Perfechatividades de gênero

a contribuição das fechativas e afeminadas à teoria da performatividade de gênero

Palavras-chave: Performatividade de Gênero, Performance, Sexualidade, Queer.

Resumo

Este trabalho avalia algumas críticas relacionadas à teoria da performatividade de gênero, criada por Judith Butler, e propõe a perfechatividade para pensar a performatividade de gênero a partir de pesquisas sobre gays fechativos e/ou afeminados realizadas em Salvador. Para realizar esse percurso, o texto divide as críticas à Butler em dois blocos e explica como ela ampliou a teoria da performatividade de gênero e, ao mesmo tempo, respondeu aos seus críticos. Ao fazer isso, Butler qualificou a sua teoria, mas usou uma distinção entre performance e performatividade que pode ser problematizada a partir dos estudos da performance e daquilo que estamos nomeando como perfechatividade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandro Colling, Universidade Federal da Bahia

Professor permanente do Programa Multidisciplinar de Pós-graduação em Cultura e Sociedade; professor  colaborador do Programa de Pós-Graduação em Estudos Interdisciplinares sobre Mulheres, Gênero e Feminismo, da Universidade Federal da Bahia; coordenador do Núcleo de Pesquisa e Extensão em Culturas, Gêneros e Sexualidades (NuCuS), Salvador, Brasil.

Murilo Souza Arruda, Universidade Católica de Salvador

Professor assistente da Faculdade de Direito da Universidade Católica de Salvador (UCSal); professor substituto da Área de Antropologia da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Feira de Santana, BA, Brasil. Também é coordenador do Núcleo de Análise em Direitos Humanos e Alteridades (NADHA-UCSAL).

Murillo Nascimento Nonato, Universidade Federal da Bahia

Mestre pelo Programa Multidisciplinar de Pós-graduação em Cultura e Sociedade, Salvador, Bahia, Brasil.

Referências

Arruda, Murilo Souza. O corpo e o gênero fechativo pelas ruas de Salvador. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2017

Barad, Karen. Performatividade pós-humanista: para entender como a matéria chega à matéria. Vazantes, vol. 1, n. 1, 2017, pp.7-34.

Butler, Judith. Corpos que pesam: sobre os limites discursivos do “sexo”. In: Louro, Guacira Lopes. O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte, Autêntica, 2001, pp.151-172.

Butler, Judith. Notes toward a performative theory of assembly. London, Harvand University Press, 2015.

Butler, Judith. Repensar la vulnerabilidad y la resistencia. XV Simposio de la Asociación Internacional de Filósofas, Madri, 2014.

Butler, Judith. Críticamente subversiva. In: Jiménez, Rafael M. Mérida. Sexualidades transgresoras. Una antología de estúdios queer. Barcelona, Icária editorial, 2002, pp.55-80.

Butler, Judith. Problemas de gênero. Feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2003.

Butler, Judith. Prefácio. In: El género en disputa. El feminismo y la subversión de la identidade. Barcelona, Paidós, 2007, pp.7-33. [1999]

Butler, Judith. Cuerpos que importan. Sobre los limites materiales y discursivos del “sexo”. Buenos Aires, Paidós, 2008.

Butler, Judith. Meramente cultural. Idéias, Campinas, São Paulo, vol. 7, n. 2, jul/dez 2016, pp.227-248.

Chazan, LK. “Meio quilo de gente”: um estudo antropológico sobre o ultra-som obstétrico. Rio de Janeiro, Editora Fiocruz, 2007.

Cohen, Renato. Performance como linguagem. Criação de um tempo-espaço de experimentação. São Paulo, Editora Perspectiva, 2002.

Colling, Leandro. Que os outros sejam o normal: tensões entre movimento LGBT e ativismo queer. Salvador, EDUFBA, 2015.

Colling, Leandro. Artivismos das dissidências sexuais e de gênero. Revista CULT, n. 226, agosto de 2017.

Cyfer, Ingrid. Afinal, o que é uma mulher? Simone de Beauvoir e “a questão do sujeito” na teoria crítica feminista. Lua Nova, n.94, São Paulo, 2015, pp.41-77.

Duque, Tiago. Gêneros incríveis: um estudo sócio-antropológico sobre as experiências de (não) passar por homem e/ou mulher. Campo Grande, Editora da UFMS, 2017.

Femenías, María Luisa. Judith Butler: introducción a su lectura. Buenos Aires, Catálogos, 2003.

Féral, Josette. Por uma poética da performatividade: o teatro performativo. Sala Preta, vol. 8, 2008, pp.197-210.

Fraser, Nancy. Heterossexismo, falso reconhecimento e capitalismo: uma resposta a Judith Butler. Idéias, Campinas, São Paulo, vol. 8, n. 1, jan/jun 2017, pp.277-294.

Leite, Janaina Fontes. Autoescrituras performativas. São Paulo, Perspectiva, 2017.

Lima, Carlos Henrique Lucas. Linguagens pajubeyras: re(ex)sistência cultural e subversão da heteronormatividade. Tese (Doutorado em Cultura e Sociedade) – Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2016.

Macrae, Edward. Os respeitáveis militantes e as bichas loucas. In: Colling, Leandro (org.). Stonewall 40 + o que no Brasil? Salvador, EDUFBA, 2011, pp.21-36.

Navarro, Pablo Pérez. Del texto ao sexo – Judith Butler y la performatividad. Editorial Egales, Barcelona/Madrid, 2008.

Navarro, Pablo Pérez. Parodias de la parodia en Martha Nussbaum y Celia Amorós. In: Soley-Beltran, Patrícia; Sabsay, Leticia. Judith Butler en disputa – lecturas sobre la performatividad. Barcelona, Madrid, Egales, 2012, pp.27-58.

Nonato, Murillo. Problemas de gênero de um gay afeminado. Dissertação (Mestrado em Cultura e Sociedade) – Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2017.

Prins, Baukje; Meijer, Irene Costera. Como os corpos se tornam matéria: entrevista com Judith Butler. Rev. Estud. Fem. [online]. 2002, vol.10, n.1, pp.155-167.

Salih, Sara. Judith Butler e a teoria queer. Belo Horizonte, Autêntica, 2012.

Preciado, Paul B. Manifiesto contra-sexual. Madrid, Opera Prima, 2002.

Preciado, Paul B. Cuerpo y discurso em en la obra de Judith Butler: políticas de lo abyecto. In: Córdoba, David; Sáez, Javier; Vidarte, Paco P. (org.). Teoria queer: políticas bolleras, maricas, trans, mestizas. Madrid, Editorial Egales, 2ª edición, 2005, pp.111-132.

Preciado, Paul B. Testo yonqui. Madrid, Editorial Espasa Calpe, 2008.

Steckert, Daiane Dordete. Possível cartografia para um corpo vocal queer em performance. Tese (Doutorado em Teatro) – Centro de Artes, Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

Vergueiro, Viviane. Por inflexões decoloniais de corpos e identidades de gênero inconformes: uma análise autoetnográfica da cisgeneridade como normatividade. Dissertação (Mestrado em Cultura e Sociedade), Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2015.
Publicado
2019-12-15
Como Citar
Colling, L., Arruda, M. S., & Nonato, M. N. (2019). Perfechatividades de gênero . Cadernos Pagu, (57), e195702. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8658138
Seção
Artigos