Banner Portal
O rolê feminista
PDF

Palavras-chave

Movimentos Sociais
Prefiguração
Feminismos
Autonomia
Escracho.

Como Citar

DO CARMO, Íris Nery. O rolê feminista : autonomia e política prefigurativa no campo feminista contemporâneo. Cadernos Pagu, Campinas, SP, n. 57, p. e195704, 2019. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8658139. Acesso em: 21 maio. 2024.

Resumo

Este artigo parte do contexto dos movimentos sociais contemporâneos e tem como objeto empírico uma rede informal de ativistas jovens auto-referenciada como rolê feminista, cujas relações são norteadas por ideário associado à autonomia, ao faça você mesma e à horizontalidade. Tendo em vista as formas recentes de politização do gênero e da sexualidade, o artigo busca explorar os sentidos nativos atribuídos à autonomia. Assim, olhando para os discursos e práticas ativistas,  discuto a sua materialização na prática da okupação e seus desdobramentos – como o escracho – no espaço público. Para tal, dialogo criticamente com a noção de “prefiguração”, apontando, à luz dos dados etnográficos, potencialidades e lacunas. Por fim, chamo atenção para a rentabilidade analítica de rolê frente aos limites da categoria movimento social no período pós-anos 2000.

PDF

Referências

Alvarez, Sônia. Para além da sociedade civil: reflexões sobre o campo feminista. cadernos pagu (43), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero-Pagu/Unicamp, jan-julho 2014, pp.13-56.

Alvarez, Sonia et alii. Introduction: Interrogating the civil society agenda, reassessing uncivic political activism. In: Alvarez, Sonia et alii (org.). Beyond civil society: activism, participation, and protest in Latin America. Durham & London, Duke University Press, 2017, pp.1-24.

Bringel, Breno; Pleyers, Geoffrey. Junho de 2013... dois anos depois: polarização, impactos e reconfiguração do ativismo no Brasil. Nueva Sociedad, vol. 2015, n. 2, 2015, pp. 4-17.

Butler, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2003.

Butler, Judith. Corpos que pesam: sobre os limites discursivos do “sexo”. In: Louro, Guacira (org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte, Autêntica Editora, 2010, pp.151-172.

Butler, Judith. Notes toward a performative theory of assembly. Cambridge, Harvard University Press, 2015.

Butler, Judith. Rethinking vulnerability and resistance. In: Butler, Judith; Gambetti, Zeynep; Sabsay, Leticia (org.). Vulnerability in resistance. Durham and London, Duke University Press, 2016, pp.12-27.

Butler, Judith. Alianças queer e política anti-guerra. Bagoas, n. 16, Natal, RN, UFRN, 2017, pp.29-49.

Caldeira, Teresa. Qual a novidade dos rolezinhos? Espaço público, desigualdade e mudança em São Paulo. Novos Estudos, n. 98, São Paulo, CEBRAP, março 2014, pp.13-20.

Carmo, Íris Nery do. “Fiz do meu corpo a revolução”: gastropolíticas e contestações de gênero, sexualidade e espécie. In: Colling, Leandro (org.). Dissidências sexuais e de gênero. Salvador, Edufba, 2016, pp.91-108.

Carmo, Íris Nery do. O perigo das dobras: iconografias e corporalidades no feminismo contemporâneo. Sociologia & Antropologia. vol. 8, n. 1, 2018a, pp.193-222.

Carmo, Íris Nery do. O rolê feminista: autonomia, horizontalidade e produção de sujeito no campo feminista contemporâneo. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2018b.

Facchini, Regina; Sívori, Horacio. Conservadorismo, direitos, moralidades e violência: situando um conjunto de reflexões. cadernos pagu (50), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero-Pagu/Unicamp, 2017 [http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-83332017000200301 – acesso em 2 nov. 2017].

Facchini, Regina. Rodrigues, Julian. “Que onda é essa?”: “guerras culturais” e movimento LGBT no cenário brasileiro contemporâneo. In: Viana, Frederico Machado (org.). A diversidade e a livre expressão sexual entre as ruas e as políticas públicas. Porto Alegre, Editora Rede Unida; Nuances, 2017, pp.35-60.

Facchini, Regina. Entre umas e outras: mulheres, (homo)sexualidades e diferenças na cidade de São Paulo. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

Farber, Samuel. Reflexões sobre a política pré-figurativa. Nueva Sociedad. dez. 2014, pp.76-92 [https://nuso.org/articulo/reflexoes-sobre-politica-pre-figurativa/ – acesso em 02 nov. 2017].

Gomes, Carla; Sorj, Bila. Corpo, geração e identidade: a Marcha das Vadias no Brasil. Revista Sociedade e Estado, vol. 29, n. 2, maio/ago. 2014, pp.433-447.

Gomes, Carla de Castro. Corpo e emoção no protesto feminista: a Marcha das Vadias do Rio de Janeiro. Sexualidad, salud y sociedad, n.25, Rio de Janeiro, IMS/UERJ, abril 2017, pp.231-255.

Gomes, Carla de Castro.Corpo, emoção e identidade no campo feminista contemporâneo brasileiro: a Marcha das Vadias do Rio de Janeiro. Tese (Doutorado em Sociologia e Antropologia) – IFCS/ UFRJ, Rio de Janeiro, 2018.

Gonçalves, Eliane; Freitas, Fátima; Oliveira, Elismênia. Das idades transitórias: as “jovens” no feminismo brasileiro contemporâneo, suas ações e seus dilemas. Revista Feminismos, vol. 1, n, 3, set./dez. 2013 [https://portalseer.ufba.br/index.php/feminismos/article/view/29994/17736 – acesso em 02 nov. 2017].

Gregori, Maria Filomena. Cenas e queixas: um estudo sobre mulheres, relações violentas e a prática feminista. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1993.

Gutterres, Anelise; Vianna, Adriana; Aguião, Silvia. Percursos, tensões e possibilidades da participação de movimentos de mulheres e feminista nas políticas governamentais. In: Heredia, Beatriz; Lopes, José Sérgio Leite (org.). Movimentos sociais e esfera pública. Rio de Janeiro, CBAE, 2014, pp.211-236.

Lima, Stephanie. “As bi, as gay, as trava, as sapatão tão tudo organizada pra fazer revolução!” Uma análise sócio-antropológica do Encontro Nacional Universitário da Diversidade Sexual (ENUDS). Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva), Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.

Matos, Marlise. A quarta onda feminista e o campo crítico-emancipatório das diferenças no Brasil: entre a destradicionalização social e o neoconservadorismo político. 38º Encontro Anual da ANPOCS, Caxambu, 2014.

MacRae, Edward. A construção da igualdade: identidade sexual e política no Brasil da “Abertura”. Editora da Unicamp, Campinas, 1990.

MPL, Movimento Passe Livre. Não começou em Salvador, não vai terminar em São Paulo. In: Maricato, E. et alii. Cidades Rebeldes: Passe Livre e as manifestações que tomaram as ruas do Brasil. São Paulo, Boitempo, 2013, pp.13-18.

Ortellado, Pablo. Os protestos de junho entre o processo e o resultado. In: Vinte centavos: a luta contra o aumento, 2013 [http://www.cartacapital.com.br/sociedade/os-protestos-de-junho-entre-o-processo-e-o-resultado-7745.html – acesso em 05 fev. 2016].

Ortiz, Elaine.Silveira, Sergio. Redes sociais, censura privada e modulação. Anais. 37º Encontro Anual da ANPOCS. Águas de Lindóia/SP, 23 a 27 de setembro de 2013.

Rolnik, Raquel. Apresentação – As vozes das ruas: as revoltas de junho e suas interpretações. In: Maricato, E. et alii. Cidades Rebeldes: Passe Livre e as manifestações que tomaram as ruas do Brasil. São Paulo, Boitempo, 2013, pp.7-12.

Tarducci, Monica. “Poner el cuerpo” en las calles: los enfrentamientos de las activistas feministas y los grupos anti-derechos. cadernos pagu (50), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero-Pagu/Unicamp, 2017 [http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-83332017000200313&lng=pt&nrm=iso – acesso em 02 nov. 2017].

Thayer, Millie. The “gray zone” between movements and markets: Brazilian feminists and the international Aid Chain. In: Alvarez, Sonia et alii. Beyond Civil Society: activism, participation, and protest in Latin America. Durham and London, Duke University Press, 2017, pp.156-176.

Thayer, Millie; Rubin, Jeffrey. Uncontained activism. In: Alvarez, Sonia. et alii (org.). Beyond civil society: activism, participation, and protest in Latin America. Durham & London, Duke University Press, 2017, pp.331-337.

Yates, Luke. Rethinking prefiguration: Alternatives, micropolitics and goals in social movements. Social Movement Studies, n. 14, vol. 1, 2015, pp.1-21.

Downloads

Não há dados estatísticos.