Banner Portal
Andando entre cabarés
PDF
PDF (English)

Palavras-chave

Prostituição
Putafeminismo
Narratividade

Como Citar

CLARINDO, Adriely; ZAMBONI, Jésio; MARTINS, Rafaela Werneck Arenari. Andando entre cabarés: conhecendo os saberes da putaria. Cadernos Pagu, Campinas, SP, n. 65, p. e226504, 2023. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8672040. Acesso em: 21 abr. 2024.

Resumo

Neste artigo, por meio das narrativas das experiências de trabalhadoras sexuais de três diferentes zonas de prostituição, localizadas no interior dos estados de São Paulo e do Espírito Santo, analisa-se as relações e saberes presentes nas políticas internas da prostituição. Objetivando contrapor-se às perspectivas que compreendem prostitutas como vítimas, passivas e incapazes de produzir saberes e práticas feministas em ambiente de trabalho, utilizou-se como método de pesquisa a política de narratividade de Walter Benjamin aliada às proposições feministas e putafeministas.

PDF
PDF (English)

Referências

ANZALDÚA, Gloria. La conciencia de la mestiza: rumo a uma nova consciência. In: LORDE, Audre et al. Pensamento feminista: conceitos fundamentais. Rio de Janeiro, Bazar do Tempo, 2019, pp.704-719 [https://www.scielo.br/j/ref/a/fL7SmwjzjDJQ5WQZbvYzczb/?lang=pt - acesso em: 14 fev. 2021].

BARRETO, Letícia Cardoso et al. “Somos sujeitas políticas de nossa própria história”: prostituição e feminismos em Belo Horizonte. Tese (Doutorado em Ciências Humanas), Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, 2015.

BARRETO, L.C.; MAYORGA, C. Gabriela Leite – histórias de uma puta feminista. In: MESSEDER, S.; CASTRO, M.G.; MOUTINHO, L. (org.) Enlaçando sexualidades: uma tessitura interdisciplinar no reino das sexualidades e das relações de gênero [online]. Salvador, EDUFBA, 2016, pp.287-307. [https://doi.org/10.7476/9788523218669.0016 - acesso em: 10 fev. 2020].

BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas 1: magia e técnica, arte e política: ensaios sobre a literatura e história da cultura. 3. ed., São Paulo, Brasiliense, 1987. Trad. Sérgio Paulo Rouanet; prefácio Jeanne Marie Gagnebin.

BLANCHETTE, Thaddeus; SILVA, Ana Paula da. Classy Whores: Intersections of Class, Gender, and Sex Work in the Ideologies of the Putafeminista Movement in Brazil. Contexto Internacional, v. 40, n. 3, 2018, pp.549-571. [https://www.scielo.br/j/cint/a/dQBZy65ckyvjhPCcmCShhvg/abstract/?lang=en - acesso em: 17 de out 2019]. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-8529.2018400300007

BRAH, Avtar. Diferença, diversidade, diferenciação. cadernos pagu (26), Campinas, SP, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu / Unicamp, 2006, pp.329-376. [https://www.scielo.br/j/cpa/a/B33FqnvYyTPDGwK8SxCPmhy/?lang=pt - acesso em: 30 set 2020] DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-83332006000100014

CAMINHAS, Lorena. A regulamentação da prostituição é uma demanda por justiça?. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 35, n. 103, 2020, pp.1-18. [https://www.scielo.br/j/rbcsoc/a/rcVwN7ysSw5ftTrd6THqpdQ/abstract/?lang=pt - acesso em: 22 fev 2021]. DOI: https://doi.org/10.1590/3510310/2020

CHAPIKS, Wendy. Live sex acts. Women performing erotic labour. Londres, Cassel, 1997.

CLARINDO, Adriely de Oliveira. Putas Narrativas: território da prostituição e putafeminismo. Dissertação (Mestrado em Psicologia Institucional), Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Vitória, 2020.

COLLINS, Patricia Hill. Pensamento feminista negro: conhecimento, consciência e a política do empoderamento. Trad. Natália Luchini. Seminário “Teoria Feminista”, Cebrap, 2019 [http://portais4.ufes.br/posgrad/teses/tese_14165_Adriely%20Clarindo%20%2003.02%20definitiva.pdf - acesso em: 10 mar 2020].

CORRÊA, Sonia; OLIVAR, José Miguel Nieto. The politics of prostitution in Brazil between “state neutrality” and “feminist troubles”. Mimeo, 2010.

DELEUZE, Gilles. Nietzsche e a filosofia. Rio de Janeiro, Editora Rio, 1976. Trad. Ruth Dias e Edmundo Fernandes Dias.

DINIZ, André Geraldo Ribeiro; MAYORGA, Claudia. Notas sobre autonomia e desqualificação social de mulheres prostitutas. Psicol. Soc., v. 30, Belo Horizonte, 2018 [http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010271822018000100221&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt - acesso em: 30 set. 2019].

FADERMAN, Lillian. Surpassing the love of men. London, Women's Press, 1981.

FEDERICI, Silvia. Mulheres e caça às bruxas. 1. Ed.-São Paulo, Boitempo Editorial, 2019. Tradução Heci Regina Candiani.

FERREIRA, Marcelo Santana. Walter Benjamin e a questão das narratividades. Mnemosine, v. 7, n. 2, Rio de Janeiro, 2011, pp.121-133 [https://www.epublicacoes.uerj.br/index.php/mnemosine/article/view/41479 - acesso em: 02 dez. 2019].

FONSECA, Claudia. A dupla carreira da mulher prostituta. Revista Estudos Feministas, v. 4 n. 1. Florianópolis, 1996, pp.7-33 [https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/16650/15210 - acesso em: maio 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/%25x

GAVIOLA, Edda. Notas sobre amizade política entre mulheres. Margareth Pisano: Pensamento Feminista Radical e Política, 2015 [https://www.mpisano.cl/apuntes-sobre-la-amistad-politica-entre-mujeres-por-edda-gaviola/ - acesso em: 01 de maio. 2020].

GUATTARI, Félix. Revolução molecular: pulsações políticas do desejo. São Paulo, Editora Brasiliense, 1981.

HARAWAY, Donna J. Manifesto ciborgue: ciência, tecnologia e feminismosocialista no final do século XX. In: TADEU, Tomaz (org.). Antropologia do Ciborgue: as vertigens do pós-humano. 2ªed. Belo Horizonte, Autêntica, 2009, pp-35-118.

HOOKS, bell. O feminismo é para todo mundo – Políticas arrebatadoras. Rio de Janeiro, Rosa dos Tempos, 2015. Trad. Ana Luisa Libânio.

LAMAS, Marta. ¿Mujeres juntas...? Reflexiones sobre las relaciones conflictivas entre compañeras y los retos para alcanzar acuerdos políticos. Instituto Nacional de las Mujeres INMUJERES, 2015 [http://cedoc.inmujeres.gob.mx/documentos_download/101246.pdf - acesso em: 12 jan 2018].

MAHMOOD, Saba. Teoria feminista, agência e sujeito liberatório: algumas reflexões sobre o revivalismo islâmico no Egito. Etnográfica. Revista do Centro em Rede de Investigação em Antropologia, v. 23, n. 1, 2019, pp.135-175 [https://www.redalyc.org/pdf/3723/372339147007.pdf - acesso em: 14 fev 2020].

MORALES, Marta Fernández. Unexpected Alliances: Friendship and Agency in US Breast Cancer Theater. Atlantis, 2017, pp.153-172.

OLIVAR, José Miguel Nieto. Devir puta: políticas da prostituição de rua na experiência de quatro mulheres militantes. Rio de Janeiro, Ed UERJ, 2013.

OLIVAR, José Miguel Nieto. Prostituição feminina e direitos sexuais... diálogos possíveis?. Sex., Salud Soc., n. 11, Rio de Janeiro, 2012, pp.88-121 [http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S198464872012000500005 - acesso em: 03 out. 2019].

PISCITELLI, Adriana. Conhecimento antropológico, arenas políticas, gênero e sexualidade. Revista Mundaú, n. 1, 2016, pp.73-90 [https://www.seer.ufal.br/index.php/revistamundau/article/view/2437 - acesso em: jun 2019].

PISCITELLI, Adriana. Trânsitos: brasileiras nos mercados transnacionais do sexo. Rio de Janeiro, EdUERJ, 2013.

PISCITELLI, Adriana. Feminismos e prostituição no Brasil: Uma leitura a partir da Antropologia Feminista. Cuadernos de antropología social, n. 36, 2012, pp.11-31 [http://revistascientificas.filo.uba.ar/index.php/CAS/article/view/1349/1299 - acesso em: 10 out 2019]. DOI: https://doi.org/10.34096/cas.i36.1349

PISCITELLI, Adriana. Apresentação: gênero no mercado do sexo. cadernos pagu (25), Campinas, Núcleo de Estudos de Gênero-Pagu/Unicamp, 2005, pp.7-23 [http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-83332005000200001 - acesso em: 16 set. 2019].

PRADA, Monique. Putafeminista. São Paulo, Veneta, 2018.

SANDOVAL, Chela. Nuevas ciencias: feminismo cyborg y metodología de los oprimidos. In: Traficantes de sueños (ed.). Otras Inapropiables. Madrid,Traficantes de Sueños, 2004, pp.81-106.

SOUSA, Fabiana Rodrigues de. A noite também educa: compreensões e significados atribuídos por prostitutas à prática da prostituição. Tese (Doutorado em Ciências Humanas), Universidade Federal de São Carlos UFScar), São Carlos, 2012.

TAVARES, Aline Godois. Movimento Feminista em disputa: paradoxos entre discursos nacionais e práticas regionais acerca do tema da prostituição no Brasil. CLACSO, Buenos Aires, 2015 [http://biblioteca.clacso.edu.ar/clacso/becas/20151225060933/Clacso_Kirkwood_Maria_Flor_final.pdf - acesso em: 02 jan 2020].

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Cadernos Pagu

Downloads

Não há dados estatísticos.