Banner Portal
Tica nasceu de papo para cima
PDF

Palavras-chave

Corpo
Religiosidade popular
Transexualidade.

Como Citar

OLIVEIRA JÚNIOR, Ribamar José de. Tica nasceu de papo para cima: enunciados performativos na rainha do Reisado Santa Helena. Cadernos Pagu, Campinas, SP, n. 55, p. e195523, 2019. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8656415. Acesso em: 26 maio. 2024.

Resumo

Este artigo objetiva analisar a performatividade de Francisca da Silva, rainha do Reisado Santa Helena, em Juazeiro do Norte, interior do Ceará. Para tanto, pretende-se discutir como as dissidências sexuais atuam nos sentidos de agência e de resistência diante do contexto regional a partir da teoria sociológica em uma perspectiva decolonial de gênero. O percurso etnográfico considera a performance de Tica um ponto-chave para perceber os atravessamentos no rito religioso e na forma como ela pode fazer um corte no núcleo duro da heteronorma, forçando a permeabilidade ao não binarismo na poética da tradição.

PDF

Referências

BARROSO, Oswald. Teatro como encantamento: bois e reisados de caretas. Fortaleza: Armazém da Cultura, 2013.

BENTO, Berenice. Transviad@s: gênero, sexualidade e direitos humanos. Salvador: EDUFBA, 2017.

BORBA, Rodrigo. A linguagem importa? Sobre performance, performatividade e peregrinações conceituais. cadernos pagu(43), Campinas, SP, Núcleo de Estudos de GêneroPagu/Unicamp, 2014, pp.441-473.

BUTLER, Judith. Corpos que pesam: sobre os limites discursivos do “sexo”. In: LOURO, Guacira Lopes (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. 2.ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2001, pp.152-172.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003 [1990].

CASELLI, Mariana. Tica, a rainha do Reisado. Jornal Sertão Transviado. Juazeiro do Norte, ano 1, 3.ed., 2016, pp.6-7.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs. vol. 4. São Paulo: Editora, vol. 34, 1997.

DELEUZE, Gilles. Post-Scriptum sobre as Sociedades de Controle. Conversações: 1972-1990. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992, pp.219-226. Tradução de Peter Pál Pelbart.

DELEUZE, Gilles. Diálogos. São Paulo: Escuta, 1998 [1977].

LATOUR, Bruno. Reagregando o social: uma introdução à teoria do ator-rede. Salvador; Bauru: EDUFBA; EDUSC, 2012.

LOPES, Denilson. Da estética da comunicação a uma poética do cotidiano. Comunicação e experiência estética. Belo Horizonte: UFMG, 2006.

LORDE, Audre. The master’s tools will never dismantle the master’s house. In: LORDE, Audre. Sister outsider: essays and speeches. New York: The Crossing Press Feminist Series, 1984, pp.110- 113.

LUGONES, María. Rumo a um feminismo descolonial. Revista Estudos Feministas, vol. 22, nº 3, Florianópolis, SC, UFSC, 2014, pp.935-952.

OLIVEIRA, R. C. de. O trabalho do antropólogo: olhar, ouvir, escrever. In: OLIVEIRA, R. C. de. O trabalho do antropólogo. São Paulo: Paralelo 15/UNESP, 1988.

OLIVEIRA JUNIOR, Ribamar José de. Mãe dos mestres: a gênese do Reisado no Cariri. Revista Caracteres, 4.ed., Juazeiro do Norte/CE, 2017, pp.16-21.

PRECIADO, Beatriz. Manifesto Contrassexual. São Paulo: N-1 Edições, 2014.

RODRIGUES, Antonio. Travesti é encontrada morta em Moreilândia (PE): a vítima morava em Juazeiro. Diário do Nordeste, 26 de setembro de 2017. Disponível em: http://blogs.diariodonordeste.com.br/cariri/policia/travesti-eencontrada-morta-em-moreilandia-pe-a-vitima-morava-emjuazeiro/. Acesso em: 3 ago 2018.

ROLNIK, Suely. A hora da micropolítica. São Paulo: N-1 edições, 2016.

TAKEUTI, N. M. Refazendo a margem pela arte e política. Nómadas, 32, Colômbia, 2010, pp.13-26.

TAKEUTI, N. (De)colonialidades e conhecimentos: interstícios nas Ciências Sociais. Revista Cronos, 17(1), Natal-RN, 2017, pp.09- 24.

TÚLIO, Demitri. A rainha Tica. Jornal O Povo: almanaque rotas para o semiárido, Caderno Especial, Fortaleza-CE, 2017, pp.2-3.

Downloads

Não há dados estatísticos.