/ANPOCS, 1995.

FACCHINI, Regina. Sopa de letrinhas? Movimento homossexual e produção de identidades coletivas nos anos 90. Rio de Janeiro, Garamond, pp.2005.

______. Conexões, processos políticos e movimentos sociais: uma reflexão teórico-metodológica a partir do movimento LGBT. Advir, 28, Rio de Janeiro, Asduerj-UERJ, 2012, pp.6–20.

FELTRAN, Gabriel de Santis. Fronteiras de tensão: política e violência nas periferias de São Paulo. São Paulo, Editora UNESP/CEM/CEBRAP, 2011.

FERNANDES, Florestan. A Revolução Burguesa no Brasil: ensaio de interpretação sociológica. 5ªed. São Paulo, Globo, 2006.

______. Capitalismo dependente e classes sociais na América Latina. 4ªed., São Paulo, Global 2009.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: história da violência nas prisões. 35ªed., Petrópolis, Vozes, 2008. [Tradução de Raquel Ramalhete].

______. História da sexualidade I: a vontade de saber. São Paulo, Graal, 2010. [Tradução de Maria Theresa da Costa Albuquerque e J. A. Guilhon Albuquerque].

FRANÇA, Isadora Lins. “Frango com frango é coisa de paulista: erotismo, deslocamento e homossexualidade entre Recife e São Paulo”. Sexualidad, Salud y Sociedad, 14, Rio de Janeiro, CLAM, 2013, pp.13–39.

GREGORI, Maria Filomena. Limites da sexualidade: violência, gênero e erotismo. Revista de Antropologia da USP, 51, 2, São Paulo, 2008, pp.575–606.

JAMESON, Fredric. A virada cultural: reflexões sobre o pós-moderno. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2006. [Tradução de Carolina Araújo].

LACERDA, Paula Mendes O “caso dos meninos emasculados de Altamira”: polícia, justiça e movimento social. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2012.

LOWENKRON, Laura. O monstro contemporâneo: a construção social da pedofilia em múltiplos planos. Tese (Doutorado em Antropologia Social), Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2012.

MARX, Karl. O 18 Brumário e cartas a Kugelmann. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1997. [Tradução de Leandro Konder e Renato Guimarães].

______. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo, Boitempo, 2006. [Tradução de Jesus Ranieri].

OLÍVAR, José Miguel Nieto. Devir puta: políticas da prostituição de rua na experiência de quatro mulheres militantes. Rio de Janeiro, EdUERJ, 2013.

PERLONGHER, Néstor. O negócio do michê: a prostituição viril em São Paulo. São Paulo, Editora Fundação Perseu Abramo, 2008.

PISCITELLI, Adriana. Trânsitos: brasileiras nos mercados transnacionais do sexo. Rio de Janeiro, EdUERJ, 2013.

SOUZA, Bruna Mantese de. Mulheres de fibra: narrativas e o ato de narrar entre usuárias e trabalhadoras de um serviço de atenção a vítimas de violência na periferia de São Paulo. Tese (Doutorado em Ciências Sociais), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, 2015.

STRATHERN, Marilyn. Cutting the network. The Journal of the Royal Anthropological Institute, 2, 3, 1996, pp.517–535 VIANNA, Adriana; Farias, Juliana. A guerra das mães: dor e política em situações de violência institucional. Cadernos Pagu (37), Campinas, Núcleo de Estudos de Gênero-Pagu/Unicamp, 2011, pp.79–116.

ZANOLI, Vinícius Pedro Correia. Fronteiras da política: relações e disputas no campo do Movimento LGBT em Campinas (1995-2013).

Dissertação (Mestrado em Antropologia), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, 2015.

Downloads

Não há dados estatísticos.