Banner Portal
O aborto provocado e seus estigmas
PDF

Palavras-chave

Aborto induzido
Aborto
Mulheres

Como Citar

Velleda, K. L. ., Oliveira, S. G. ., & Casarin, S. T. . (2022). O aborto provocado e seus estigmas: uma problematização foucaultiana em enfermagem. Cadernos Pagu, (64), e226418. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8670414

Resumo

Pesquisa qualitativa de inspiração Foucaultiana na vertente pós-estruturalista que objetivou identificar quais discursos interpelam as motivações e enfrentamentos das mulheres que realizaram aborto. O bate-papo do Facebook foi utilizado para as entrevistas narrativas. A construção social do papel da mulher na sociedade consiste em um dos aspectos de maior impacto quando se trata do aborto e dos direitos sobre o corpo, pois os delineamentos históricos e culturais arraigados por discursos patriarcais responsáveis por estabelecer uma hierarquia de gêneros refletem diretamente nos estereótipos que subjetivam as mulheres que abortam.

PDF

Referências

ADESSE, Leila; MONTEIRO, Mário F.G.; LEVIN, Jacques. Panorama do aborto no Brasil – grave problema de saúde pública e de justiça social. Radis, n. 66, 2008, pp.10-15. Disponível em: https://radis.ensp.fiocruz.br/index.php/todas-as-edicoes/66/. Acesso em: março de 2022.

ALMEIDA, Tânia Mara Campos de; BANDEIRA, Lourdes Maria. O aborto e o uso do corpo feminino na política: a campanha presidencial brasileira em 2010 e seus desdobramentos atuais. cadernos pagu (41), Campinas, SP, Núcleo de Estudos de Gênero – Pagu/Unicamp, 2013, pp.371-403. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-83332013000200018.

BADINTER, Elisabeth. Um Amor conquistado: o mito do amor materno. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1985.

BEAUVOIR, Simone. O Segundo Sexo: fatos e mitos. v.1, 3ed, Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 2016.

BIROLI, Flávia. Autonomia e justiça no debate sobre aborto: implicações teóricas e políticas. Revista Brasileira de Ciência Política, v.15, p.37, 2014, pp.37-68. https://doi.org/10.1590/0103-335220141503

BRASIL. Ministério da Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012: Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 12 dez. 2012. Disponível em: https://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf. Acesso em: setembro de 2016.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Norma Técnica de Atenção Humanizada ao Abortamento. 2ed, Brasília, Ministério da Saúde, 2011. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_humanizada_abortamento_norma_tecnica_2ed.pdf. Acesso em: fevereiro de 2017.

CANDIOTTO, Cesar. Foucault: uma história crítica da verdade . Trans./Form./Ação, São Paulo, v.29, n.2, 2006, pp.65-78. https://doi.org/10.1590/S0101-31732006000200006

CARNEIRO, Monique França; BERNSTEIN IRIART, Jorge Alberto; DE SOUZA MENEZES, Greice Maria. “Largada sozinha, mas tudo bem”: paradoxos da experiência de mulheres na hospitalização por abortamento provocado em Salvador, Bahia, Brasil. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v.17, n.45, 2013, pp.405-418. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/icse/2013.v17n45/405-418/. Acesso em: julho de 2020.

CARVALHO, Simone Mendes; PAES, Graciele Oroski. As experiências de mulheres jovens no processo do aborto clandestino–uma abordagem sociológica. Saúde e Sociedade, v.23, n.2, 2014, pp.548-557. https://doi.org/10.1590/S0104-12902014000200015

CHUMPITAZ, Violeta Angélica Cuenca. Percepções femininas sobre a participação do parceiro nas decisões reprodutivas e no aborto induzido. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública), Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2003. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/5163/2/violeta_ang%C3%A9lica_cuenca_chumpitaz_ensp_mest_2003.pdf. Acesso em: fevereiro de 2017.

COSTA, Raphael Mendonça; JÚNIOR, Cildo Giolo. Teorias jurídicas acerca do início da vida humana. Revista Eletrônica da Faculdade de Direito de Franca, v.10, n.2, 2015, pp.297-327. Disponível em: http://www.revista.direitofranca.br/index.php/refdf/article/view/291. Acesso em: fevereiro de 2017.

DELMANTO, Celso et alii. Código penal comentado. 9 ed, São Paulo, Saraiva, 2016.

DINIZ, Debora; MEDEIROS, Marcelo; MADEIRO, Alberto. Pesquisa Nacional de Aborto 2016. Ciência & Saúde Coletiva, v. 22, n. 2, 2017, pp.653-660. https://doi.org/10.1590/1413-81232017222.23812016

FÉLIX, Jeane. Entrevistas on-line ou algumas pistas de como utilizar bate-papos virtuais em pesquisas na educação e na saúde. In.: MEYER, Dagmar Estermann; PARAÍSO, Marlucy Alves (Org.). Metodologias de Pesquisa Pós-críticas em Educação. Belo Horizonte, Mazza Edições, 2012, pp.133-152.

FERRAZZA, Daniele de Andrade; PERES, Wiliam Siqueira. Medicalização do corpo da mulher e criminalização do aborto no Brasil. Fractal: Revista de Psicologia, v. 28, n. 1, jan.-abr. 2016, pp.17-25. https://doi.org/10.1590/1984-0292/1016

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade 1: a vontade de saber. 3 ed, São Paulo, Paz e Terra, 2015.

FOUCAULT, Michel. A hermenêutica do sujeito. São Paulo, WMF Martins Fontes, 2010.

FREITAS, Patrícia Marques; LEAL, Ana Christina Darwich Borges. Sexo e poder: a biopolítica de Michel Foucault. FIDES, v.8, n.1, 2017, pp.134-143. Disponível em: http://www.revistafides.ufrn.br/index.php/br/article/view/303/310. Acesso em: março de 2017.

LEMOS, Adriana; RUSSO, Jane Araújo. Profissionais de saúde e o aborto: o dito e o não dito em uma capacitação profissional em saúde. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v.18, n.49, 2014, pp.301-312. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=180131153006. Acesso em: fevereiro de 2017.

LUNA, Naara. Aborto e corporalidade: sofrimento e violência nas disputas morais através de imagens. Horizontes Antropológicos, v.20, n.42, 2014, pp.293-325. https://doi.org/10.1590/S0104-71832014000200012

MACHADO, Lia Zanotta. O aborto como direito e o aborto como crime: o retrocesso neoconservador. cadernos pagu (50), Campinas, SP, Núcleo de Estudos de Gênero-Pagu/Unicamp, 2017, e17504 . https://doi.org/10.1590/18094449201700500004

MARIANO, Rayani; BIROLI, Flávia. O debate sobre aborto na Câmara dos Deputados (1991-2014): posições e vozes das mulheres parlamentares. cadernos pagu (50), Campinas, SP, Núcleo de Estudos de Gênero-Pagu/Unicamp, 2017, e175013. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8650734. Acesso em: julho de 2020.

MENDES, Cláudio Lúcio. O corpo em Foucault: superfície de disciplinamento e governo. Revista de Ciências Humanas, n. 39, Florianópolis, EDUFSC, 2006, pp.167-181. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/revistacfh/article/view/17993 Acesso em: julho de 2020.

MIKAEL-SILVA, Thiago; MARTINS, Alberto Mesaque. A legalização do abortamento no discurso do jornal Folha de São Paulo (2011-2014). Temas em Psicologia, v. 24, n. 3, 2016, pp.991-1007. http://dx.doi.org/10.9788/TP2016.3-12Pt

RABAY, Glória; SOARES, Gilberta Santos. Abortamento inseguro: assistência e discriminação. João Pessoa, Cunhã Coletivo Feminista, 2008.

ROMIO, Caroline Matos et alii. Saúde mental das mulheres e aborto induzido no Brasil. Psicologia Revista, v.24, n.1, 2015, pp.61-81. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/lil-768389. Acesso em: julho de 2020.

SARMENTO, Daniel. Legalização do aborto e Constituição. Revista de Direito Administrativo, v.240, 2014, pp.43-82. https://doi.org/10.12660/rda.v240.2005.43619

SCHÜTZE, Fritz. Pesquisa biográfica e entrevista narrativa. In.: WELLER, Wivian; PFAFF, Nicolle (Org.). Metodologias da pesquisa qualitativa em educação: teoria e prática. Petrópolis, Vozes, 2011, pp.67-86.

SHER, George. Subsidized Abortion: Moral Rights and Moral Compromise. Philosophy & Public Affairs, v.10, n.4, 1981, pp.361-372. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/2265049. Acesso em: março de 2022.

SILVA, Solimar Patriota. O facebook na formação continuada de mediadores de leitura. Duque de Caxias, Rio de Janeiro, 2012.

TARDUCCI, Mónica. “Poner el cuerpo” en las calles: los enfrentamientos de las activistas feministas y los grupos anti-derechos. cadernos pagu (50), Campinas, SP, Núcleo de Estudos de Gênero-Pagu/Unicamp, 2017, e175121. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cpa/a/mJBM6YSrhKvVcTnRSYZp8qF/abstract/?lang=es. Acesso em: março de 2022.

VEIGA-NETO, Alfredo. Foucault & a Educação. 2 ed. Belo Horizonte, Autentica, 2005.

VIANNA, Túlio. Legalizar o Aborto. Portal Fórum, setembro de 2012. Disponível em: http://www.revistaforum.com.br/2012/02/09/legalizar-o-aborto/. Acesso em: fevereiro de 2017.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Cadernos Pagu

Downloads

Não há dados estatísticos.