Banner Portal
Comércio internacional e competitividade do Brasil: um estudo comparativo utilizando a metodologia ConstantMarket-Share para o período 2000-2011
PDF

Palavras-chave

Competitividade. Desempenho exportador. Análise Constant-Market-Share. Brasil. Desenvolvimento

Como Citar

LIMA, M. G.; LÉLIS, M. T. C.; CUNHA, A. M. Comércio internacional e competitividade do Brasil: um estudo comparativo utilizando a metodologia ConstantMarket-Share para o período 2000-2011. Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 24, n. 2, p. 419–448, 2015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8642086. Acesso em: 24 fev. 2024.

Resumo

O presente estudo aplica a metodologia de Constant-Market-Share para analisar o desempenho exportador do Brasil, China, Estados Unidos, Alemanha, Rússia, Coreia do Sul e Japão, entre 2000 e 2011. Após decompor a variação das exportações foi possível constatar que o efeito-competitividade parece ser influenciado pelo padrão de especialização das economias.

 

Abstract

This paper evaluates the export performance of Brazil, China, United States, Germany, Russia, South Korea, and Japan, between 2000 and 2011, based on the recent literature on international competitiveness. By applying the Constant-Market-Share model, it was possible to quantify the contribution of product composition, market distribution and competitiveness on the growth in exports of each country. It was found that growing international demand favoured the commodity exporters as well as countries that prioritized the most dynamic markets (especially Asia). The results on the competitiveness effect were less accurate given that the impact of determinant factors varies according to the specialization pattern of each economy.

Keywords: International competitiveness; Export performance; Constant-Market-Share Analysis; Brazil; Development.

PDF

Referências

AHMADI-ESFAHANI, F. Z. Constant market shares analysis: uses, limitations and prospects. The Australian Journal of Agricultural and Resource Economics, 50, p. 510-526, 2006.

BACHA, E.; BOLLE, M. B. (Org.). O futuro da indústria no Brasil: desindustrialização em debate. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013.

BERTOLLI, S.; MEDEIROS, N. H. Evolução da competitividade da indústria brasileira: uma análise a partir do movimento de reestruturação setorial nos anos 90.In: ENCONTRO SOBER, 48, 2003. Disponível em: http://www.aph.gov.au/library/ pubs/rn/1995-96/96rn54.pdf. Acesso em: 25 fev. 2012.

BRESSER-PEREIRA, L. C. (Org.). Doença holandesa e indústria. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2010.

CANUTO, O.; XAVIER, C. L. Specialization and competitiveness in Brazilian foreign trade. Momento Económico, México, v. 119, p. 24-34, 2002.

CARVALHO, F. M. A. de. Método “Constant Market Share” (CMS). In: SANTOS, M. L. dos; VIEIRA, W. da C. Métodos quantitativos em economia. Viçosa: UFV, 2004. cap. 8, p. 225-241.

FAGERBERG, J.; SRHOLEC, M. Structural changes in international trade: cause, impact and response. Revue Économique, v. 55, p. 1071-1097, 2004.

GARELLI, S. Competitiveness of nations: the fundamentals. International Institute for Management Development, 2002.

GUIMARÃES, E. P. Competitividade internacional: conceitos e medidas. Estudos em Comércio Exterior, Rio de Janeiro, v. I, n. 3, p. 1-25, 1997.

HAGUENAUER, L. Competitividade: conceitos e medidas. Uma resenha da bibliografia recente com ênfase no caso brasileiro. Rio de Janeiro: UFRJ. IE, 1989. (Texto para discussão, n. 211).

HAUSMANN, R.; HWANG, J.; RODRIK, D. What you export matters. Cambridge: NBER Working Paper Series, 2005. p. 1-14. (Working Paper, 11905).

HOLLAND, M.; XAVIER, C. L. Dinâmica e competitividade setorial das exportações brasileiras: uma análise de painel para o período recente. Anais do In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA, 32, João Pessoa, PB, 2004. Anais... Niterói: Associação Nacional de Centros de Pós-Graduação em Economia – Anpec, 2004.

IGLESIAS, R. M.; RIOS, S. P. Desempenho das exportações brasileiras no pósboom exportador: características e determinantes. Estudo Cindes, set. 2010.

Disponível em: www.cindesbrasil.org.

IMBS, J.; WACZIARG, R. Stages of diversification. The American Economic Review, v. 93, n. 1, p. 63-83, 2003.

KRUGMAN, P. Making sense of the competitiveness debate. Oxford Review Economic Policy, v. 12, n. 3, 1996.

KRUGMAN, P. Rethinking international trade. Cambridge: MIT Press, 1990.

KUPFER, D.; HASENCLEVER, L. (Org.). Economia industrial. Rio de Janeiro: Campus, 2013.

LEAMER, E.; STERN, R. Constant-market-share analysis of export growth. In: ________; ________ (Org.). Quantitative international economics. Boston: Allyn and Bacon, 1970. Cap. 7, p. 171-183.

MARKWALD, R.; RIBEIRO, F. Expansão das exportações: quais as alternativas. In: FÓRUM NACIONAL, 22, Instituto Nacional de Altos Estudos, Rio de Janeiro, 2010.

PEREIRA, L. V.; SOUZA, A. L. S. de. Exportações brasileiras na primeira década do século XXI: desempenho e fontes de crescimento. In: BONELLI, R. (Org.). A agenda de competitividade do Brasil. Instituto brasileiro de Economia. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011. Cap 11, p. 323-378.

PINHEIRO, A. C.; BONELLI, R. Comparative advantage or economic policy? Stylized facts and reflections on Brazil’s insertion in the world economy – 1994- 2005. Rio de Janeiro: Ipea, abr. 2007. (Texto para Discussão, n. 1275a).

PINHEIRO, A. C.; BONELLI, R. Competitividade: significados, dimensões, aplicações. In: BONELLI, Regis (Org.). A agenda de competitividade do Brasil. Instituto brasileiro de Economia. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011. Cap. 1, p. 41- 59.

POSSAS, S. Concorrência e competitividade: notas sobre a estratégia e dinâmica seletiva na economia capitalista. São Paulo: Hucitec, 1999.

REIS, J. G.; FAROLE, T. Trade and the competitiveness agenda. Economic Premisse – The World Bank, n. 18, p. 1-5, 2010.

RICHARDSON, J. D. Constant-market-shares-analysis of export growth. Journal of International Economics, Wisconsin, I, p. 227-239, 1971.

RODRIK, D. Políticas de diversificação econômica. Revista Cepal, Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe, jun. 2010.

TYSZYNSKI, H. World trade in manufactured commodities, 1899-1950. The Manchester School, v. 19, ed. 3, p. 272-304, Sept. 1951.

UNIDO. Competitive industrial performance report 2012/2013. Vienna: United Nations Industrial Development Organization, 2013.

WTO. A practical guide to trade policy analysis. World Trade Organization, 2012.

A Economia e Sociedade utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.