Estratégia de localização bancária: teoria e evidência empírica aplicada ao estado de Minas Gerais

Autores

  • Guilherme Jonas Costa Silva Universidade Federal de Uberlândia
  • Frederico G. Jayme Junior Universidade Federal de Minas Gerais

Palavras-chave:

Bancos. Localização. Moeda. Econometria espacial. Minas Gerais

Resumo

A moeda e os bancos, na abordagem pós-keynesiana, desempenham um papel central na determinação do emprego e produto, notadamente, em nível regional. Em função disso, o artigo tem por objetivo contribuir para a compreensão, tanto da estratégia de localização dos serviços bancários como do padrão de distribuição das agências bancárias no estado de Minas Gerais. Em princípio, havia fortes indícios de que a localização bancária dependia não apenas de fatores econômicos. O modelo desenvolvido e os resultados encontrados na análise econométrica espacial demonstraram que existe certa dependência espacial na estratégia de localização dos bancos, ou seja, os bancos consideram em sua análise a presença ou não de agências nos municípios onde pretendem se localizar. Ademais, o padrão de distribuição das agências no estado de Minas Gerais está sendo explicado também por fatores macroeconômicos, políticos e regulamentares.

 

Abstract

Considering the Post Keynesian framework, money is a key element to determine output and employment, both aggregate and at a regional level. This paper aims to contribute to the understanding of both the localization strategy of banking services as well as the distribution pattern of branches in the state of Minas Gerais. There was strong evidence showing that the bank’s location does not depend solely on economic issues. Conclusions highlight a spatial dependence in the location strategy of banks. In addition, the location pattern of the branches in the state of Minas Gerais can be explained by macroeconomic, political and regulatory issues.

Keywords: Banks; Location strategy; Currency; Spatial econometrics; Minas Gerais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Jonas Costa Silva, Universidade Federal de Uberlândia

Concluiu o Doutorado em Economia no Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional da Universidade Federal de Minas Gerais (2009). Atualmente é Professor Adjunto do Instituto de Economia, Tutor do Grupo "PET Economia" e Membro do CLAA - Comitê Local de Acompanhamento e Avaliação dos Grupos PET (Programa de Educação Tutorial) - da Universidade Federal de Uberlândia.

Frederico G. Jayme Junior, Universidade Federal de Minas Gerais

Graduou-se pela Universidade Federal de Minas Gerais (1988), obteve o mestrado pela Universidade Estadual de Campinas (1994) e o doutorado pela New School for Social Research, Nova York - EUA (2001), todos em Economia. É Professor da Universidade Federal de Minas Gerais desde 1991 e pesquisa principalmente nos seguintes temas: Restrição Externa ao Crescimento, Macroeconomia do Desenvolvimento, Economia Internacional e Sistema Financei

Referências

ALMEIDA, E. S. Econometria espacial aplicada. Piracicaba: Esalq-USP, 2004. 130p.

ANSELIN, L. Spatial econometrics: methods and models. Boston: Kluwer Academic, 1988. 284p.

ANSELIN, L. Local Indicators of Spatial Association – LISA. Geographical Analysis, v. 27, n. 2, p. 93-115, 1995.

BANCO CENTRAL DO BRASIL. Correspondentes no país. Disponível em: http://www.bcb.gov.br/pre/bc_atende/port/correspondentes.asp. Acesso em: jul. 2008.

CHIAPPORI, P-A.; PEREZ-CASTRILLO, D.; VERDIER, T. Spatial competition in the banking system: localization, cross subsidies and the regulation of deposits rates. European Economic Review, 39, p. 889-918, 1995.

CHRISTALLER, W. Central places in South Germany. New Jersey: Prentice Hall, 1966.

CORREIOS - Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. Disponível em: http://www.correios.com.br/. Acesso em: jul. 2008.

CREMER, H., MARCHAND, M.; THISSE, J-F. Mixed oligopoly with differentiated products. International Journal of Industrial Organization, v. 9, p. 43-53, 1991.

CROCCO, M.; CAVALCANTE, A.; CASTRO, C. The behavior of liquidity preference of banks and public and regional development: the case of Brazil. Journal of Post Keynesian Economics, v. 28, n. 2, p. 217-240, 2005.

CROCCO, M.; CAVALCANTE, A.; CASTRO, C BARRA, C.; VAL, V. Polarização regional e sistema financeiro. In: CROCCO, M.; JAYME JR., F. Moeda e território: uma interpretação da dinâmica regional brasileira. Belo Horizonte: Autêntica, 2006. p. 231-269.

CROCCO, M; JAYME JR, F. G. (Org.). Moeda e Território: uma interpretação da dinâmica regional brasileira. Belo Horizonte: Autêntica, 2006. p. 341.

CROCCO, M; SANTOS, F. Financiamento e desenvolvimento sob novas óticas. Observatório da Cidadania, p. 48-58, 2006.

DOW, S. C. The regional composition of the bank multiplier process. In: DOW, S. C. (Ed.). Money and the economic process. Aldershot: Eglar, 1982.

DOW, S. C. The treatment of money in regional economics. In: DOW, S. C. (Ed.). Money and the economic process. Aldershot: Eglar, 1987.

DOW, S. C; RODRÍGUEZ-FUENTES, C. Um “survey” da literatura de finanças regionais, In: CROCCO, M.; JAYME JR., F. Moeda e território: uma interpretação da dinâmica regional brasileira. Belo Horizonte: Autêntica, 2006. p. 79-92.

FREIXAS, X.; ROCHET, J-C. Economía bancaria. Barcelona: Antoní Bosch Editor, 1997.

HAMILTON, J. H., THISSE, J. F.; WESKAMP, A. Spatial discrimination: Bertrand versus Cournot in a model of location choice. Regional Science and Urban Economics, 19, p. 87- 102, 1989.

HOTELLING, H. Stability in competition. Economic Journal, 39, p. 41-57, 1929.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA (IPEA). Brasília, 2006. Disponível em: http://www.ipeadata.gov.br. Acesso em: set. 2007.

ISARD, W. Location and space economy. New York: John Wiley & Sons, 1956.

KUMAR, A. Brazil: access to financial services. Washington: The World Bank Group, 2004.

LE GALLO, J.; ERTHUR, C. Exploratory spatial data analysis of the distribution of regional per capita. GDP in Europe, 1980-1995. Papers in Regional Science, v. 82, n. 2, p. 175-201, 2003.

LEME, R. Contribuições à teoria da localização industrial. São Paulo: IPE, 1982.

LOSCH, A. The economics of location. New Haven: Yale University Press, 1954.

MALDONADO, M. I. B.; VALVERDE, S. C.; ESCALONA, M. A. F. Cournot competition in a two-dimensional circular city. Manchester School, v. 73, n. 1, p. 40-49, 2005. Disponível em: http://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=644543. Acesso em: set. 2007.

MARTIN, R. The new economic geography of money. In: MARTIN, R. (Ed.). Money and the space economy. London: Willey, 1999.

MATSUMURA, T.; MATSUSHIMA, N. Mixed duopoly with product differentiation: sequencial choice of location. Australian Economic Paper, p. 18-34, 2003.

MATSUSHIMA, N. Cournot competition and spatial agglomeration revisited. Economics Letters, 73, p. 175-177, 2001.

MYRDAL, G. Economic theory and under-developed regions. London: Gerald Duckworth, 1957.

NEVEN, D. J. Endogenous sequential entry in a spatial model. International. Journal of Industrial Organization, 5, p. 419-434, 1987.

NORTH, D. C. Location theory and regional economic growth. Journal of Political Economy, Chicago, 63, p. 243-258, 1955.

PAL, D. Does Cournot competition yield spatial agglomeration? Economics Letters, 60, p. 49-53, 1998.

PEROBELLI, F. S.; FARIA, W. R.; FERREIRA; P. G. C. Análise de convergência espacial do PIB per capita em Minas Gerais: 1975-2003. In: ENCONTRO REGIONAL DE ECONOMIA/NORDESTE: ESTRATÉGIAS DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL, 11, BNB/Anpec, 2006.

RICHARDSON, H. W. Regional growth theory. London: MacMillan, 1973.

RODRIGUES E FUENTES, C. J. Credit availability and regional development. Papers in Regional Science, v. 77, n. 1, 1998.

ROMERO, J. P.; JAYME JR. F. G. Financial system, innovation and regional development: a study on the relationship between liquidity preference and innovation in Brazil. Review of Political Economy, Routledge, New York, 2012 (forthcoming).

SALOP, S. C. Monopolistic competition with outside goods. Bell Journal of Economics, v. 10, p. 141-156, 1979.

SALVIANO JR, C. Correspondentes bancários: ampliação do atendimento a população. In: SEMINÁRIO BANCO CENTRAL SOBRE MICROFINANÇAS, 4, Banco Central do Brasil, Salvador, BA, 2005.

SHIMIZU D.; MATUSMURA; T. Equilibria for circular spatial Cournot markets. Economics Bulletin, v. 18, n. 1, p. 1-9, 2003.

SICSÚ, João; CROCCO, Marco. Em busca de uma teoria da localização das agências bancárias: algumas evidências do caso brasileiro. Economia, Niterói, v. 4, n. 1, p. 85-112, jan./jun. 2003.

STIGLITZ, J. Financial markets and development. Oxford Review of Economic Policy, v. 5, n. 4, p. 55-68, 1989.

TOBLER, W. R. A computer model simulation of urban growth in the Detroit region. Economic Geography, v. 46, p. 234-240, 1970.

VENÂNCIO JR, D. O potencial de crescimento do setor bancário no Brasil. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Ciência Econômica)–Universidade do Vale do Paraíba, 2001.

WOOLDRIDGE, Jeffrey M. Econometrics analysis of cross-section and panel data. 1st ed. MIT, 2001. 752p.

ZYSMAN, J. Governments, markets and growth. Ithaca & London: Cornell University Press, 1983. cap. 2, p. 55-95.

Downloads

Publicado

2015-12-11

Como Citar

SILVA, G. J. C.; JAYME JUNIOR, F. G. Estratégia de localização bancária: teoria e evidência empírica aplicada ao estado de Minas Gerais. Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 22, n. 3, p. 729–764, 2015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8642182. Acesso em: 29 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)