Banner Portal
Velhos e novos desenvolvimentismos
PDF

Palavras-chave

Brasil. Pensamento econômico. Desenvolvimentismo

Como Citar

CARNEIRO, Ricardo de Medeiros. Velhos e novos desenvolvimentismos. Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 21, n. 4, p. 749–778, 2015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8642255. Acesso em: 21 jun. 2024.

Resumo

Na segunda metade dos anos 2000, a retomada do crescimento com distribuição da renda no Brasil e na América do Sul, após o fracasso do neoliberalismo e sua variante suavizada, o Consenso de Washington, ao promover o crescimento econômico e reduzir significativamente a desigualdade social na região, contribuiu para o ressurgimento e atualização de antigos paradigmas de políticas econômicas. A crise financeira global e os impasses do desenvolvimento nas economias centrais deram força, ao menos nos países periféricos, à busca e consolidação desses novos perfis de política econômica. Este artigo propõe-se a examinar como tais mudanças influenciaram o pensamento desenvolvimentista no Brasil, dando origem, no período recente, a novas correntes interpretativas do desenvolvimento brasileiro e suas relações com a estratégia inovadora de desenvolvimento em curso.

Abstract

In the second half of the 2000s, there was renewed growth and income distribution in both Brazil specifically and South America in general. This growth followed the failure of neoliberalism (and also of its lighter cousin, the Washington Consensus) to promote economic growth, and more significantly, to reduce social inequality in the region. This all contributed to the rise and reformation of old paradigms of economic policies. The global financial crisis and the challenges to development in the core economies have given strength, at least in the peripheral countries, to the quest for and the consolidation of these new kinds of economic policies. This article aims to examine how these changes have influenced developmentalist thinking in Brazil, and how they have recently given rise to new schools of thought regarding Brazil's development. It also examines the relationship between these schools of thought and the new development strategy that is currently in place.

Keywords: Brazil. Economic thought. Developmentalism.

PDF

Referências

BIELSCHOWSKY, R. Anotações sobre a estratégia de crescimento pelo mercado interno de consumo popular e o programa do PT para 2003-2006. São Paulo: Instituto da Cidadania, 2001. Mimeo.

BIRD. World development report 1991: the challenge of development. Washington, DC, 1991.

BRESSER-PEREIRA, L. C. Do antigo ao novo desenvolvimentismo na América Latina. In: DELORME PRADO, Luiz Carlos (Org.); D’AGUIAR, Rosa Freire (Ed.). Desenvolvimento econômico e crise. Rio de Janeiro: Contraponto Editora, 2012. p. 37-65.

CARDOSO DE MELLO, J. M.; BELLUZO, L. G. Reflexões sobre a crise atual. In: COUTINHO, R.; BELLUZZO, L. G.; COUTINHO, L. Desenvolvimento capitalista no Brasil. Brasiliense, 1982.

CARDOSO DE MELLO, J. M. O capitalismo tardio. Contribuiçào à revisão crítica da formação e do desenvolvimento brasileiro. São Paulo: Editora Brasiliense, 1982.

CARNEIRO, R. Desenvolvimento em crise (A economia brasileira no último quarto do século XX). São Paulo: Editora da Unesp, 2002.

CARNEIRO, R. O desenvolvimento brasileiro pós-crise financeira: oportunidades e riscos. Observatório da Economia Global, Campinas, Cecon/IE/Unicamp, n. 4, ago. 2010.

CEPAL. Estudio econômico de América Latina, Capítulo 1. Santiago: Comisión Económica para América latina, 1949.

COUTINHO, L.; BELLUZZO. L. G. Estado, sistema financeiro e formas de manifestação da crise: 1929/1974. In: COUTINHO, R.; BELLUZZO, L. G.; COUTINHO, L. Desenvolvimento capitalista no Brasil. Brasiliense, 1982.

CRUZ, P. D. Notas sobre o financiamento de longo prazo na economia brasileira do após guerra. (1994).

FURTADO, C. Desenvolvimento e subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1961.

FURTADO, C. O subdesenvolvimento revisitado. Economia e Sociedade, Campinas, ago. 1992.

FURTADO, C, DAIN, S. Capitalismo associado: algumas referências para o tema estado e desenvolvimento. In: COUTINHO, R.; BELLUZZO, L. G.; COUTINHO, L. Desenvolvimento capitalista no Brasil. Brasiliense, 1982. v.1, p. 214-228.

OREIRO, L.; e PAULA, L.F. O novo-desenvolvimentismo e a agenda de reformas macroeconômicas para o crescimento sustentado com estabilidade de preços e equidade social. Associação Keynesiana Brasileira, 2009.

PREBISCH, R. El desarrollo económico de América Latina y algunos de sus principales problemas. Santiago: Cepal, 1949.

SALM, C.; SILVA, L. C. E.. Industrialização e integração do mercado de trabalho brasileiro. Rio de Janeiro: UFRJ/IEI, 1987. (Texto para Discussao, n. 126) SICSÚ, J, PAULA, L.F.; MICHEL, R. Por que novo-desenvolvimentismo? Revista de Economia Política, São Paulo, v. 27, n. 4, out./dez. 2007.

TAVARES, M. C. Acumulação de capital e industrialização no Brasil. Campinas: Editora da Unicamp, 1985.

TAVARES, M. C, BELLUZZO, L. G. Notas sobre o preocesso de industrialização recente. In: COUTINHO, R.; BELLUZZO, L. G.; COUTINHO, L. Desenvolvimento capitalista no Brasil. Brasiliense, 1982.

TAVARES, M. C. Ciclo e crise. Campinas: Unicamp. IE, 1988. (Coleção 30 anos).

TAVARES, M. C, SERRA, J. Além da estagnação. In: TAVARES, M. C. Da substituição de importações ao capitalismo financeiro: ensaios sobre a economia brasileira. Rio de Janeiro: Zahar, 1970.

WILLIANSON, J. A short history of the Washington Consensus. Paper commissioned by Fundación CIDOB for a conference. From the Washington Consensus towards a new Global Governance, Barcelona, Sept. 24-25, 2004.

A Economia e Sociedade utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.