Remuneração nos serviços no Brasil: o contraste entre funcionários públicos e privados

Palavras-chave: Salários. Desigualdade de renda. Setor público. Mercado de trabalho

Resumo

Utilizando dados da PNAD, o trabalho investiga o comportamento do hiato de rendimentos entre funcionários públicos e empregados do setor privado com carteira assinada, ocupados no setor terciário, de 1992 a 2005. São ajustadas, em separado, equações de rendimento, a fim de apontar as diferenças no efeito de vários fatores (idade, sexo, escolaridade, etc.) sobre o salário de cada categoria. Mediante o emprego da metodologia de Blinder-Oaxaca identifica-se quanto do diferencial de rendimentos entre os dois grupos se deve a diferenças na capacitação individual dos trabalhadores e quanto está associado a outros fatores, analisando como essa decomposição evoluiu ao longo do período 1992-2005. Um resultado importante é o crescimento do hiato de rendimentos entre os dois grupos, especialmente da parcela não explicada pelas diferenças na capacitação dos empregados.

Abstract

Using data from an annual household survey (PNAD), this study analyses the behavior of the wage gap between public and private formal workers from the tertiary sector in Brazil from 1992 to 2005. Earnings equations are estimated separately for these two groups. Such equations allow us to evaluate the effect of age, gender, schooling, color (race), position in the occupation, weekly working time and other factors on earnings of each category. Blinder-Oaxaca methodology reveals how much of the wage gap between the workers of both sectors is due to differences in productive endowments and how much is due to other factors, such as the existence of segmentation between the public and the private labor market in Brazil. An important result is the increase of the wage gap between the two groups of workers, mainly of the part that can not be explained by workers´ productive endowments.

Key words: Wage differentials. Income inequality. Public sector. Labor markets

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Verzola Vaz, Universidade Estadual de Campinas
Professora Adjunta A-I da Escola Paulista de Política, Economia e Negócios da Universidade Federal de São Paulo (EPPEN-UNIFESP, Campus Osasco). Bacharel (2002), Mestre (2005) e Doutora (2010) em Ciência Econômica pela Universidade Estadual de Campinas. Tem experiência nas áreas de Estatística e Econometria. Atua principalmente nos seguintes temas: mercado de trabalho, ocupação, distribuição de renda e diferenças salariais entre os gêneros.
Rodolfo Hoffmann, Universidade Estadual de Campinas
Possui graduação em Agronomia (1965), mestrado em Ciências Sociais Rurais (1967), doutorado em Economia Agrária (1969) e títulos de Livre Docente (1971) e Professor Titular (1981), sempre pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ) da Universidade de São Paulo (USP).

Referências

BERNDT, E. R. Analyzing determinants of wages and measuring discrimination: dummy variables in regression models. In: BERNDT, E. R. The practice of econometrics: classic and contemporary. Addison-Wesley, 1991. cap. 5, p. 150-223.

CAMPANTE, F. R.; CRESPO, A. R. V.; LEITE, P. G. Desigualdade salarial entre raças no mercado de trabalho urbano brasileiro: aspectos regionais. Revista Brasileira de Economia, Rio de Janeiro: v. 58, n. 2, p. 185-210, abr./jun. 2004.

CORSEUIL, C. H.; FOGUEL, M. N. Uma sugestão de deflatores para rendas obtidas a partir de algumas pesquisas domiciliares do IBGE. Rio de Janeiro: Ipea, jul. 2002. 8p. (Texto para discussão, n. 897).

HOFFMANN, R. A distribuição da renda no Brasil no período 1992-2001. Economia e Sociedade, Campinas: Instituto de Economia da Unicamp, n. 19, p. 213-235, jul./dez. 2002.

HOFFMANN, R. Income distribution in Brazil and the regional and sectoral contrasts. In: GUILHOTO, J. J. M.; HEWINGS, G. J. D. (Org.). Structure and structural change in the Brazilian economy. Aldershot: Ashgate, 2001. cap. 5, p. 85-106.

HOFFMANN, R. Mensuração da desigualdade e da pobreza no Brasil. In: HENRIQUES, R. (Org.). Desigualdade e Pobreza no Brasil. Rio de Janeiro: IPEA, 2000. cap. 3, p. 81-107.

HOFFMANN, R. Distribuição de renda: medidas de desigualdade e pobreza. São Paulo: Ed. da USP, 1998. cap. 4, p. 99-152.

HOFFMANN, R; NEY, M. G. Desigualdade, escolaridade e rendimentos na agricultura, indústria e serviços, de 1992 a 2002. Economia e Sociedade, Campinas, v. 13, n. 2 (23), p. 51-79, jul./dez. 2004.

HOFFMANN, R; SIMÃO, R. C. S. Determinantes do rendimento das pessoas ocupadas em Minas Gerais em 2000: o limiar no efeito da escolaridade e as diferenças entre mesorregiões. Nova Economia, v. 15, n. 2, p. 35-62, maio/ago. 2005.

LEME, M. C. S.; WAJNMAN, S. Tendências de coorte nos diferenciais de rendimentos por sexo. In: HENRIQUES, R. (Org.). Desigualdade e pobreza no Brasil. Rio de Janeiro: Ipea, 2000. cap. 9, p. 251-270.

MARCONI, N. Uma breve comparação entre os mercados de trabalho do setor público e privado. Revista do Serviço Público, Brasília: ENAP, ano 48, n. 1, p. 127-146, jan./mar. 1997.

MARCONI, N. A evolução do perfil da força de trabalho e das remunerações nos setores público e privado ao longo da década de 1990. Revista do Serviço Público, Brasília: ENAP, ano 54, n. 1, p. 7-43, jan./mar. 2003.

MARCONI, N. Gap between public and private wages and wages determination in the public sector. Revista de Economia Política, São Paulo, editora 34, v. 24, n. 2, p. 257-279, abr./jun. 2004.

MENEZES-FILHO, N.; FERNANDES, R.; PICCHETTI, P. A evolução da distribuição de salários no Brasil: fatos estilizados para as décadas de 80 e 90. In: HENRIQUES, R. (Org.). Desigualdade e pobreza no Brasil. Rio de Janeiro: Ipea, 2000. cap. 8, p. 231-250.

NAJBERG, S.; MORAES, R. M.; IKEDA, M. Participação dos empregos do setor público no mercado de trabalho. Informe-se, Rio de Janeiro (RJ), Área de Assuntos Fiscais e de Emprego, BNDES, n. 42, jun. 2002. 8p.

NEY, M.G.; HOFFMANN, R. Desigualdade de renda na agricultura: o efeito da posse da terra. Economia, Niterói (RJ), Anpec, v. 4, n. 1, p. 113-152, jan./jun. 2003.

RAMALHO, M.; URANI, A. A administração pública como empregadora: uma avaliação da década de 80. Rio de Janeiro: Ipea, abr. 1995. 22p. (Série Seminários, n. 5/95).

RAMOS, L.; VIEIRA, M. L. Determinantes da desigualdade de rendimentos no Brasil nos anos 90: discriminação, segmentação e heterogeneidade dos trabalhadores. In: HENRIQUES, R. (Org.). Desigualdade e pobreza no Brasil. Rio de Janeiro: Ipea, 2000. cap. 6, p. 159-176.

ROCHA, S. A investigação do rendimento na PNAD – comentários e sugestões à pesquisa nos anos 2000. Rio de Janeiro: Ipea, ago. 2002. 19p. (Texto para discussão, n. 899).

SOARES, S. S. D. O perfil da discriminação no mercado de trabalho – homens negros, mulheres brancas e mulheres negras. Brasília: Ipea, nov. 2000. 26p. (Texto para Discussão, n. 769).

TAVARES, M. C. A economia política do Real. In: MERCADANTE, A. (Org.). O Brasil pós-Real: a política econômica em debate. Campinas (SP): Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas, 1997. p. 101-129.

VAZ, D. V. Rendimento em serviços nos anos 90: o contraste entre funcionários públicos e privados. Dissertação (Mestrado em Economia)–Instituto de Economia, Unicamp, Campinas, 2005. 95f.

ZUCCHI, J. D.; HOFFMANN, R. Diferenças de renda associadas à cor: Brasil, 2001 Pesquisa e Debate 24, São Paulo, PUC-SP, v. 15, n, 1, p. 107-129, 2004.

Publicado
2016-01-11
Como Citar
Vaz, D. V., & Hoffmann, R. (2016). Remuneração nos serviços no Brasil: o contraste entre funcionários públicos e privados. Economia E Sociedade, 16(2), 199-232. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8642820
Seção
Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)

1 2 > >>