Banner Portal
A economia política do novo-desenvolvimentismo e do social desenvolvimentismo
PDF

Palavras-chave

Desenvolvimentismo. Estado. Mercado

Como Citar

BASTOS, Pedro Paulo Zahluth. A economia política do novo-desenvolvimentismo e do social desenvolvimentismo. Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 21, n. 4, p. 779–810, 2015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8642257. Acesso em: 18 jun. 2024.

Resumo

O artigo propõe uma classificação das duas visões básicas a propósito da estratégia de desenvolvimento capitalista depois da crise do neoliberalismo, no Brasil: o desenvolvimentismo exportador do setor privado (“novo-desenvolvimentismo”) e o desenvolvimentismo distributivo orientado pelo Estado (“social-desenvolvimentismo”). Ambos resgatam o papel do Estado na orientação do modelo de desenvolvimento, mas com modos diferentes de relação com o mercado. Depois de uma breve introdução, as duas visões são discutidas, concluindo-se com uma discussão de suas possibilidades políticas.

Abstract

The article proposes a classification of two basic views on the strategy of capitalist development after the neoliberalism crisis in Brazil: the private sector’s export-oriented developmentalism (“newdevelopmentalism”), and state-led distributive developmentalism. Both views bring back the state’s role in guiding the development model, but with different ways of relating to the market. After a brief introduction, the two views are discussed, and the article concludes with a discussion of their political prospects.

Keywords: Developmentalism. State. Market.

PDF

Referências

AKYUZ, Y. Impasses do desenvolvimento. Novos Estudos Cebrap, n. 72, jul. 2005.

ALCKMIN, G. Programa de governo Geraldo Alckmin Presidente. Coligação por um Brasil decente (pdf). 2006.

AMARAL, S. Entrevista. Folha de São Paulo, 2 set. 2001.

BASTOS, Pedro P. Z. (2003) As aporias do liberalismo periférico: comentários à luz dos governos Dutra (1946-1950) e Cardoso (1994-2002). Economia e Sociedade, Campinas, v. 12, p. 245-274, 2003.

BASTOS, Pedro P. Z. A integração comercial da América do Sul no mundo pós-crise: desafios para o Brasil. In: CARNEIRO, Ricardo; MATIJASCIC, Milko. Desafios do desenvolvimento brasileiro. Brasília: Ipea, 2011.

BENTES, A. L. Da internacionalização do mercado ao globalismo: a trajetória de Fernando Henrique Cardoso. 2006. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais)-Convênio San Tiago Dantas, IFCH-Unicamp, 28 ago. 2006.

BELLUZZO, Luiz Gonzaga de Mello; BATISTA JR., Paulo Nogueira. Riscos da valorização cambial. Folha de São Paulo, 25 dez. 1994.

BELLUZZO, Luiz Gonzaga de Mello; CARNEIRO, R. O paradoxo da credibilidade. Política Econômica em Foco, (PEF), Campinas, n. 2, set./dez. 2003.

BIANCARELI, A. Riscos na travessia? O financiamento externo e os desafios futuros da economia brasileira. In: CARNEIRO, Ricardo; MATIJASCIC, Milko. Desafios do desenvolvimento brasileiro. Brasília: Ipea, 2011.

BIELSCHOWSKY, R. (1985). Pensamento econômico brasileiro: o ciclo ideológico do desenvolvimentismo. Rio de Janeiro: Ipea/Inpes, 1988.

BIELSCHOWSKY, R. Estratégia de desenvolvimento e as três frentes de expansão no Brasil: um desenho conceitual. Rio de Janeiro: IE-UFRJ, jul. 2012.

BORGES, Maria Angélica. Eugenio Gudin: capitalismo e neoliberalismo. São Paulo: BienalEDUCFAPESP, 1996.

BRESSER-PEREIRA, L. C. (1994). Salário mínimo X renda mínima. O Estado de S. Paulo, 5 mar. 2000. Disponível em: http://www.bresserpereira.org.br/Articles/2000/695. Salario_Minimo_x_Renda_Minima.pdf . Acesso em: 15 jul. 2012.

BRESSER-PEREIRA, L. C. (2000). Reformas estruturais já foram feitas. Entrevista para o jornal Folha de Londrina, 8 out. 1994. Disponível em: http://www.bresserpereira.org.br/ papers/interviews/94.ReformasEstrutuais.pdf>. Acesso em: 15 jul. 2012.

BRESSER-PEREIRA, L. C. Desenvolvimento e crise no Brasil. 5. ed. São Paulo: Editora 34, 2003.

BRESSER-PEREIRA, L. C. Novo-desenvolvimentismo. Folha de São Paulo/ Caderno Dinheiro, 19 set. 2004.

BRESSER-PEREIRA, L. C. A tendência à sobre apreciação da taxa de câmbio. Econômica, v. 11, n. 1, p. 7-30, 2009.

BRESSER-PEREIRA, L. C. O câmbio no lugar certo. Entrevista para a revista Carta Capital, 5 mar. 2010.

BRESSER-PEREIRA, L. C. Economia do desenvolvimento. Do antigo ao novo desenvolvimentismo na América Latina. In: PRADO, Luiz Carlos (Org.). Desenvolvimento econômico e crise – ensaios em comemoração aos oitenta anos de Maria da Conceição Tavares. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

BULHÕES, O. G. Orientação e controle em economia. Rio de Janeiro: Suissa, 1941.

BULHÕES, O. G. Economia e nacionalismo. Revista Brasileira de Economia, Rio de Janeiro, mar. 1952.

CAMPOS, R. O. A lanterna na popa: memórias. Rio de Janeiro: Topbooks, 1994.

CARDOSO, F. H. (1994). Entrevista. Folha de São Paulo, 18 dez. 1994.

CARNEIRO, R. A política macroeconômica da era FHC ao governo Lula: da trindade impossível à autonomia necessária In: VELLOSO, João Paulo dos Reis (Coord.). Governo Lula: novas prioridades e desenvolvimento sustentado. Rio de Janeiro: J. Olympio, 2003.

CARNEIRO, R. Desenvolvimento brasileiro pós-crise financeira: oportunidades e riscos. Observatório da Economia Global, Textos avulsos, Campinas, n. 4, 2010.

COSTA, F. N. Capitalismo de Estado neocorporativista. Campinas: IE-Unicamp, 2012. (Texto para Discussão, n. 207).

COUTINHO Luciano. A especialização regressiva: um balanço do desempenho industrial pós-estabilização. In: VELLOSO, João Paulo dos Reis (Org.). Brasil: desafios de um país em transformação. Rio de Janeiro : José Olímpio, 1997.

CRUZ, S. C. V. (1995). Empresariado e estado na transição brasileira. Um estudo sobre a economia política do autoritarismo (1974-1977). Campinas: Editora da Unicamp, 1995.

FERNANDES, A. Entrevista do Ministro da Fazenda ao jornal O Estado de São Paulo, 14 out. 2007.

FERREIRA, J.; REIS FILHO, D. (Org.). As esquerdas no Brasil. 2º vol.: Nacionalismo e reformismo radical, 1945-1964. 1. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007. v. 1.

FICO, C. (2004). Além do golpe: versões e controvérsias sobre 1964 e a ditadura militar. Rio de Janeiro: Record, 2004.

FIORI, J. (1985). Conjuntura e ciclo na dinâmica de um Estado Periférico. 1985. Tese (Doutorado)- USP, São Paulo, 1985.

FIORI, J. O ‘desenvolvimentismo de esquerda’. Valor Econômico, 29 fev. 2012.

FONSECA, P., CUNHA, A.; BICHARA, J. O Brasil na era Lula: retorno ao Desenvolvimentismo? Rede Desenvolvimentista, Campinas, 2012. (Texto para Discussão, 4).

FRANCO, G. O desafio brasileiro: ensaios sobre desenvolvimento, globalização e moeda. São Paulo: Ed. 34, 1999.

FURTADO, Celso. A pré-revolução brasileira. Rio de Janeiro: Ed. Fundo de Cultura, 1962.

GUDIN, E. Inflação e economia de guerra. Rio de Janeiro; São Paulo: Civilização Brasileira, 1944.

GUDIN, E. (1945a). Ensaios sobre problemas econômicos da atualidade. Rio [de Janeiro]; São Paulo: Civilização Brasileira, 1945.

GUDIN, E. (1945b). Rumos da política econômica. In: SIMONSEN, R.; GUDIN, E. A. Controvérsia do planejamento na economia brasileira. Rio de Janeiro: Ipea/Inpes, 1977. p. 41-141.

GUDIN, E. (1945c). Carta à Comissão de Planejamento. In: SIMONSEN, R.; GUDIN, E. A. Controvérsia do planejamento na economia brasileira. Rio de Janeiro: Ipea/Inpes, 1977. p. 219-235.

GUDIN, E. Análise de problemas brasileiros. Rio de Janeiro: Agir, 1965.

HIRATUKA, Celio; DE NEGRI, Fernanda. Notas sobre a influência da origem do capital sobre os padrões regionais de comércio exterior brasileiro. Revista Economia, Curitiba, v. 28/29, n. 26-27, p. 333-360, 2002/2003.

HUNTER & POWER. Rewarding Lula: executive power, social policy, and the Brazilian elections of 2006. Latin American Politics and Society, Spring, 49, 1, 2007.

LAPLANE, M.; SARTI, F. Investimento direto estrangeiro e a retomada do crescimento sustentado nos anos 90. Economia e Sociedade, Campinas, n. 8, jun. 1997.

LESSA. C. (1978). A estratégia de desenvolvimento 1974-1976: sonho e fracasso. Campinas: Unicamp. Instituto de Economia, 1998.

LOPREATO, F. Caminhos da política fiscal do Brasil. 2011. Tese (Livre Docência)-IEUnicamp, Campinas, 2011.

MERCADANTE, Aloizio. México reencontra o subdesenvolvimento. Folha de São Paulo, 22 jan. 1995.

MERCADANTE, Aloizio. As bases do novo desenvolvimentismo: análise do governo Lula. 2010. Disponível em: www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000794314. Acesso em: 9 jun. 2012.

MORAES, D. (1989). A esquerda e o Golpe de 64. 2. ed. São Paulo: Editora Expressão Popular, 2011.

NASSIF. M. I. Por uma ideia de nação. Valor Econômico, 8 abr. 2011.

OREIRO, J. L. É o novo-desenvolvimentismo? Valor Econômico, 27 out. 2011.

OREIRO, J. L, PAULA. Novo-desenvolvimentismo e a agenda de reformas macroeconômicas para o crescimento sustentado com estabilidade de preços e equidade social. (PDF).

PAULA, J. A. Adeus ao desenvolvimento: a opção do governo Lula. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

ROCHA, I. L. Reestruturação industrial no Brasil: uma análise da dinâmica comercial e produtiva da economia. 2011. Dissertação (Mestrado)-Unicamp, Campinas, 2011.

SAMUELS, D. From socialism to social democracy: party organization and the transformation of the workers’ party in Brazil. Comparative Political Studies, 37, p. 999-1024, 2004.

SARTI, Fernando; LAPLANE, Mariano. O investimento direto estrangeiro e a internacionalização da economia brasileira nos anos 90. In: LAPLANE, M.; COUTINHO, L.; HIRATUKA, C. 2003, op. cit.

SARTI, Fernando; HIRATUKA, Célio. Indústria mundial: mudanças e tendências recentes. In: SARTI, Fernando; HIRATUKA, Célio (Coord.). Perspectivas do investimento na indústria.

Projeto PIB – Perspectiva do investimento no Brasil. Rio de Janeiro: Synergia e IE-UFRJ; Campinas: IE-Unicamp, 2010. v. II.

SERRA, J. Aníbal Pinto e o desenvolvimento latino-americano. Economia e Sociedade, Campinas, n. 10, jun. 1998. (Republicado na Folha de São Paulo, 22 nov. 1998).

SERRA, J. (2002). Programa do governo José Serra: Trabalho e progresso para todos. Ago. 2012 (PDF).

SICSÚ, J. Definições, primeiros resultados e perspectivas de política econômica do governo Lula. Economia e Sociedade, Campinas, n. 21, jul./dez. 2003.

SICSÚ, J, MICHEL; PAULA. Por que novo-desenvolvimentismo? Revista de Economia Política, São Paulo, v. 27, n. 4, out./dez. 2007.

SILVA, Luís Inácio Lula. Programa de Governo: Coligação Lula Presidente. Um Brasil para todos: crescimento, emprego e inclusão social. 2002. (PDF).

SINGER, P. A segunda alma do Partido dos Trabalhadores. Novos Estudos Cebrap, 88, nov. 2010.

TAVARES, M. C. (1963). Auge e declínio do processo de substituição de importações no Brasil. In: ________. Da substituição de importações ao capitalismo financeiro: ensaios sobre a economia brasileira. Rio de Janeiro: Zahar, 1972.

TAVARES, M. (1975). Acumulação de capital e industrialização no Brasil. Campinas: Editora da Unicamp, 1985.

TAVARES, M. C.; ASSIS, J. O grande salto para o caos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

VIANNA, L. W. O cidadão, o cliente e os intelectuais. Valor Econômico, 23 ago. 2010.

WEFFORT, F. O populismo na política brasileira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

A Economia e Sociedade utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.