Banner Portal
Mariza Corrêa
PDF

Palavras-chave

Virgínia Woolf
Gênero
Orlando.

Como Citar

Pontes, H., & Gregori, M. F. (2018). Mariza Corrêa: laços, memória e escritos. Cadernos Pagu, (54), e185400. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8656204

Resumo

A certa altura de Orlando, Virgínia Woolf escreve: Defronta agora o biógrafo com uma dificuldade que é melhor confessar do que esconder. Até este ponto da narrativa da vida de Orlando, documentos privados e históricos têm tornado possível o cumprimento do primeiro dever de um biógrafo, que é caminhar, sem olhar para a direita nem para a esquerda, sobre os rastros indeléveis da verdade; sem se deixar seduzir por flores; sem fazer caso da sombra; sempre para diante, metodicamente, até cair em cheio na sepultura, e escrever finis na lápide sobre as nossas cabeças (Woolf, 1972:37).

PDF

Referências

ANTROPOLOGIA como “experiência de qualquer viajante”: entre lugares, autores e anedotas. Entrevista com Peter Fry (por Christiano Tambascia, Vanessa Sander, Vitor Queiroz e Marcelo Perilo, Proa - revista de antropologia e arte, n o 8, vol.1, 2018, pp.112-140.

ARANTES, Antonio Augusto. Origens do Departamento de Antropologia da Unicamp. In: ECKERT, Cornelia; PIETRAFESA DE GODOI, Emilia. Associação Brasileira de Antropologia. Homenagens: 50 anos. Nova Letra, 2006, pp.37-50 [http://www.abant.org.br/conteudo/livros/ABA50Anos.pdf – acesso em: 04 nov. 2018]).

CORRÊA, Mariza. Morte em Família: representações jurídicas de papéis sexuais. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1983.

CORRÊA, Mariza. As ilusões da liberdade: a escola Nina Rodrigues e a antropologia no Brasil. Bragança Paulista/SP: Editora da Universidade São Francisco, 2001.

CORRÊA, Mariza. Antropólogas & antropologia. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

CORRÊA, Mariza. A babá de Freud e outras babás. Cadernos Pagu (29), Campinas, SP, Núcleo de Estudos de Gênero-Pagu/Unicamp, 2007, pp.61-90.

CORRÊA, Mariza. Traficantes do simbólico e outros ensaios sobre a história da antropologia. Campinas/SP, Editora da Unicamp, 2013.

IMAGINA as coisas que se podia imaginar: jovens antropólogos e uma tese embaixo do braço. Entrevista com Verena Stolcke (por Rafael Nascimento César e Thais Lassali). PROA: revista de antropologia e arte, no7, vol. 1, 2017, pp.167-179.

WOOLF, Virgínia. Orlando. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1972, Tradução de Cecília Meireles [1928].

Downloads

Não há dados estatísticos.