Banner Portal
Entre o sexo como transgressão e a gestão dos riscos
PDF

Palavras-chave

Aids
Dispositivo
Homossexualidade
Perlongher

Como Citar

VALLE, Carlos Guilherme do. Entre o sexo como transgressão e a gestão dos riscos: Néstor Perlongher e o dispositivo da aids. Cadernos Pagu, Campinas, SP, n. 66, p. e226604, 2023. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8672232. Acesso em: 17 jun. 2024.

Resumo

O artigo trata das ideias formuladas pelo antropólogo Néstor Perlongher sobre a epidemia de hiv/aids, cuja produção textual (artigos jornalísticos e publicações acadêmicas) adiciona outros modos de entendimento de sua pesquisa etnográfica da prostituição viril em São Paulo. Assim, abordo as principais questões levantadas pelo autor, considerando, em especial, sua reflexão sobre o “dispositivo da aids”, categoria analítica empregada em diversos momentos e textos. Recupero como suas preocupações sobre a epidemia se articulam às suas práticas como um mediador intelectual crítico diante da normalização social e cultural da homossexualidade.

PDF

Referências

A PRIMEIRA vítima. AIDS mata o costureiro Markito ISTOÉ, n. 338, São Paulo, Editora Três, 15 de junho de 1983.

BAIGORRIA, Osvaldo. Néstor Perlongher, un barroco de trinchera. Buenos Aires: Mansalva, 2006.

BAZÁN, Osvaldo. Historia de la homosexualidad en la Argentina. De la conquista de América al siglo XXI. Buenos Aires, Marea Editorial, 2004.

BERSANI, Leo. Is the rectum a grave? In: CRIMP, Douglas. (ed.) AIDS, Cultural analysis, cultural activism. Cambridge, Ma, The MIT Press, 1991.

CALLEN, Michael; BERKOWITZ, Richard. How to have sex in an epidemic. Nova Iorque, News from the front publications, 1983.

CARDOSO, Ruth. Movimentos sociais urbanos: balanço crítico. In: CALDEIRA, Tereza P. do R. (org.). Ruth Cardoso, obra reunida. São Paulo, Mameluco, 2011.

CARRARA, Sérgio; SIMÕES, Júlio A. Sexualidade, cultura e política: a trajetória da identidade homossexual masculina na antropologia brasileira. cadernos pagu (28), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero-Pagu/Unicamp, 2007.

DA MATTA, Roberto. Carta aberta a Darcy Ribeiro. Encontros com a Civilização Brasileira, 15. Rio de Janeiro, 1979, pp.81-92.

DANIEL, Herbert. Antes, a vida. In: DANIEL, Herbert. Vida antes da morte. Rio de Janeiro, ABIA, 1989.

DANIEL, Herbert. Entrevista. O gueto desmistificado. Preconceito e machismo entre os homossexuais. ISTOÉ, n. 344, São Paulo, Editora Três, 27 de julho de 1983.

DUBERMAN, Martin. Hold tight gently: Michael Calllen, Essex Hemphill and the battefield of AIDS. New York, the New Press, 2014.

FOUCAULT, Michel. Friendship as a way of life. In: LOTRINGER, Sylvère (ed.). Foucault live, collected interviews, 1961-1984. Nova Iorque, Semiotext[e], 1996.

FOUCAULT, Michel. O nascimento da medicina social. In: FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro, Graal, 1986.

FRY, Peter. Para inglês ver: identidade e política na cultura brasileira. Rio de Janeiro, Zahar, 1982.

FRY, Peter; MACRAE, Edward. O que é homossexualidade. Coleção Primeiros Passos, n. 81. São Paulo, Editora Brasiliense, 1983.

GREEN, James N.; QUINALHA, R.; CAETANO, M.; FERNANDES, M. História do movimento LGBT no Brasil. São Paulo, Alameda, 2018.

GREGORI, Maria F. Prazeres perigosos. Erotismo, gênero e limites da sexualidade. São Paulo, Companhia das Letras, 2016.

GUATTARI, Felix. Revolução molecular: pulsações políticas do desejo. São Paulo, Editora Brasiliense, 1985.

GUIMARÃES. Carmen D. O homossexual visto por entendidos. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social), PPGAS/Museu Nacional/Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), 1977.

HEILBORN, Maria L.; SORJ, Bila. Estudos de gênero no Brasil. In: MICELI, Sérgio (org.). O que ler na ciência social brasileira (1970-1995), 2. Sociologia. São Paulo/Brasília, Editora Sumaré/CAPES, 1999.

LOBERT, Rosemary. A palavra mágica: a vida cotidiana dos Dzi Croquettes. Campinas, Editora da Unicamp, 2010 [1979].

MACRAE, Edward. A construção da igualdade. Identidade sexual e política no Brasil da “Abertura”. Campinas, Editora da Unicamp, 1990.

MACRAE, Edward. O uso ritual de substâncias psicoativas na religião do Santo Daime como um exemplo de redução de danos. In: Antonio Nery Filho et al. (org.). Toxicomanias : incidências clÌnicas e socioantropológicas. Salvador : EDUFBA : CETAD, 2009.

MORAES, Claudia; CARRARA, Sérgio. Um mal de folhetim. Comunicações do ISER, ano 4, n. 17, 1985.

PARKER, Richard G. (org.). Políticas, instituições e AIDS. Enfrentando a epidemia no Brasil. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor/ABIA, 1997.

PARKER, Richard G. Bodies, pleasures and passions. Sexual culture in contemporary Brazil. Boston, Beacon Press, 1991.

PELÚCIO, Larissa; MISKOLCI, Richard. A prevenção do desvio: o dispositivo da aids e a repatologização das sexualidades dissidentes. Sexualidad, salud y sociedad. Revista Latinoamericana, n. 1, Rio de Janeiro, CLAM/IMS/UERJ, 2009.

PERLONGHER, Néstor. Droga e êxtase. Religião e sociedade, 16, n. 3. Rio de Janeiro, ISER, 1994.

PERLONGHER, Néstor. Antropologia das sociedades complexas: identidade e territorialidade, ou como estava vestida Margaret Mead. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 22. São Paulo, ANPOCS. 1993.

PERLONGHER, Néstor. O desaparecimento da homossexualidade. Boletim ABIA, 16, Rio de Janeiro, Associação Brasileira Interdisciplinar de AIDS, 1992.

PERLONGHER, Néstor. O desaparecimento da homossexualidade. Saudeloucura, n. 3, Editora Hucitec, 1991.

PERLONGHER, Néstor. Territórios marginais. Papéis Avulsos, n. 6, CIEC/ECO/UFRJ, 1989.

PERLONGHER, Néstor. O que é AIDS. Coleção Primeiros Passos, n. 197. São Paulo, Editora Brasiliense, 1987a.

PERLONGHER, Néstor. A ordem dos corpos. Folha de S. Paulo, ano 67, n. 21.143, 21 de fevereiro, 1987b.

PERLONGHER, Néstor. O negócio do michê: prostituição viril em São Paulo. São Paulo, Editora Brasiliense, 1987c.

PERLONGHER, Néstor. Microfascismo e violência institucional. Folha de S. Paulo, ano 67, n. 21.422, 27 de novembro, 1987d.

PERLONGHER, Néstor. O negócio do michê: prostituição viril em São Paulo. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, 1986.

PERLONGHER, Néstor. AIDS, Primeira Leitura. Caderno Ilustrada. Folha de S. Paulo, ano 65, n.20.562, 1985a, pp.34-35.

PERLONGHER, Néstor. Disciplinar os poros e as paixões. Lua Nova. Revista de cultura e política, v. 2, n.3, São Paulo, CEDEC, 1985b.

PINEL, Arletty C; INGLESI, Elisabete. O que é AIDS. Coleção Primeiros Passos, n. 300. São Paulo, Editora Brasiliense, 1996.

PSICODRAMA encena história de portador sem internação. Folha de S. Paulo, n. 20.599, ano 65, 26 de agosto de 1985.

RIBEIRO, Darcy. Antropologia ou a teoria do bombardeio de Berlim. Encontros com a Civilização Brasileira, 12. Rio de Janeiro, 1979a, pp.81-100.

RIBEIRO, Darcy. Por uma Antropologia melhor e mais nossa. Encontros com a Civilização Brasileira, 15. Rio de Janeiro, 1979b, pp.93-96.

SIMÕES, Júlio A. Resenha. O negócio do desejo. cadernos pagu (31), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero-Pagu/Unicamp, 2008.

SIMÕES, Júlio A.; FACCHINI, Regina. Na trilha do arco-íris. Do movimento homossexual ao LGBT. São Paulo, Editora Fundação Perseu Abramo, 2009.

SONTAG, Susan. AIDS and its metaphors. Londres, Penguin Books, 1989.

SONTAG, Susan. A doença como metáfora. Rio de Janeiro, Graal, 1984.

TEODORESCU, Lindinalva L.; TEIXEIRA, Paulo Roberto. Histórias da Aids no Brasil, 1983-2003. Vol. 2: A sociedade civil se organiza pela luta contra a Aids. Brasília, Ministério da Saúde/SVS/Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, 2015.

TREICHLER. Paula. AIDS, homophobia, and biomedical discourse: an epidemic of signification. In: CRIMP, Douglas (ed.) AIDS, Cultural analysis, cultural activism. Cambridge, Ma, The MIT Press, 1991.

UM NÓ nos costumes. O medo do vírus começa a alterar comportamentos e a contaminar a sociedade como um todo. VEJA, n. 884, São Paulo, editora Abril, 14 de agosto de 1985.

VALLE, Carlos Guilherme. Biosocial Activism, Identities and Citizenship: Making up 'people living with HIV and AIDS' in Brazil. Vibrant, v. 12, 2015, pp.27-70.

VALLE, Carlos Guilherme. Corpo, doença e biomedicina: uma análise antropológica de práticas corporais e de tratamento entre pessoas com HIV e AIDS. Vivencia, v. 35, 2010, pp.33-51.

VALLE. Carlos Guilherme. Identidades, doença e organização social: um estudo das ‘Pessoas Vivendo com HIV e AIDS’. Horizontes Antropológicos, v. 8, 2002, pp.179-210.

VELHO, Gilberto (org.). Desvio e divergência. Uma crítica da patologia social. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor, 1985.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Cadernos Pagu

Downloads

Não há dados estatísticos.