Banner Portal
Feminismos em movimento no ciberespaço
PDF

Palavras-chave

Feminismo
Internet
Redes sociais
Conhecimento.

Como Citar

MARTINEZ, Fabiana. Feminismos em movimento no ciberespaço. Cadernos Pagu, Campinas, SP, n. 56, p. 1–34, 2019. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8657098. Acesso em: 15 jun. 2024.

Resumo

O objetivo geral deste artigo é compreender, através da descrição e análise de algumas manifestações significativas da internet, o papel do ambiente web como locus de ação e reflexão na construção de uma nova epistemologia do conhecimento feminista, mais reticulada, fluida e multivariada. Em primeiro lugar, será discutida a relação histórica entre mulheres e redes sociais e o conjunto de discursos e manifestações feministas que eclodiram em 2015. Em seguida, traçamos um panorama do feminismo na internet, tratando da articulação entre grupos de discussão feministas do Facebook e blogs feministas. Dentro disso, é feita uma análise desses grupos, atentando para um fenômeno que vem chamando a atenção e que parece ser constitutivo do conhecimento feminista que ora se dissemina no espaço web: a segmentação bem marcada nesses espaços em “vertentes” (liberal, interseccional, marxista, queer ou LGBT e radical), que competem entre si, sobretudo no que tange à busca de entendimento por uma ontologia de gênero.

PDF

Referências

ALVAREZ, Sonia. Para além da sociedade civil: reflexões sobre o campo feminista. cadernos pagu (43), Campinas, SP, Núcleo de Estudos de Gênero-Pagu/Unicamp, jan./jun. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cpa/n43/0104-8333-cpa-43-0013.pdf. Acesso em: 07 ago 2019.

BOIX, Monteserrat; MIGUEL, Ana de. Os gêneros da rede: os ciberfeminismos. In: NATHANSON, Graciela (org.). Internet em código feminino: teorias e práticas. Buenos Aires, La Crujía Ediciones, 2013, pp.15-38.

COLLINS, Patricia H. Black Feminist Thought: Knowledge, Consciousness and The Politics of Empowerment. Nova Iorque, Routledge, 2000.

CRENSHAW, Kimberlé. Documento para o Encontro de especialistas em aspectos da discriminação racial relativos ao gênero, University of California, Los Angeles, 2002. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ref/v10n1/11636.pdf. Acesso em: 07 ago. 2019.

FACHINI, Regina; FRANÇA, Isadora L. Apresentação Dossiê Feminismos Jovens. cadernos pagu (36), Campinas, SP, Núcleo de Estudos de Gênero-Pagu/Unicamp, jan./jun. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cpa/n36/n36a2.pdf. Acesso em: 07 ago. 2019.

FERREIRA, Carolina B. de. C. Feminismos Web: linhas de ação e maneiras de atuação no debate feminista contemporâneo. cadernos pagu (44), Campinas, Núcleo de Estudos de Gênero-Pagu/Unicamp, jan./jun. 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cpa/n44/pt_0104-8333-cpa44-00199.pdf. Acesso em: 07 ago. 2019.

GARBIN, Elisabete M. Cultur@S juvenis, identid@des e internet: questões atuais. Revista Brasileira de Educação, n. 23, Rio de Janeiro, Ago 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n23/n23a08.pdf. Acesso em: 07 ago. 2019.

GONÇALVES, Eliane; PINTO, Joana P. Reflexões e problemas da “transmissão” intergeracional no feminismo brasileiro. cadernos pagu (36), Campinas, SP, Núcleo de Estudos de Gênero-Pagu/Unicamp, jan./jun., 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cpa/n36/n36a3.pdf. Acesso em: 07 ago. 2019.

HAMMINGS, Claire. Contando estórias feministas. Revista Estudos Feministas, vol. 17, n. 1, Florianópolis, 2009 [https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/S0104- 026X2009000100012/10991 – 07 ago 2019].

HIRATA, Helena. Gênero, classe e raça: interseccionalidade e consubstancialidade das relações sociais. Tempo Social, vol.26, n. 1, São Paulo, jan./jun., 2014, pp.61-73.

JOFFÉ, George. A primavera Árabe no norte de África: origens e perspectivas de futuro. Relações Internacionais, n. 30, Lisboa, jun.2011, pp.85-116.

LEMOS, Marina G. Ciberfeminismo: novos discursos do feminino em redes eletrônicas. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Semiótica), Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 2009.

LÉVI-STRAUSS, Claude. Mitológicas I. O cru e o cozido. São Paulo, Cosac & Naify, 2006.

LIMA, Nataly Q.; SANTOS, Maria Salett T. dos. Redes sociais e juventude rural: apropriações de propostas de comunicação para o desenvolvimento em redes globalizadas. Intercom, Revista Brasileira de Ciência da Comunicação, vol.35, n. 2, São Paulo, jul./dez. 2012, pp.225-246.

LITTLE, Paul E. Ecologia política como etnografia: um guia teórico e metodológico. Horizontes Antropológicos, vol. 12, n. 25, Porto Alegre, jan./jun. 2006, pp.85-103.

MARCUS, George. Ethnography in/of The world system: the emergence of multi-sited ethnography. Annual Review Of Anthropology, vol.24, California, 1995, pp.95-117.

NATHANSON, Graciela. O que tem a ver as tecnologias digitais com gênero? In: NATHANSON, Graciela (Org.). Internet em código feminino: teorias e práticas. Buenos Aires, La Crujía Ediciones, 2013, pp.15-38.

NICHOLSON, Linda. Interpretando o gênero. Revista Estudos Feministas, vol. 8, n.2, Florianópolis, 2000, pp.9-43.

PISCITELLI, Adriana. Recriando a (Categoria) Mulher?” In: ALGRANTI, L. (Org.). A prática feminista e o conceito de gênero. Textos Didáticos, n. 48, Campinas, IFCH/Unicamp, 2002, pp.7-42.

PLANT, Sadie. A mulher digital. O feminismo e as novas tecnologias. Rio de Janeiro, Rosa dos Tempos, 1999.

RIFIOTIS, Theofilus. Desafios contemporâneos para a antropologia no ciberespaço. Revista Civitas vol. 12, n. 03, Porto Alegre, 2012, pp.566-578.

SCOTT, Joan W. Experiência. In: LEITE DA SILVA, Alcione et alii (Org.). Falas de gênero. Santa Catarina, Ed. Mulheres, 1999. Disponível em: http://historiacultural.mpbnet.com.br/feminismo/Joan_ScootExperiencia.pdf. Acesso em: 07 ago. 2019.

SORJ, Bila; GOMES, Carla. Corpo, geração e identidade: a marcha das vadias no Brasil. Soc. Estado, vol.29, n. 2, Brasília, maio/aug. 2014.

STRATHERN, Marilyn. O gênero da dádiva. problemas com as mulheres e problemas com a sociedade na Melanésia. Campinas, Editora Unicamp, 2006.

VERMELHO, Sonia C.et alii. Refletindo sobre as redes sociais digitais. Educação e Sociedade, vol.35, n.126, Campinas, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v35n126/11.pdf. Acesso em: 07 ago. 2019.

ZANETTI, Julia. Jovens feministas do Rio de Janeiro: trajetórias, pautas e relações intergeracionais. cadernos pagu (36), Campinas, SP, Núcleo de Estudos de Gênero-Pagu/Unicamp, jan./jun. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cpa/n36/n36a4.pdf. Acesso em: 07 ago. 2019.

Downloads

Não há dados estatísticos.