Banner Portal
A cidade e o transnacional em algum lugar, de Paloma Vidal
PDF

Palavras-chave

Deslocamentos transnacionais
Paloma Vidal
Crítica literária feminista
Literatura brasileira contemporânea

Como Citar

STOLL, Daniela Schrickte. A cidade e o transnacional em algum lugar, de Paloma Vidal. Cadernos Pagu, Campinas, SP, n. 62, p. e216207, 2021. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8667004. Acesso em: 18 maio. 2024.

Resumo

O artigo analisa o romance Algum lugar (2009), de Paloma Vidal, e pretende perceber, na relação da personagem principal com a cidade de Los Angeles, reflexos de movimentos globais, como imperialismo, imigração e construção de identidades hifenizadas. Seu caminhar pelas avenidas desconhecidas é um gesto muito significativo, porque é uma forma de apropriação, enquanto mulher e imigrante, do espaço excludente da cidade. Objetiva-se, ainda, debater as diferentes experiências das mulheres na diáspora e as possibilidades de um feminismo transnacional.

PDF

Referências

ACHUGAR, Hugo. Culpas y memorias em las modernidades locales: balbuceos fragmentarios so pretexto de “el flâneur” de Walter Benjamin. Revista eletrónica de estudios filológicos (16), s.p., dezembro 2008. Disponível em: https://www.um.es/tonosdigital/ znum16/secciones/estudios-1.htm. Acesso em: julho de 2017.

ALMEIDA, Sandra G. Mulheres tão diferentes que éramos: a escritora contemporânea e as narrativas cosmopolitas na aldeia global. In: DALCASTAGNÈ, Regina; LEAL, Virgínia (Org.). Deslocamentos de gênero na narrativa brasileira contemporânea. São Paulo, Horizonte, 2010, pp.12-22.

ALMEIDA, Sandra G. Cartografias contemporâneas: espaço, corpo, escrita. Rio de Janeiro, 7Letras, 2015.

ANZALDÚA, Gloria. Borderlands/La Frontera: the new mestiza consciousness. San Francisco, Aunt Lute Press, 1987.

BAUMAN, Zygmunt. Vidas desperdiçadas. Rio de Janeiro, Zahar, 2005.Tradução de Carlos Alberto Medeiros.

BAUMAN, Zygmunt. Confiança e medo na cidade Rio de Janeiro, Zahar. 2009. E-book. Tradução de Eliana Aguiar.

BRAH, Avtar. Cartografías de la diáspora: identidades en cuestión. Madrid, Traficantes de sueños, 2011 [1996].

BRAH, Avtar; PHOENIX, Ann. Não sou uma mulher? Revisitando a interseccionalidade [2004]. Tradução de Claudia Santos Mayer e Matias Corbett Garcez. In: BRANDÃO, Izabel; CAVALCANTI, Ildney; COSTA, Cláudia de Lima; LIMA, Ana Cecília Acioli (Org.). Traduções da cultura: perspectivas críticas feministas (1970-2010). Florianópolis, Editora da UFSC, 2017, pp.661-684.

COLLINS, Patricia Hill. Black feminist thought: Knowledge, Consciousness, and the Politics of Empowerment. New York, London, Routledge, 2000.

CONNEL, Raewyn; PEARSE, Rebecca. Gênero: uma perspectiva global. São Paulo, nVersos, 2015.Tradução e revisão técnica: Marília Moschkovich.

ELKIN, Lauren. Flâneuse: women walk the city in Paris, New York, Tokyo, Venice and London. New York, Farrar, Straus and Giroux, 2016. E-book.

GREWAL, Inderpal. Transnational America: feminisms, diasporas, neoliberalisms. Londres, Duke University Press, 2005.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte, Editora UFMG, 2006. 1ª reimpressão revista. Tradução de Adelaine La Guardia Resende; Ana Carolina Escosteguy et al.

INTERNATIONAL Organization for Migration. World migration 2015. Disponível em: https://www.iom.int/world-migration. Acesso em: outubro de 2017.

INTERNATIONAL Organization for Migration. Fatal journeys 2017. Disponível em: http://publications.iom. int/system/files/pdf/fatal_journeys_volume_3_part_1.pdf. Acesso em: outubro de 2017.

KAPLAN, Caren. Questions of travel: postmodern discourses of displacements. Durham, Duke University Press, 2000. E-book.

KERNER, Ina. Tudo é interseccional? Sobre a relação entre sexismo e racismo. Tradução de Bianca Tavolari. Novos estudos – CEBRAP (93), 2012, pp.45-58. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/nec/n93/ n93a05.pdf. Acesso em: novembro de 2017.

MAHLER, Sarah J.; PESSAR, Patricia R. Gendered Geographies of Power: Analyzing Gender Across Transnational Spaces. Identities: Global Studies in Culture and Power (7:4), 2001, pp.441-459.

MASSEY, Doreen. Space, place and gender Minneapolis, University of Minnesota Press, 2009 [1994].

PRATT, Mary Louise. A crítica na zona de contato: nação e comunidade fora de foco. Travessia (38), 1999, pp.7-29.

SAID, Edward. Cultura e imperialismo São Paulo, Companhia das Letras, 2011 [1993]. Tradução de Denise Bottmann.

SHOHAT, Ella. A vinda para a América: reflexões sobre perda de cabelos e de memória. Revista Estudos Feministas (10:1), 2002, pp.99-117. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ref/v10n1/ 11631. Acesso em: outubro de 2017.

VAINER, Carlos. Deslocamentos compulsórios, restrições à livre circulação: elementos para um reconhecimento teórico da violência como fator migratório. In: Encontro Nacional de Estudos Populacionais da ABEP, 11, 1998, Caxambu, MG. Anais... Belo Horizonte, ABEP, 1998, pp.819-835.

VIDAL, Paloma. Algum lugar Rio de Janeiro, 7Letras, 2009.

WEISS, Thomas; CHALTELT, Pedro. México: public policies benefiting migrants. Cidade do México, Organización Internacional para las Migraciones Misión México, 2011. Disponível em: http://publications.iom.int/system/files/pdf/oim_pp_en.pdf. Acesso em: outubro de 2017.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Daniela Schrickte Stoll

Downloads

Não há dados estatísticos.