Evolução do acesso a serviços de saneamento básico no Brasil (1970 a 2004)

Autores

  • Carlos César Santejo Saiani Fundação Getúlio Vargas
  • Rudinei Toneto Júnior Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto

Palavras-chave:

Infraestrutura. Saneamento básico. Brasil

Resumo

O objetivo do presente artigo é analisar a evolução da cobertura dos serviços de saneamento básico no Brasil do início da década de 1970 até 2004, levando em consideração algumas variáveis regionais, municipais e domiciliares: (i) região geográfica; (ii) porte do município (tamanho da população); (iii) taxa de urbanização do município; (iv) localização do domicílio (rural ou urbano) e (v) renda domiciliar mensal. Essa análise permitiu avaliar: (i) se as características do déficit de acesso domiciliar são recentes ou já existiam em 1970 e (ii) se está ocorrendo uma convergência dos índices de acesso domiciliar, ou seja, se dentro das categorias analisadas está diminuindo a diferença entre os melhores e os piores índices de acesso. Além disso, foi possível averiguar qual tipo de política pública adotada para o setor gerou investimentos que conseguiram atingir as localidades mais necessitadas.

Abstract

The aim of the article is to analyze the evolution of the coverage of basic sanitation services in Brazil since the beginning of the 1970s until 2004, taking into account some regional, municipal, and domiciliary variables: (i) geographic region; (ii) population and city size; (iii) urbanization rate; (iv) domicile location (rural or urban areas) and (v) monthly domiciliary income. This analysis allowed to evaluate: (i) whether the characteristics of domiciliary access deficit are recent or were already taking place in 1970 and (ii) whether there is a convergence of domiciliary access rates, i.e., if in the analyzed categories, the difference between the best and the worse rates of access are decreasing. Besides, it was possible to inquire which type of public policy carried away for the sector has generated investments that succeeded to reach the poorest localities.

Key words: Infrastructure. Basic sanitation. Brazil

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos César Santejo Saiani, Fundação Getúlio Vargas

Professor Adjunto do Instituto de Economia da Universidade Federal de Uberlândia (IE/UFU). Doutor em Economia pela Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (EESP/FGV). Possui graduação e mestrado em Economia pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FEARP/USP).

Rudinei Toneto Júnior, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto

Professor Titular do Departamento de Economia da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, onde atua como docente na graduação e pós-graduação. Possui graduação (1988), mestrado (1992), doutorado (1997) e Livre-Docência (2004) em Economia pela Universidade de São Paulo. Atuou como Chefe do Departamento de Economia da FEARP-USP (2002-2004) e como Diretor da FEARP-USP (2006-2010). 

Referências

AESBE. Visão econômica do saneamento. In: FÓRUM DE DEBATES PROJETO BRASIL – Política de Saneamento: balanços e aprimoramentos, 36. Agência Dinheiro Vivo, out. 2006.

BARAT, J. O financiamento da infra-estrutura urbana: os impasses, as perspectivas institucionais, as perspectivas financeiras. In: IPEA. Infra-estrutura: perspectivas de reorganização (financiamento). Brasília, 1998.

BIELSCHOWSKY, R. Investimento e reformas no Brasil: indústria e infra-estrutura nos anos 1990. 1ª ed. Brasília: Ipea, Cepal, 2002.

BNDES. Serviços de saneamento básico – níveis de atendimento. Rio de Janeiro: BNDES, dez. 1996. (Informes Infra-Estrutura, n. 5).

BNDES. Saneamento: o objetivo é a eficiência. Rio de Janeiro: BNDES, jun. 1998. (Informes Infra-Estrutura, n. 23).

IBGE. Censos Demográficos de 1970, 1980, 1991 e 2000. – MCIDADES. O desafio da universalização do saneamento ambiental no Brasil. Brasília: Ministério das Cidades, 2002. Disponível em: . Acesso em: 01 ago. 2002.

IBGE. O financiamento do saneamento básico em 2003/2004: piloto de uma nova abordagem para o investimento público no Brasil? Brasília: Ministério das Cidades, dez. 2004. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2005.

MEJIA, A. et al. Água, redução de pobreza e desenvolvimento sustentável. Série Água Brasil (Banco Mundial), Brasília, n. 4, jun. 2003.

OLIVEIRA FILHO, A. Institucionalização e desafios da Política Nacional de Saneamento: um balanço prévio. Saneamento e Municípios, Brasília, Assemae, jun./ago. 2006.

PNADs 2001, 2002, 2003 e 2004. SAIANI, C. C. S. Déficit de acesso aos serviços de saneamento básico no Brasil. Prêmio IPEA-CAIXA 2006, Brasília, 2006.

TONETO JÚNIOR, R.; SAIANI, C. C. S. Restrições à expansão dos investimentos no saneamento básico brasileiro. In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA POLÍTICA, 10. Sociedade Brasileira de Economia Política, 2005.

TUROLLA, F. A. Política de saneamento básico: avanços recentes e opções futuras de políticas públicas. Brasília: IPEA, dez. 2002. p. 1-26. (Textos para Discussão, n. 922).

Downloads

Publicado

2016-01-06

Como Citar

SAIANI, C. C. S.; TONETO JÚNIOR, R. Evolução do acesso a serviços de saneamento básico no Brasil (1970 a 2004). Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 19, n. 1, p. 76–106, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8642728. Acesso em: 30 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos