Banner Portal
Capitão gay
PDF

Palavras-chave

Capitão gay
Homossexualidades
Humor
Ditadura militar

Como Citar

MARTINELLI, Leonardo da Silva. Capitão gay: um super-herói homossexual apesar da ditadura militar. Cadernos Pagu, Campinas, SP, n. 66, p. e226615, 2023. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8672103. Acesso em: 16 jun. 2024.

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar o super-herói Capitão Gay, personagem interpretado por Jô Soares nos anos 1980, considerando sua emergência e inserção televisiva num contexto de repressão às homossexualidades perpetrada no período da ditadura militar brasileira, focalizando os elementos que lhe conferiram fama e as tensões acerca da fronteira entre jocosidade e artivismo, suscitadas a partir das suas performances de gênero. Metodologicamente são utilizadas como fontes reportagens na grande imprensa, entrevistas e alguns episódios desse personagem disponíveis na internet. A pesquisa fundamenta-se nos estudos de gênero, homossexualidades e imprensa

PDF

Referências

ADICHIE, Chimamanda Ngozi. O perigo de uma história única. Conferência Anual TED Global, 2009 [https://www.geledes.org.br/chimamanda-adichie-o-perigo-de-uma-unica-historia/ - acesso em: 20 dez. 2020].

ALMEIDA, Maria Fernanda Lopes. Veja sob censura: 1968-1976. São Paulo, Jaboticaba, 2009.

AQUINO, Maria Aparecida de. Censura, Imprensa e Estado Autoritário (1968-1978): o exercício cotidiano da dominação e da resistência - O Estado de São Paulo e Movimento. Bauru, EDUSC, 1999.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. 2. ed. São Paulo, Martins Fontes, 1997.

BOBBIO, Norberto. Direita e esquerda: razões e significados de uma distinção política. São Paulo, Ed. UNESP, 1995. Tradução de Marco Aurélio Nogueira.

BOLETIM do Grupo Gay da Bahia, a. 2, n. 4, set. 1982. In: MOTT, Luiz (ed.). Boletim do Grupo Gay da Bahia (1981-2005). Salvador, Ed. GGB/Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos, 2011a, pp.65-79.

BOLETIM do Grupo Gay da Bahia, a. 2, n. 5, dez. 1982. In: MOTT, Luiz (ed.). Boletim do Grupo Gay da Bahia (1981-2005). Salvador, Ed. GGB/Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos, 2011b, pp.79-102.

BUSETTO, Áureo. “Defensor das minorias e contra as tiranias”: o Capitão Gay no humor televisivo e entre tentativas de (auto)censura e a cobrança de royalties. Territórios & Fronteiras, Cuiabá, v. 13, n. 1, jan.-jul. 2020, pp.242-274.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. 13. ed. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2017. Tradução de Renato Aguiar.

CAPITÃO GAY. In: Viva o Gordo. São Paulo, Rede Globo de Televisão, 1982a [https://www.youtube.com/watch?v=fOagoZTT08Y - acesso em: 31 out. 2020].

CAPITÃO GAY. In: Viva o Gordo. São Paulo, Rede Globo de Televisão, 1982b [https://www.youtube.com/watch?v=mHLmi6iMuHw - acesso em: 31 out. 2020].

CAPITÃO GAY. In: Viva o Gordo. São Paulo, Rede Globo de Televisão, 1981 [https://www.youtube.com/watch?v=1trG3si4KO8 - acesso em: 31 out. 2020].

CAPITÃO GAY & CARLOS SUELY. Capitão Gay. São Paulo, RGE, 1982 [https://www.youtube.com/watch?v=uRbaJtUqxvE - acesso em: 31 out. 2020].

CECÉU. Por debaixo dos panos. In: MATOGROSSO, Ney. Álbum Mato Grosso. Rio de Janeiro: Polygram Discos, 1982. LP, faixa 3, lado A, 3’ 35’’ [https://www.youtube.com/watch?v=G9q0OuLh8kA - acesso em: 03 fev. 2022].

CHARAUDEAU, Patrick. Discurso das mídias. São Paulo, Contexto, 2006.

COLLING, Leandro. A emergência e algumas características da cena artivista das dissidências sexuais e de gênero no Brasil da atualidade. In: COLLING, Leandro (org.). Artivismos das dissidências sexuais e de gênero. Salvador, EDUFBA, 2019, pp.11-40.

DELIGNE, Allan. De que maneira o riso pode ser considerado subversivo? In: LUSTOSA, Isabel (org.). Imprensa, humor e caricatura: a questão dos estereótipos culturais. Belo Horizonte, Editora UFMG, 2011, pp.29-46.

FIGURINHAS repetidas: com a galeria de tipos de Jô Soares e Chico Anysio começa a temporada de humor na TV. Veja, São Paulo, n. 758, 16 mar. 1983, pp.76-77.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 20a ed. Petrópolis, Vozes, 1999. Tradução de Raquel Ramalhete.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro, LTC, 2008.

GENTE. Veja, São Paulo, n. 724, 21, jul. 1982, pp.103.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere, v. 2. Rio de Janeiro, Civilização brasileira, 2001.

GREEN, James N. Além do carnaval: a homossexualidade masculina no Brasil do século XX. 2a ed. São Paulo, Ed. Unesp, 2019.

GREEN, James N. Revolucionário e gay: a vida extraordinária de Herbert Daniel – pioneiro na luta pela democracia, diversidade e inclusão. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2018.

JÔ SOARES. Conversa com Bial. “Capitão Gay” foi um dos personagens mais marcantes de Jô Soares. Parte da entrevista concedida a Pedro Bial. São Paulo, Rede Globo de Televisão, 28 nov. 2018, 8 min [https://globoplay.globo.com/v/7195072/ - acesso em: 31 out. 2020].

MACRAE, Edward. Os respeitáveis militantes e as bichas loucas. In: MACRAE, Edward. A construção da solidariedade: política e identidade homossexual no Brasil da “abertura”. Salvador, EDUFBA, 2018, pp.37-49.

MARCONI, Paolo. A censura política na imprensa brasileira (1968-1978). São Paulo, Global Editora, 1980.

MARTINELLI, Leonardo da Silva. “Um gay power à brasileira”: Veja e a representação dos homossexuais em meados de 1977. Aedos, v. 11, n. 24, Porto Alegre, ago. 2019, pp.164-188.

MEMÓRIA Globo. Programa Viva o Gordo [https://memoriaglobo.globo.com/entretenimento/humor/viva-o-gordo/personagens/ - acesso em: 31 out. 2020].

MOURÃO, Rui. Performances artivistas: incorporação duma estética de dissensão numa ética de resistência. Cadernos de Arte e Antropologia, v. 4, n. 2, 2015, pp.53-69.

NICHOLSON, Linda. Interpretando o gênero. Revista Estudos feministas, v. 8, n. 2, Florianópolis, 2000, pp.9-41.

PEREIRA, João Lenon Siqueira. Somos todos minorias: mulheres, negros e indígenas nas páginas de Lampião da Esquina (1978-1981). Dissertação (Mestrado em História), Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2020.

QUINALHA, Renan Honório. Censura moral na ditadura brasileira: entre o direito e a política. Revista Direito e Práxis, v. 11, n.3, Rio de Janeiro, 2020, pp.1727-1755.

QUINALHA, Renan Honório. Contra a moral e os bons costumes: A política sexual da ditadura brasileira (1964-1988). Tese (Doutorado em Relações internacionais), Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, 2017.

RAPOSO, Paulo. “Artivismo”: articulando dissidências, criando insurgências. Cadernos de Arte e Antropologia, v. 4, n. 2, 2015, pp.3-12.

RIBEIRO, Irineu Ramos. Identidade capturada: a Parada do Orgulho Gay de São Paulo de 2007 nos telejornais. Dissertação (Mestrado em Comunicação), Universidade Paulista, São Paulo, 2008.

ROSA, Cristiano Eduardo da; FELIPE, Jane. “Agora eles foram longe demais”: as crianças, as famílias e as super-heroínas drag queens. Periódicus, n. 11, v. 2, Salvador, maio-out. 2019, pp.45-64.

SMITH, Anne-Marie. Um acordo forçado: o consentimento da imprensa à censura no Brasil. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2000. Tradução de Waldívia M. Portinho.

SOUTO MAIOR JR., Paulo Roberto. A invenção do sair do armário: a confissão das homossexualidades no Brasil (1979-2000). Tese (Doutorado em História), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, 2019.

THOMPSON, John B. A mídia e a modernidade: uma teoria social da mídia. 5a ed. Petrópolis, RJ, Vozes, 1998.

TREVISAN, João Silvério. Devassos no paraíso: a homossexualidade no Brasil, da colônia à atualidade. 3a ed. revista e ampliada. Rio de Janeiro, Record, 2000.

TRÓI, Marcelo de. Corpo dissidente e desaprendizagem: do teatr(r)o aos a(r)tivismos queer. Dissertação (Mestrado em Cultura e Sociedade), Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, 2018.

XEXÉO, Artur. A hora do magro: comparado com Jô, Chico Anysio sai na frente. Veja, São Paulo, n. 705, 10 mar. 1982, pp.88.

ZINK, Rui. Da bondade dos estereótipos. In: LUSTOSA, Isabel (org). Imprensa, Humor e Caricatura: a questão dos estereótipos culturais. Belo Horizonte, Editora UFMG, 2011. pp.47-68.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Cadernos Pagu

Downloads

Não há dados estatísticos.