Banner Portal
Política, agricultura e a reconversão do capital do tráfico transatlântico de escravos para as finanças brasileiras na década de 1850
PDF

Palavras-chave

Capital financeiro. Economia nacional. Tráfico de escravos
Brasil – Século XIX. Agricultura

Como Citar

VITORINO, Artur. Política, agricultura e a reconversão do capital do tráfico transatlântico de escravos para as finanças brasileiras na década de 1850. Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 17, n. 3, p. 463–491, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8642788. Acesso em: 21 maio. 2024.

Resumo

O artigo enfoca como, após 1850, com a cessação do tráfico transatlântico de africanos escravos, o capital, antes engatado nesse negócio, passou a irrigar o meio circulante (a moeda e o crédito), reforçando, assim, a economia de mercado já existente na Corte Imperial, mas, a partir de então, com força para configurar nesta cidade uma economia urbana de profundas conseqüências para os agricultores escravistas do Vale do Paraíba ligados ao comércio exterior, e dependentes do crédito e da moeda ali alocados. O assentamento urbano do capital dos mercadores negreiros foi deliberado pelo Partido Conservador.

Abstract

The article emphasizes how, after 1850, with the cessation of the transatlantic African slave trade, the capital, rather linked in this business, passed to irrigate the finance capital (the coin and the credit), reinforcing, then, the trade economy also extant in the Imperial Court but, hereafter, stronger enough to build in this city a urban economy with profoundest consequences to the farms of the Vale do Paraíba who used slaves, were linked in the foreign trade, and were dependent of the credit and of the coin allocated there. The urban settlement of the black slave trade capital was deliberate by the Conservative Party.

Key words: Finance capital. National economy. Black slave trade; Brazil – Century XIX. Agriculture

PDF

Referências

ALENCASTRO, Luiz Felipe de. Le Commerce des vivants: Traite d'Esclaves et “Pax Lusitana” dans L'Atlantique Sud, thèse de Doctorat de l'Université de Paris X, 1985-1986, mimeo.

ALENCASTRO, Luiz Felipe de. Bahia, Rio de Janeiro et le nouvel ordre colonial 1808-1860. In CHASE, Jeanne (org.). Géographie du capital marchant aux Amériques 1760-1860. Paris, École des Hautes Etudes, 1987, p. 131-147.

ALENCASTRO, Luiz Felipe de. Vida Privada e Ordem Privada no Império, in: História da vida privada no Brasil: Império. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

ALENCASTRO, Luiz Felipe de. O trato dos viventes: formação do Brasil no Atlântico Sul. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

BUESCU, Mircea. História econômica. Pesquisas e análises. Rio de Janeiro, APEC, 1970.

FAORO, Raymundo. Os donos do poder: formação do patronato político brasileiro. Rio de Janeiro, Globo, 8. ed., 1988.

FARIA, Alberto de. Mauá. Irenêo Evangelista de Souza, Barão e Visconde de Mauá, 1813-1889. Rio de Janeiro, Paulo: Pongetti & Cia, 1926.

FERREIRA, Marieta de Moraes. A crise dos comissários de café do Rio de Janeiro. Niterói, UFF, Dissertação de Mestrado, 1977. Mimeografado.

GRANZIERA, Rui Guilherme. A guerra do Paraguai e o capitalismo no Brasil: moeda e vida urbana na economia brasileira. São Paulo: HUCITEC; Campinas: UNICAMP, 1979.

LEVY, Maria Bárbara. A indústria do Rio de Janeiro através de suas sociedade anônimas. Rio de Janeiro: Editora UFRJ; Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro, 1994.

LEVY, Maria Bárbara; ANDRADE, Ana Maria Ribeiro de. Fundamentos do Sistema Bancário no Brasil: 1834-1860. Estudos Econômicos, 15 (Número Especial) 17, p. 48, 1985.

LÔBO, Eulália Maria Lahmeyer. História do Rio de Janeiro (do capital comercial ao capital industrial e financeiro). 2 vol. Rio de Janeiro, IBMEC, 1978.

MELLO, Evaldo Cabral de. O Norte agrário e o Império, 1871-1889. 2a ed. revista. Rio de Janeiro, Topbooks, 1999.

MELLO, João Manuel Cardoso de. O capitalismo tardio. Contribuição à revisão crítica da formação e do desenvolvimento da economia brasileira. 10a ed., Unicamp/IE, Campinas, 1998.

NORMANO, J. F. Evolução economica do Brasil. São Paulo, Companhia Editora Nacional, 1939.

SLENES, Robert W. The demography and economics of Brazilian slavery: 1850-1888. Stanford, Stanford University, 1976.

SLENES, Robert W. Grandeza ou decadência? O mercado de escravos e a economia cafeeira da província do Rio de Janeiro, 1850-1888. In: COSTA, Iraci del Nero da (Org.). Brasil: história econômica e demográfica. São Paulo, IPE/USP, 1986, p. 103-151.

STEIN, Stanley J. Grandeza e decadência do café no Vale do Paraíba: com referência especial ao município de Vassouras. São Paulo, Brasiliense, 1961.

SWEIGART, Joseph E. Financing and marketing Brazilian export agriculture: the coffee factors of Rio de Janeiro, 1850-1888, tese de Ph.D, University of Texas at Austin, 1980.

A Economia e Sociedade utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.