Gênero, história da antropologia e construção institucional

homenagem a Mariza Corrêa

Palavras-chave: Gênero, Justiça, Antropologia, Mariza Corrêa, Unicamp.

Resumo

Este artigo é uma homenagem à antropóloga Mariza Corrêa. Com o objetivo principal de realçar a sua contribuição para os estudos de gênero e justiça, o artigo apresenta também seus trabalhos sobre a história antropologia e seu empenho na construção institucional dessa disciplina no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guita Grin Debert, Universidade Estadual de Campinas

Professora do Departamento de Antropologia; pesquisadora do Núcleo de Estudos de Gênero-Pagu, ambos na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, SP, Brasil.

Referências

CORRÊA, Mariza. Os crimes da paixão. São Paulo: Brasiliense, 1981.

CORRÊA, Mariza. Morte em família representações jurídicas de papéis sexuais. Rio de Janeiro: Graal, 1983.

CORRÊA, Mariza; LARAIA, Roque (org.). Roberto Cardoso de Oliveira: homenagem. Campinas: Setor de Publicações do IFCH, Unicamp, 1992.

CORRÊA, Mariza. As ilusões da liberdade – a Escola Nina Rodrigues e a antropologia no Brasil. Bragança Paulista: Editora da Universidade São Francisco, 2000.

CORRÊA, Mariza. Gênero e cidadania. Campinas: Núcleo de Estudos de Gênero-Pagu/Unicamp, 2002.

CORRÊA, Mariza. Antropólogas e Antropologia. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2003.

CORRÊA, Mariza. As reuniões brasileiras de antropologia: cinquenta anos (1953- 2003). Campinas: Editora da Unicamp e Associação Brasileira de Antropologia (ABA), 2003.

CORRÊA, Mariza; SOUZA, Érica Renata de. Vida em família: uma perspectiva comparativa sobre “crimes de honra”. Campinas: Núcleo de Estudos de Gênero-Pagu/Unicamp, 2006.

CORRÊA, Mariza. Traficantes do simbólico e outros ensaios sobre a história da Antropologia. Campinas: Editora da Unicamp, 2013.

EVANS-PRITCHARD-E.-E. Witchcraft, grades and magic among the azande. Londres: Oxford University Press, 1976.

KUPER, Adam. Antropólogos e antropologia. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1978.

LEVI-STRAUSS, Dina. Instruções práticas para pesquisas de antropologia física e cultural. Coleção do Departamento Municipal de Cultura de São Paulo: São Paulo, 1936.

PERLONGER, Nestor. O negocio do Michê – a relação entre o prostituto viril e seu cliente. São Paulo: Editora Brasiliense, 1987.
Publicado
2018-12-14
Como Citar
Debert, G. G. (2018). Gênero, história da antropologia e construção institucional. Cadernos Pagu, (54), e185402. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8656206