Banner Portal
Dar o peixe e ensinar a pescar: racionalidade limitada e políticas de combate à pobreza
PDF

Palavras-chave

Políticas públicas. Racionalidade limitada. Pobreza. Teoria da perspectiva. Programa Bolsa Família

Como Citar

CRUZ, Marcio José Vargas; PESSALI, Huáscar Fialho. Dar o peixe e ensinar a pescar: racionalidade limitada e políticas de combate à pobreza. Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 20, n. 1, p. 141–166, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8642364. Acesso em: 23 maio. 2024.

Resumo

Este artigo discute algumas implicações em se considerar limitações na racionalidade dos agentes econômicos em suas decisões enquanto beneficiários de programas de combate à pobreza. Tais implicações são ilustradas do Programa Bolsa Família. Parte-se da hipótese tradicional de que ninguém melhor do que o beneficiário para tomar suas decisões referentes à alocação de recursos. Sua decisão, porém, pode vir a ser melhorada, caso seu rol de opções seja ampliado por meio de maior acesso a informações e melhor capacitação para a tomada de decisão em direção ao sustento próprio. Discute-se, por fim, a importância de se considerar tais implicações na elaboração e execução da política pública, com especial atenção ao Bolsa Família.

Abstract

This paper discusses the implications of the assumption that economic agents at the receiving end of poverty reduction policies have bounded rationality. It assumes that the beneficiary of the program knows best how to use his or her income to satisfy his or her needs. This, however, does not imply that an optimal solution is reached. Individuals, especially those on very low-incomes, can make better choices as more and better information becomes available, improving their decision-making capabilities in favor of higher income alternatives that can be brought about by their own work efforts. These insights are in turn applied to study the case of the Brazilian program Bolsa Familia, implying that the design and implementation of poverty reduction policies need re-thinking in terms of their long term social efficiency.

Keywords: Public policy. Bounded rationality. Poverty reduction. Prospect theory. Bolsa Família Program.

PDF

Referências

AXELROD, Robert. La evolución de la cooperación: el dilema del prisionero y la teoria de juegos. Madrid: Alianza, 1984 [1986].

BARROS, R.; CARVALHO, M.; FRANCO, S.; MENDONÇA, R. Uma análise das principais causas da queda recente na desigualdade de renda brasileira. Rio de Janeiro: IPEA, 2006. (Texto de discussão, n. 1203).

CEDEPLAR. Sumário executivo – avaliação de impacto do Programa Bolsa Família. Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, 2007.

CHOI, J.; LAIBSON, D.; MADRIAN, B.; METRICK, A. Optimal defaults. American Economic Review, v. 93, n. 2, p. 180-186, 2003.

DEL GROSSI, M.; SILVA, J.; TAKAGI, M. A evolução da pobreza no Brasil: 1995/99. Campinas: Unicamp. Instituto de Economia, 2001. (Texto de Discussão).

DOLFSMA, W.; FINCH, J; McMASTER, R. Market and society: how do they relate, and how do they contribute to welfare? Journal of Economic Issues, v. 39, n. 2, p. 347-358, 2005.

HIRSCHMAN, A. The welfare state in trouble: systemic crisis or growing pains? American Economic Review, v. 70, n. 2, p. 113-116, 1980.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Acesso a transferências de renda de programas sociais. Resultados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD de 2006. Rio de Janeiro: IBGE, 2008.

IBGE. Indicadores. Vários anos. Disponível em: http://www.ibge.gov.br.

IPEA – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Nota técnica sobre a recente queda da desigualdade. Brasília: IPEA, 2006.

IPEA. Ipeadata. Vários anos. Disponível em: http://www.ipeadata.gov.br.

KAHNEMAN, Daniel. New challenges to the rationality assumption. Journal of Institutional and Theoretical Economics, 150, p. 18-36, 1994.

KAHNEMAN, D.; TVERSKY, A. On the psychology of prediction. Psychological Review, 80, p. 237-251, 1973.

KAHNEMAN, D.; TVERSKY,; KNETSCH, J.; THALER, R. Experimental tests of the endowment effect. Journal of Political Economy, 98, p. 1325-1348, 1990.

KAHNEMAN, D.; TVERSKY,; KNETSCH, J.; THALER, R The endowment effect, loss aversion, and status quo bias. Journal of Economic Perspectives, 5, p. 193-206, 1991.

KERSTENETZKY, Célia. Políticas sociais: focalização ou universalização? Revista de Economia Política, v. 26, n. 4, p. 564-574, 2006.

KERSTENETZKY, Célia. Redistribuição e desenvolvimento? A economia política do Programa Bolsa Família. Dados, v. 52, n. 1, p. 53-83, 2009.

LE GRAND, Julian. Equity and choice: an essay in economics and applied philosophy. London: HarperCollins Academic, 1991.

MADRIAN, B.; SHEA, D. The power of suggestion: inertia in 401(k) participation and savings behavior. Quarterly Journal of Economics, v. 116, n. 4, p. 1149-1187, 2001.

MARQUES, Rosa. A importância do Bolsa Família nos municípios brasileiros. Cadernos de Estudos – Desenvolvimento Social em Debate, 1, p. 8-40, 2005.

MARQUES, Rosa; MENDES, A. Sobre a política de combate à pobreza no Governo Lula. Revista de Economia, v. 34, n. 3, p. 89-109, 2008.

MATTHEWS, R .C. O. Morality, competition and efficiency. The Manchester School of Economic & Social Studies, v. 49, n. 4, p. 289-309, 1981.

MDS – Ministério do Desenvolvimento Social. Vários anos. Disponível em: http://www.mds.gov.br.

MEDEIROS, M.; BRITTO, T. SOARES, F. Transferência de renda no Brasil. Novos Estudos – CEBRAP, São Paulo, 79, p. 5-21, 2007.

MEDEIROS, M.; BRITTO, T. SOARES, F Targeted cash transfer programmes in Brazil: BPC and the Bolsa Família. Brasília: International Poverty Centre, 2008. (IPC Working Paper).

MONNERAT, G.; SENNA, M.; SCHOTTZ, V.; MAGALHÃES, R.; BURLANDY, L. Do direito incondicional à condicionalidade do direito: as contrapartidas do Programa Bolsa Família. Ciência & Saúde Coletiva, v. 12, n. 6, p. 453-462, 2007.

NERI, Marcelo. Miséria em queda: mensuração, monitoramento e metas. Centro de políticas sociais. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2005. Disponível em: http://www.fgv.br/cps. Acesso em: 10 jan. 2007.

PESSALI, H.; FERNÁNDEZ, R. Inovação e teorias da firma. In: PELAEZ, V.; SZMERECSÁNYI, T. (Org.). Economia da inovação tecnológica. São Paulo: Hucitec, 2006. p. 302-332.

ROCHA, Sonia. Pobreza no Brasil: afinal, de que se trata? Rio de Janeiro: FGV, 2003.

SIMON, Herbert. Administrative behavior. New York: The Macmillan Company, 1947.

SOARES, F.; RIBAS, R.; OSÓRIO, R. Evaluating the impact of Brazil’s Bolsa Família: cash transfer programmes in comparative perspective. Evaluation Note 1. Brasília: International Poverty Centre, 2007.

SOARES, F; SOARES, S.; MEDEIROS, M.; OSÓRIO, R. Programas de transferências de renda no Brasil: impactos sobre a desigualdade. In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA, 34, Salvador, 5-8 dez. 2006. Anais...

SUNSTEIN, C.; THALER, R. Libertarian paternalism is not an oxymoron. University of Chicago Law Review, v. 70, n. 4, Summer, p. 1159-1202, 2003.

THALER, R.; SUNSTEIN, C. Libertarian paternalism. American Economic Review, v. 93, n. 2, p. 175-179, 2003.

TVERSKY, A.; KAHNEMAN, D. Rational choice and the framing of decisions. Journal of Business, 59, p. 251-278, 1986.

VAZ, Bruno. Efeito do Programa Bolsa Escola sobre as despesas das famílias. Dissertação (Mestrado)–Pós-Graduação em Economia, PUC-Rio, Rio de Janeiro, 2006.

A Economia e Sociedade utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.